fbpx

Costa Vicentina: roteiro de 5 dias pelo Sudoeste Alentejano

por Fábio Santos

A Costa Vicentina e o Parque Natural do Sudoeste Alentejano são o nosso local de eleição para as férias de verão em Portugal. Para nós que adoramos praia, mas dispensamos a confusão que existe por norma nas praias portuguesas, encontramos na Costa Vicentina um verdadeiro paraíso de sossego e beleza.

O facto de estar localizada numa zona protegida, o Parque Natural, obriga que as paisagens costeiras estejam despidas de aglomerados de resorts que infelizmente enfraquecem muito o esplendor de muitas das praias do nosso país e do mundo. Na Costa Vicentina a natureza encontra-se quase intocável, com areais selvagens, dunas e falésias repletas de vegetação típica e pequenas vilas, na maioria piscatórias, recuperadas que nos fazem recordar a áurea de outros tempos. Tudo soa a natural e a autêntico, é essa a autenticidade que gostamos de ver em Portugal, é isso que nos torna tão únicos!

No decorrer do artigo iremos dar a conhecer o nosso roteiro de 5 dias pela Costa Vicentina, realizado no verão de 2019 e esperemos que vos motive a conhecer uma das regiões mais bonitas de Portugal!

Costa Vicentina – Como organizar a roadtrip?

A Costa Vicentina dispõe de uma área considerável com 110km de extensão, pelo que conhecer toda a costa em 5 dias torna-se uma missão difícil de concretizar. Com tantos locais de interesse, paisagens soberbas, gastronomia alentejana capaz de deliciar até os mais esquisitos, os motivos são mais do que muitos para uma experiência de sonho.

A Costa Vicentina tem para nós um sabor especial, foram as nossas primeiras férias juntos, no ano de 2013 em Vila Nova de Milfontes. Embora estivéssemos lá hospedados, já na altura ficamos a conhecer uma série de praias e vilas como Porto Covo e Zambujeira do Mar. Apesar de não termos ido todos anos, a Costa Vicentina é uma presença regular nas nossas férias anuais. Desta vez estendemos o tempo e os quilómetros e fizemos um roteiro integral como até hoje nunca tínhamos feito.

Neste artigo iremos apresentar o nosso roteiro de 5 dias pela Costa Vicentina com todos os locais que visitámos. Para poupar nos custos e ser fácil de nos movimentarmos decidimos pernoitar nos parques de campismo da Costa Vicentina.

Dormidas

Dia 1Orbitur Sitava Milfontes
Dia 2Orbitur Sitava Milfontes
Dia 3Parque de Campismo Serrão
Dia 4Parque de Campismo Serrão
Dia 5Parque de Campismo Orbitur – Valverde

Na realização desta roadtrip tivemos a preocupação de ficar pelo menos duas noites em cada Parque de Campismo. Embora, por vezes, fosse prático seguir para sul e acampar em outro parque decidimos que era mais cómodo pernoitar no mesmo local e assim reduzir o tempo desperdiçado em montar e desmontar a tenda e na realização do check-in.

Notas do Roteiro: 

O nosso roteiro de 5 dias foi realizado com recurso a automóvel próprio e caso pretenda fazer o mesmo roteiro aconselhamos a viajar com a sua viatura ou recorrer ao aluguer de uma. Realizar o roteiro que apresentamos através de transportes públicos é praticamente impossível.

Iniciámos o nosso roteiro no sentido Norte -> Sul, começando na cidade de Sines e terminando na vila de Burgau, nas imediações de Sagres concelho de Vila do Bispo. Se pretender fazer o mesmo em sentido inverso basta seguir as indicações em sentido contrário.

O roteiro é apertado tendo em consideração o número de locais de interesse da Costa Vicentina, por isso se preferir focar-se ou relaxar numa zona em particular aconselhamos a acrescentar mais um ou dois dias.

Costa Vicentina | Roteiro de 5 dias

Dia 1 | Sines São Torpes – Praia da Samoqueira – Porto Covo – Ilha do Pessegueiro Praia do Malhão

….—-Sines

O nosso roteiro pela Costa Vicentina inicia-se em Sines, cidade natal do navegador Vasco da Gama e a maior cidade da costa alentejana. Partimos de casa relativamente cedo, cerca das 7h e um pouco antes das 9h já nos encontrávamos em Sines. A nossa primeira paragem foi na Pastelaria Vela d’Ouro para um café e um saboroso pastel de natal que, face ao aspeto, não resistimos em experimentar.

Os principais lugares a visitar estão concentrados na zona histórica de cidade pelo que não despenderá muito tempo em deslocações. Acredite neste roteiro tempo será o seu pior inimigo! Mas uma vez em Sines é um desperdício não visitar a Igreja Matriz, a Capela da Misericórdia, o Castelo de Sines (no seu interior irá encontra Museu de Sines e a Casa de Vasco da Gama).

Nota: Quem seja da zona norte do país e demorar algumas horas até à costa alentejana aconselhamos a acrescentar mais um dia ao roteiro e pernoitar pela cidade de Sines.

….—-São Torpes

A poucos quilómetros de Sines encontramos uma praia muito particular, a praia de São Torpes, a praia com as águas mais quentes do país. Não foi a natureza que se encarregou de colocar um mini-vulcão nas imediações, mas sim devido à Central Termoelétrica de Sines que larga as águas de arrefecimento das turbinas nas imediações da praia. Com ondas não muito grandes e com uma água tão quente torna-se quase um pecado não dar um mergulho na Praia de São Torpes.

….—-Praia da Samoqueira

O que mais ansiávamos nesta nossa roadtrip era o contacto com o mar, com as praias selvagens em que homem pouco ou nada alterou. A poucos quilómetros da aldeia de Porto Covo encontramos uma das praias mais deslumbrantes da Costa Vicentina. Com as suas falésias moldadas ao talento do vento, o seu longo areal selvagem é o local perfeito para uma caminhada de descobertas. Grutas, piscinas naturais que os rochedos trataram de construir e belas rochas que pontilham pelo areal são um excelente motivo para conhecer a Praia da Samoqueira.

….—-Porto Covo

Tipicamente alentejana, Porto Covo, com as suas casas brancas e com a hospitalidade que facilmente reconhecemos às gentes alentejanas, esta aldeia faz-nos sentir tão bem que nos faz pensar em permanecer o resto dos dias do roteiro por estas bandas. Iniciámos a nossa visita pelo Largo Marquês de Pombal (o nome deve-se ao facto de ter sido Marquês de Pombal a reconstruir a aldeia de Porto Covo após o terramoto de 1755), neste largo, e nas ruas circundantes, encontram-se as principais atrações da vila. Na praça, se optar pela rua pedonal Vasco da Gama irá chegar à Praia dos Buizinhos. Em toda a orla costeira de Porto Covo irá encontrar, entre as falésias, pequenas e pitorescas praias como a Praia Pequena, a Praia do Banho e a Praia do Espingardeiro ou a Praia Grande.

….—-Ilha do Pessegueiro

A Ilha do Pessegueiro quase que passava despercebida se não fosse um dia Carlos Tê, possivelmente emergido pela beleza do lugar, escrevesse uma belíssima canção que popularizou para sempre esta pequena ilha. A voz de Rui Veloso tratou de eternizar essa letra inesquecível.

Não fomos à ilha, embora exista visitas guiadas nos meses de Verão entre 15 de junho e 15 de setembro. Ficámos a admirá-la da Praia da Ilha do Pessegueiro e acredite que não há sítio melhor para apreciar a beleza do lugar.

….—-Praia do Malhão

A Praia do Malhão coincidiu com a última paragem do dia. Esta é uma das nossas praias favoritas da Costa Vicentina e uma antiga conhecida nossa, onde já passamos por diversas vezes excelentes dias de praia. Os fenómenos geológicos que ali ocorreram ao longo dos anos criaram imponentes formações rochosas e umas arribas escrupulosamente esculpidas que tornam esta praia uma verdadeira maravilha da natureza.

Para ficar a conhecer todo encanto da Praia do Malhão percorra a rede passadiços que se desenvolve por toda a encosta da praia e contemple a vista deslumbrante sobre a mesma nos muitos miradouros que irá encontrar pelo caminho.

Dormida: A poucos metros da Praia do Malhão está localizado o primeiro parque de campismo que pernoitamos, o Orbitur Sitava Milfontes. Com excelentes condições de higiene e segurança, com locais de sombra ideal para montar a tenda, este parque de campismo é uma opção cómoda e económica que recomendamos a quem queira pernoitar nas imediações de Vila Nova de Milfontes.

Dia 2 | Vila Nova de Milfontes – Praia das Furnas Praia de Almograve – Cabo Sardão – Odemira

….—-Vila Nova de Milfontes

Nada melhor para começar o dia do que um belo croissant da Pastelaria Mabi em Vila Nova de Milfontes, certamente um dos melhores croissants de Portugal.

Nós adoramos esta vila e sempre que temos oportunidade adoramos percorrer as suas ruelas do centro histórico que são de facto encantadoras. Ao deambular pelas ruas irá encontrar o Forte de São Clemente e a Igreja da Nossa Senhora da Graça, que merecem a sua visita.

Nas margens do Rio Mira e perto do centro de Vila Nova Milfontes pode ir a banhos na Praia da Franquia, uma pequena praia de águas tão calmas que torna difícil a missão de resistir a um mergulho. Se continuar à beira rio, pela marginal irá chegar ao Farol de Vila Nova de Milfontes e à respetiva Praia do Farol.

Onde comer?

  • Tasca do Celso – Um dos restaurantes mais afamados de Vila Nova de Milfontes e da Costa Vicentina. Devido à sua fama e qualidade está quase sempre lotado, pelo que aconselhamos a reservar com alguma antecedência. Os paladares são únicos, tipicamente alentejanos, tudo tem inúmera qualidade desde as carnes aos peixes sempre frescos. Difícil é mesmo escolher!
  • Porto das Barcas – Apesar de não ficar localizado no centro de Milfontes, a qualidade da sua comida é tão conhecida que os curiosos por boa gastronomia facilmente o encontram. Com o mar como pano de fundo, o Porto das Barcas é um restaurante com um toque de requinte e modernidade. À sua espera estão sempre mariscos e peixe fresco de deixar qualquer um com água na boca.

….—-Praia das Furnas

Vencedora do prémio “7 Maravilhas – Praias de Portugal” na categoria de praias de rio, a Praia das Furnas na foz do Rio Mira é conhecida pelos seus longos areais ao contrário da maioria das praias da região. De fácil acessibilidade, sem grandes desníveis, esta praia é o local perfeito para um dia em cheio. Estando ela localizada na foz do rio permite que se opte ora por fazer praia nas águas calmos do rio ora fazer praia nas águas mais agitadas do oceano.

….—-Praia de Almograve

A poucos quilómetros da Praia das Furnas encontramos outra praia igualmente fantástica, a Praia de Almograve. Selvagem, com uma fauna e flora diversificadas, onde no panorama visual se destacam os afloramentos rochosos que constituem diferente formas no areal, o que do ponto de vista paisagístico nos deixou maravilhados. A vila de Almograve é calma, ideal para quem deseja passar umas férias de praia relaxantes em pleno contacto com a natureza.

….—-Cabo Sardão

Ponto mais ocidental da Costa Vicentina, o Cabo Sardão é um local de uma beleza natural capaz de deixar qualquer um de queixo caído. O vento sopra quase sempre com uma intensidade que assusta e as ondas fazem se ouvir contra as escarpas acentuadas. Parece assustador, mas não é! É um local fantástico onde a biodiversidade prospera. Aliás é o único local na Europa onde as cegonhas nidificam na orla costeira. É realmente uma verdadeira maravilha da natureza!

….—-Odemira

A nossa última paragem do segundo dia seria a vila de Odemira. Sede de concelho de todos os locais que conhecemos neste dia, pela sua longa dimensão, é o maior concelho em extensão territorial de Portugal. Localizada nas margens do Rio Mira, esta típica vila alentejana dispõe de diversos sítios que despertam a atenção dos mais curiosos. À chegada, a belíssima Ponte de Ferro sobre o rio chama logo à atenção do que nos aguarda. Uma vez em Odemira aconselhamos a passear calmamente pelas margens do Rio Mira e conhecer as ruelas do bairro nas imediações do castelo e se estiver com forças subir até às ruínas do castelo para se deixar encantar com a fantástica vista no seu miradouro.

Nota: Neste segundo dia voltamos para trás e pernoitamos no Parque Sitava Orbitur Milfontes.

Dia 3 | Zambujeira do Mar – Praia de Odeceixe – Praia Vale dos Homens – Praia da Amoreira – Aljezur

….—-Zambujeira do Mar

De malas e bagagens arrumadas, no terceiro dia da nossa roadtrip rumaríamos decididamente a sul. A nossa primeira paragem foi na famosa vila da Zambujeira do Mar. A fusão entre o urbano e praia nunca pareceu tão bem como por estas bandas, facto que mereceu a distinção no concurso das “7 Maravilhas – Praias de Portugal” na categoria de melhor praia urbana. Do alto da falésia observamos uma das melhores paisagens da Costa Vicentina. O areal da Praia da Zambujeira entre as íngrimes arribas onde a vegetação timidamente sobressai. O festival MEO Sudoeste tem dado a esta zona ainda mais fama, mas a beleza deste lugar por si só não padece de mais fatores de interesse.

….—-Praia de Odeceixe

Seguimos em direção a Odeceixe onde encontramos uma das praias que paisagisticamente mais apreciamos de toda a Costa Vicentina. A Praia de Odeceixe está localizada nas imediações de uma vila de seu nome, bem simpática com as suas casas tradicionais. Um sítio muito apreciado por quem procura umas férias na praia sem a confusão das praias algarvias ou das praias mais conhecidas da Costa da Prata. Como estamos numa zona de praias vencedoras, a Praia de Odeceixe venceu na categoria das Praias de Arriba no concurso das “7 Maravilhas – Praias de Portugal” e a distinção não podia ser mais merecida. É no alto das suas falésias que conseguimos admirar toda a beleza inconfundível desta praia, em que as arribas que a circundam se encontram com o mar sempre agitado. Quem tem crianças e o mar agitado é uma preocupação pode sempre optar por ficar nas imediações de uma pequena ribeira que desagua ali mesmo.

….—-Praia Vale dos Homens

Menos conhecida do que muitas das que visitamos na nossa roadtrip mas igualmente extraordinária, a Praia Vale dos Homens localiza-se no caminho entre Odeceixe e Aljezur. Sozinha, sem urbanizações por perto nem comerciantes para atrair atenções, unicamente o estado mais puro e selvagem das praias da Costa Vicentina. Como a maioria das praias alentejanas, para aceder ao areal é necessário descer as suas arribas. O acesso faz-se através da longa escadaria de madeira, essa escada vai ser o único vestígio da mão humana que irá encontrar. Um cenário digno do paraíso de uma paisagem única que o fará relaxar e desfrutar de um belo par de horas na praia.

….—-Praia da Amoreira

Já o dia ia longo e antes de chegarmos ao local onde íamos passar a noite decidimos fazer uma última paragem na Praia da Amoreira. Como qualquer praia que está localizada na foz de um rio ou ribeira a sua paisagem fica sempre a ganhar. Localizada na foz da Ribeira de Aljezur a Praia da Amoreira é de uma beleza paisagística fenomenal. Do lado norte da praia realça-se o negro da arriba de xisto, na encosta sul o verde da vegetação que aflora sob as formações rochosas.

Quando a visitámos a maré encontrava-se vazia, pelo que originou uma apetecível lagoa, segura e propicia para as crianças que podem usufruir do ambiente fluvial que a ribeira proporciona.

No cimo da encosta encontramos outra maravilha que estávamos mesmo a precisar para apreciar as cénicas encostas da praia. Na Taberna do Gabriel II, deliciamo-nos com uns apetitosos percebes na companhia de uma imperial. Não podíamos pedir melhor final tarde do que este.

Dormida: De seguida dirigimo-nos a Aljezur onde iríamos pernoitar. Como já era tarde, deixamos para o próximo dia a nossa visita à vila. Acampámos no Parque de Campismo Serrão e ficámos fascinados com as condições que do parque. Com áreas bem delimitadas, cada zona possui bastante espaço para a tenda, espaço esse suficiente para deixar o carro mesmo ao lado dela. Os balneários bem higienizados e com várias divisões de banho, é ideal para que não existam as demoradas filas que atormentam os parques de campismo. Para nós o melhor parque de campismo da nossa roadtrip pela Costa Vicentina.

Dia 4 | Aljezur – Praia do Monte Clérigo – Praia da Arrifana – Praia da Bordeira – Praia do Amado – Aldeia de Pedralva

….—-Aljezur

Iniciámos o nosso quarto dia com uma visita à pequena vila algarvia de Aljezur, uma antiga vila mourisca onde lá no alto emerge um castelo com uma vista panorâmica soberba. Percorra o centro da vila entre os casarios brancos e suba tranquilamente pela estrada de empedrado até ao cimo da vila ao encontro do Castelo de Aljezur. A vila não é enorme, conhece-se facilmente a pé e é tão calma que fazer este passeio irá decerto saber-lhe tão bem.

Onde comer?

  • Pequeno Almoço:

Pão de Rogil: A poucos quilómetros de Aljezur encontramos a famosa padaria Pão de Rogil com mais de 50 anos de história. Confessamos que não sabíamos ao que íamos, mas encontramos uma moderna padaria/pastelaria com sabores diferentes do que estamos habituados, mas verdadeiramente deliciosos. O ponto forte é o pão de alfarroba, mas ficamos encantados com os seus pastéis de nata de alfarroba e de batata-doce.

  • Almoço/Jantar

Pizzaria Arte Bianca: Num ambiente descontraído em plena vila de Aljezur encontramos a Pizzaria Arte Bianca fundada por um casal italiano que manobra a massa e a arte de fazer pizza como ninguém.

….—-Praia do Monte Clérigo

A costa de Aljezur está rodeada de praias lindíssimas, selvagens que são o verdadeiro paraíso dos praticantes de surf. É por cenários naturais magníficos de cortar a respiração e de uma energia positiva contagiante, que Aljezur é a meca portuguesa de muitos amantes de natureza. A Praia do Monte do Clérigo é um desses grandes exemplos, um areal enorme que recebe com bons modos o mar sempre agitado. A praia está localizada numa pequena aldeia piscatória com as suas casas tradicionais brancas. Um local perfeito para relaxar!

….—-Praia da Arrifana

A Praia da Arrifana é possivelmente a mais conhecida das praias da região de Aljezur. Rodeada de altas arribas negras em forma de concha, esta praia de areal extenso, mas curto, é uma das mais procuradas para a prática de surf ou bodyboard. Embora seja propícia para a prática de desportos radicais aquáticos, o facto de estar entre rochedos que a protege do vento, forma uma pequena baia de ondulação média. Por isso, caso queira fazer praia e aventurar-se no mar o tamanho das ondas não é assim tão assustador. De uma beleza paisagística inquestionável a Praia da Arrifana é considerada por muitos a praia mais bonita da Costa Vicentina. Nós não conseguimos fazer uma ordenação, mas certamente que esta praia estaria no topo da lista.

….—-Praia da Bordeira

Não há areal como o da Praia da Bordeira! Se entrarmos pela parte inicial do areal apenas conseguimos observar ao fundo uma pequena linha azul que calculamos ser o mar. Percorrer todo o areal até ao mar é de cortar o fôlego. Pela lateral existe uma estrada que o deixará mais perto do mar. Existem os passadiços que dão acesso ao areal, mal se começa a descê-los somos logo presenteados pela beleza incrível desta praia. A espuma da ondulação contínua oferecem um espetáculo visual à paisagem já de si deslumbrante. A Praia da Bordeira é muito procurada para os aventureiros do kitesurf e de atividades radicais.

….—-Praia do Amado

A nossa jornada pelas praias da Costa Vicentina continuava bem entregue a praias que nos deixaram de queixo caído. A Praia do Amado, rodeada por arribas avermelhadas onde a vegetação deslumbra é de uma beleza cromática que nos deixou encantados. A fama das suas ondas torna apetecível para a prática de surf e bodyboard e é presença comum ver iniciantes da prática a aprender nas suas ondas.

….—-Aldeia de Pedralva

Nem só de praia se vive na Costa Vicentina. Não muito distante da costa encontramos a Aldeia de Pedralva, um refúgio de ruralidade que é tão difícil encontrar por estas bandas. Há cerca de 10 anos a aldeia encontrava-se completamente desertificada, mas felizmente foi descoberta por um lisboeta que ali decidiu comprar uma casa de férias. A seguir ao próprio seguiu-se um amigo e de repente surgiu a ideia junto de outros dois sócios de criar um empreendimento turístico de aldeia.

Atualmente com 24 casas de campo renovadas, de arquitetura tradicional algarvia onde o branco predomina, é possível pernoitar numa das suas casas de tipologia T1 e T3 capaz de albergar entre duas a oito pessoas. Nós ficámos encantados com a beleza desta aldeia!

Dia 5 | Praia da Cordoama – Cabo de São Vicente Fortaleza de Sagres – Sagres Burgau

….—-Praia da Cordoama

No nosso último dia pela Costa Vicentina e antes de nos dirigirmos à costa mediterrânica passamos pela bela Praia da Cordoama. Não é a praia que escolhêssemos para passar o dia, ou foi azar o nosso, mas achamo-la demasiado ventosa e violenta. Mas o nosso objetivo ainda pela manhã era estar um belo pedaço de tempo a observar o mar e o melhor que a natureza tem para nos dar e nisso a Praia da Cordoama é incomparável.

Ao lado da Praia da Cordoama pode encontrar a Praia do Castelejo que, embora semelhantes em beleza e nas condições naturais, destaco o Miradouro do Castelejo com uma vista deslumbrante sobre o mar.

….—-Cabo de São Vicente

Continuamos a descer junto à costa entre belíssimas paisagens naturais até ao Cabo de São Vicente, cabo que deu origem ao nome da Costa Vicentina. Localizado no extremo sudoeste de Portugal e da Europa, este cabo é considerado um local sagrado desde a época romana.

Se pretender visitar o Farol de S. Vicente pode-o fazer gratuitamente às quartas-feiras.

….—-Fortaleza de Sagres

A Fortaleza de Sagres é um local de uma importância incontornável na história de Portugal e está intimamente relacionado com os sucessos em plena época dos descobrimentos. Localizado na faixa costeira no cimo de uma escarpa vertiginosa, foi aqui que Infante D. Henrique no séc. XV planeou e preparou aquela que seria a fase mais heroica da história do nosso país. A Fortaleza de Sagres tornou-se o principal centro da atividade marítima portuguesa, reunindo ali os principais cartógrafos e navegadores que tentavam definir a estratégia e apurar as técnicas que seriam necessárias para que fosse possível “Dar novos mundos ao mundo”.

….—-Sagres (Praias de Sagres)

Sagres é uma bonita vila piscatória algarvia que aconselhamos conhecer a todos aqueles que não dispensam o encanto das praias algarvias na hora de escolher o local de férias, mas não são apreciadores dos magotes de pessoas que povoam os areais.

Ao longo da costa de Sagres irá encontrar praias lindíssimas como Mareta, Martinhal, Tonel e Beliche que, embora não sejam de fácil acesso, a sua beleza valem o esforço de as visitar. A leste de Sagres encontrará a Praia de Ingrima e Zavial que também tem a nossa aprovação.

Nota:

Artesanato da Mó: Na Estrada Nacional 268, entre a Fortaleza de Sagres e o Cabo de São Vicente encontramos paredes exteriores repletas de peças de artesanato. Artesanato da Mó é uma loja de cerâmica tradicional portuguesa que vende inúmeras peças lindíssimas e todas elas cheias de originalidade. Está tão bem decorada e com umas paredes tão fotogénicas que chama atenção de todos que por ali passam.

….—-Burgau

Burgau é a última paragem na nossa viagem à Costa Vicentina e confina com o fim do Parque Natural do Sudeste Alentejano. Apelidado de Santorini de Portugal, esta pequena vila pitoresca de casarios azuis e brancos dispersos na falésia dão mote às justas comparações com a afamada ilha grega. Uma vila acolhedora de ruas estreitas, onde o cheiro da boa comida se mistura com o cheiro do mar e das flores que encontramos a subir pelas casas. Um local de sonho que ficamos realmente dececionados apenas por não termos passado um pouco mais de tempo ali.

Faz download gratuito do roteiro da Costa Vicentina e tem acesso em qualquer lugar e a qualquer hora!

Artigos relacionados

Top 20 das nossas praias portuguesas favoritas

Serra da Arrábida: Guia e dicas de viagem

Leia também

3 comentários

Andreia 24/06/2020 - 11:29

Olá, Ioana e Fábio!
Ao pesquisar sobre roteiros da Costa Vicentina (para umas primeiras férias em casal), descobri-vos! Suspeito que vão ser a nossa inspiração para muitas mais férias e escapadinhas! Que óptimo trabalho que aqui têm (fotográfico e de escrita!).
Li todo o guia (e já tenho em formato pdf) mas queria colocar-vos 2 questões (desculpem este abuso!):
– em Vila Nova de Milfontes, houve alguma razão para escolherem o parque de campismo da Orbitur ao invés do outro existente (Camping Milfontes)? Pergunto isto pois os da Orbitur no geral parecem-nos “mais complicados” (preçários pouco claros no site, nº de noites mínima, etc.) e descobrimos o outro que nos pareceu bom mas que nos fez pensar que se vocês, que já têm experiência nestas andanças, escolheram o da Orbitur, se calhar foi por terem alguma razão (é “melhor”?; alguma má opinião quanto ao outro?);
– bem sei que é subjectivo mas julgam que, estando “on a budget”, não se justifica neste tipo de viagem bungalow/outro tipo de alojamento que não campismo? (já que, por um lado, será maioritariamente para dormir mas que, por outro lado, a viagem poderá ir causando algum cansaço – especialmente se forem mais dias – e o conforto poderá saber bem; estávamos a pensar talvez em alternar campismo com bungalows).
Muito obrigada! Vamos continuar a acompanhar-vos por aqui e pelo instagram!

Responder
pontodepartida 01/07/2020 - 18:58

Olá Andreia! Antes de mais muito obrigada pelas tuas palavras, ficamos realmente felizes em saber que gostas do nosso trabalho! ❤
Em relação às tuas questões, nós preferimos o parque de campismo Orbitur porque fica perto da praia do Malhão, que é uma das nossas favoritas da Costa Vicentina, e além disso já muitas pessoas nos tinham aconselhado, inclusive os bungalows. A nossa experiência no parque foi positiva, embora tenhamos estado em parques de campismo com melhores condições, principalmente nos balneários. Nunca estivemos no Camping Milfontes, mas já tivemos feedback positivo em relação a ele e tem o aspeto positivo de ficar perto do centro da vila de Milfontes.
Em relação à alternância entre campismo e bungalows, poderá ser vantajosa em termos de descanso. Na nossa roadtrip optámos por não o fazer tendo em consideração o nosso budget, mas realçamos que o facto de montar e desmontar a tenda torna-se cansativo 😅 por isso, se o vosso orçamento para as férias o permitir, poderá ser melhor fazerem essa alternância.
Esperamos ter respondido às tuas questões. Qualquer coisa mais que possamos ajudar é só dizeres! Um beijinho e boas viagens 😊

Responder
Andreia 19/07/2020 - 19:31

Muito obrigada por responderem, Ioana e Fábio! 😊 Vamos ter em conta estes vossos conselhos. Em princípio, afinal, vamos optar também pelo Orbitur. A alternância campismo-bungalows entretanto deixámos de parte (decidimos tornar esta viagem mais budget-friendly e em registo mais de aventura e em Setembro fazemos uma escapadinha de alguns dias num registo mais de conforto – claro que já cuscámos o vosso separador “escapadinhas”). Beijinhos! Boas viagens para vocês também (vamos acompanhar!) e obrigada pela disponibilidade 😊

Responder

Faça um comentário