fbpx

Ilha Terceira, o que visitar? Roteiro de 3 dias

por pontodepartida

Serena, sem multidões nem stress, a Ilha Terceira é o local certo para quem procura uma viagem em que a natureza é o centro das atenções. Dos prados verdejantes salta para o alcatrão o único congestionamento que irá encontrar, as vacas, que são sem dúvida o animal que o acompanhará durante toda a estadia. Nesta pequena brincadeira, vê-se o quão rural é a Terceira, uma ilha onde a agricultura, pecuária e a pesca são as principais atividades económicas e onde as tradições e os hábitos seculares estão plenamente conservados. Longe da gentrificação que tem acontecido na Madeira ou em São Miguel, a Ilha Terceira continua a manter a pureza e as paisagens longe dos espalhafatosos edifícios hoteleiros.

Terceira | Dicas

Quando visitar a Ilha Terceira?

O clima na Ilha Terceira é caracterizado como ameno, húmido, com precipitação regular e ventos por vezes fortes. Os Invernos não são rigorosos, mas são chuvosos e os dias de Verão são quentes, embora exista sempre a possibilidade de precipitar.

Assim, acreditamos que a melhor altura para visitar a Terceira é nos meses de Verão entre junho e setembro. Durante os meses de verão ocorrem diversos eventos na ilha, um dos mais conhecidos são as tradicionais touradas à corda, que ocorrem um pouco por toda a linda. Nos meses de verão ocorrem ainda as festas profanas, as Festas Sanjoaninas, enchendo Angra de Heroísmo de espetáculos culturais, música e desporto.

Como chegar à Ilha Terceira?

A melhor forma de chegar à ilha é de avião. Existem voos diretos, tanto de Lisboa como do Porto, das companhias: TAP, Ryanair e Azores Airlines. Se procurar com alguma antecedência encontrará bilhetes de ida e volta a preços bastante convidativos: entre 30€ e 50€.

Caso pretenda deslocar-se de uma outra ilha dos Açores até à Terceira é possível chegar de avião, mas unicamente através da companhia SATA. De barco, se vier de uma ilha de um grupo central (Pico, São Jorge, Faial e Graciosa) é possível fazer a ligação através da companhia Atlântico Line.

Como viajar para a Ilha Terceira em tempos de Covid-19?

Viajar para os Açores, tanto para a Ilha Terceira como para as restantes ilhas, tem algumas condicionantes devido à pandemia Covid-19, mas nada que o deva preocupar. Para a viagem ser tranquila, siga estes passos para evitar complicações burocráticas:

  • Apresentar teste negativo Covid-19 à chegada (deve marcar o teste 72 horas antes do voo). O teste é gratuito, sendo o valor do teste comparticipado pelo Governo Regional dos Açores num dos laboratórios existentes na seguinte lista. Os resultados num prazo, por norma, de 24h serão enviados para si e para Direção Regional de Saúde.
  • Após receber o teste negativo, deve preencher o Questionário de Avaliação do Risco e Detenção Precoce online que se encontra disponível no site MysafeAzores. No fim de preenchido gerará um código que deve mostrar junto da Autoridade de Saúde no desembarque.

Como se deslocar na ilha Terceira?

Para visitar a Ilha Terceira e aproveitar todos os locais fantásticos que ela tem para oferecer é necessário recorrer ao aluguer de um automóvel. Através de uma recomendação de um amigo decidimos alugar diretamente na Autatlantis e correu muitíssimo bem, não tivemos problemas nem com o automóvel nem com a entrega do mesmo.

Caso não alugue automóvel pode recorrer à Empresa de Viação Terceirense e conhecer algumas localidades através de autocarro. Contudo, como disse inicialmente, de autocarro não irá conseguir aceder a todos os locais que merecem a visita.

Onde dormir na Ilha Terceira?

A área da ilha Terceira não é enorme pelo que facilmente se atravessa a ilha de uma ponta à outra num curto espaço de tempo. Nesse sentido, a localização do local de alojamento perde importância, podendo ficar alojado em qualquer ponto da ilha. Ainda assim, os pontos mais comuns para ficar hospedado é em Angra do Heroísmo ou na Praia de Vitória.

Na nossa passagem, ficamos hospedados no Hotel do Caracol, a cerca de 2km do centro de Angra do Heroísmo. Um hotel de quatro estrelas, encostado à costa (mesmo ao lado da Zona Balnear da Silveira), com quartos bem equipados e confortáveis. O que destacamos é a piscina com vista para o mar e o pequeno-almoço que tinha grande variedade de produtos.

Onde comer na Ilha Terceira?

A gastronomia na Ilha Terceira é generosa e diversificada, tendo bons pratos, tanto de carne, pelas tradições pecuárias e de pastorícia, mas também de peixe, ou não estejamos nós a falar de uma ilha. O prato típico da Terceira, é a Alcatra, que é um prato confecionado lentamente num pote de barro com um molho intenso, mas saboroso de cebola, toucinho, vinho, louro e pimenta e depois a base do prato pode ser ela de peixe ou de carne. Uma verdadeira delícia. Na doçaria, o doce típico é a Dona Amélia, um bolo feito para a receção da rainha D. Amélia em 1901 que é feito com mel de cana, canela, cidra e corintos.

Na nossa passagem conseguimos conhecer dois restaurantes e ficamos impressionados com ambos:

  • Restaurante Ti Choa (Serreta)

O restaurante Ti Choa é o local indicado para quem deseja provar a famosa Alcatra de carne. Na nossa visita decidimos experimentar aquilo que nos foi aconselhado, um menu de degustação que consistia num conjunto de pratos tradicionais da Terceira onde, claro, estava incluída a tradicional alcatra. Adoramos este restaurante, estava tudo delicioso e além disso fomos recebidos com imensa simpatia tornando a refeição ainda melhor.

  • Restaurante Beira Mar (São Mateus da Calheta)

O Restaurante Beira Mar localizado na vila piscatória de São Mateus da Calheta é o local indicado para provar os fantásticos peixes e mariscos da costa da Terceira. Na nossa visita, iniciámos com umas lapas divinais e provamos pela primeira vez cracas que estavam igualmente deliciosas. Seguimos para um dos pratos mais carismáticos deste restaurante, uma sopa de marisco servida dentro de um pão caseiro e terminamos com mista de peixes grelhados típicos da costa, que continha os seguintes peixes: boca negra, cântaro e lírio. Não se assustem, esta comida toda não foi unicamente para nós, éramos quatro pessoas 😊

Terceira | Roteiro 3 dias

O roteiro que realizamos é de 3 dias pela Ilha Terceira em que embora seja suficiente para visitar os principais pontos não é suficiente para desfrutar calmamente dos locais fantásticos da ilha. Por isso se pretender relaxar nas suas fantásticas zonas balneares e realizar alguns percursos pedestres pela ilha acreditamos que uma duração entre 5 a 7 dias seria o ideal. Contudo apresentamos as nossas dicas de locais a visitar num formato de roteiro que realizamos para 3 dias.

1º Dia

1º Centro histórico de Angra do Heroísmo

A nossa primeira paragem na Ilha Terceira foi a sua capital, Angra do Heroísmo. Uma cidade, com vida e com muitos locais para conhecer, principalmente no seu centro histórico que é distinguido como Património da Humanidade pela UNESCO.

Na nossa passagem começamos visita pelo ponto mais alto, o Alto da Memória, onde temos a melhor vista sobre a cidade e principalmente sobre o Jardim Duque da Terceira, que é o jardim mais bonito e conhecido da ilha.  Ao lado do jardim encontra-se o Palácio dos Capitães Generais, um conjunto de edifícios onde esteve instalado o Colégio da Companhia de Jesus até à expulsão dos jesuítas que ocorreu no século XVIII, sendo a partir daí a casa onde ficava hospedado o Capitão-General que administrava a ilha.

Em frente encontramos a Praça Velha e seguimos até à Igreja do Santíssimo Salvador da Sé, conhecida como Igreja da Sé, a principal catedral da ilha que ao longo da sua existência já superou diversas adversidades, desde sismos a incêndios. Seguindo em direção ao oceano, até ao cais da Alfandega, irá encontrar a Igreja da Misericórdia e à sua frente uma estátua em homenagem a Vasco da Gama e um pouco mais à frente a Marina de Angra.

2º Monte Brasil

Um dos locais mais procurados por quem visita a cidade de Angra do Heroísmo é a península do Monte Brasil que foi constituída após o abatimento de um cone vulcânico e é composta por uma caldeira vulcânica com quatro picos: Pico do Facho, Pico das Cruzinhas, Pico da Quebrada e o Pico Zimbreiro. É no alto dos seus picos que conseguimos ter acesso às paisagens fascinantes sobre a cidade de Angra, sobre toda a baía e para as localidades mais próximas. A cobertura vegetal do Monte Brasil é classificada como Reserva Florestal de Recreio.

A rodear a península estão as muralhas da Fortaleza de São João Baptista, um forte construído pelos espanhóis, entre o final do século XVI e o início do século XVII, com o objetivo de proteger as naus da Carreira e do Brasil dos ataques dos piratas e dos corsários.

3º Miradouro da Cruz do Canário

Saímos de Angra do Heroísmo em busca das paisagens menos urbanas, no fundo aquilo que nos motivou a conhecer a Ilha Terceira. Antes de chegarmos ao miradouro fizemos um pequeno desvio na vertiginosa Fajã do Fischer, na localidade de Feteira, que é uma fajã lávica que teve origem numa erupção vulcânica do Algar do Carvão, um dos locais mais populares da ilha. No fim da descida estará de frente para o Ilhéu das Cabras.

Mais à frente encontramos um dos melhores miradouros da ilha, o Miradouro da Cruz do Canário, onde conseguimos ter a melhor vista sobre o Ilhéu das Cabras. A cerca de 1000m da costa, estes ilhéus são os maiores do arquipélago dos Açores.

Coordenadas: 38°38’40.0″N 27°07’53.5″W

4º Porto Judeu

Seguimos até Porto Judeu para conhecer as suas famosas piscinas naturais, conhecidas como Piscina Natural do Refugo, que são muito frequentadas pelos locais mais também por alguns turistas. Na região central da vila encontramos também o Império do Espírito Santo de Porto Judeu, um dos 45 impérios coloridos que encontramos ao redor da ilha em homenagem ao divino.

Já a caminho de Salga encontramos um sítio fantástico, a Gruta das Agulhas, uma gruta de origem vulcânica que teve origem no escoamento de lava de uma erupção do Algar do Carvão. A galeria principal desta gruta tem 250 metros e para termos acesso devemos seguir junto ao mar pela arriba. No interior encontramos diversas estalactites e diversos formatos na crosta rochosa, além de uma paisagem linda para o Atlântico.

Coordenadas Gruta das Agulhas: 38°38’39.9″N 27°06’18.7″W

5º Praia de Salga e Farol das Contendas

Continuamos junto à costa e fizemos uma paragem para conhecer a Zona Balnear da Salga, onde as águas reluzentes nos convidam a mergulhos. Em redor tem uma piscina natural e um longo espaço cimentado onde nos é possível estender toalha. Para quem quiser por ali permanecer tem um parque de campismo mesmo em frente à praia.

Já no caminho para a extremidade este da ilha paramos para admirar a vista para o mar nas proximidades do Farol das Contendas. Este farol foi construído em 1934 para colmatar uma zona obscura, uma vez que na época navegavam várias embarcações entre o Monte Brasil até à Ponta da Serreta, tendo sido ali edificado um farol por segurança.

2º Dia

1º Porto Martins

Iniciámos o segundo na região costeira de Porto Martins e logo na sua entrada visitamos a Praia dos Salgueiros que é outro excelente espaço para ir a banhos. Na rocha escura foi construída uma piscina natural que tornam os banhos mais acessíveis e ao redor encontra-se muito espaço para permanecer, até uma área considerável de zona relvada. Nas imediações pode ainda realizar um piquenique, existindo espaço com mesas e cadeiras e até grelhadores.

No interior da vila paramos para apreciar o Império do Espírito Santo de Porto Martins, outro colorido e carismático império que é uma das mais importantes manifestações culturais da Terceira.

2º Praia da Vitória

A Praia da Vitória é um dos locais mais movimentados e urbanos da Terceira onde encontramos um pouco de tudo: miradouros, monumentos e, claro, praias. Como o próprio nome indica, praias não faltam, e claro, areia escura. A Praia Grande, é a mais conhecida, fica mesmo encostada à cidade e tem um areal enorme sendo por isso bastante prática. Um pouco mais escondida temos a Praia da Riviera, localizada perto do Porto Marítimo da Praia da Vitória, mas que é bastante mais sossegada e paisagisticamente muito bonita.

No centro da cidade sente-se ainda o espírito animado, mas já sem o convívio das centenas de norte-americanos e ingleses que por ali habitaram nos tempos áureos da base das Lajes. Ainda assim, na Praia da Vitória vai encontrar uma marginal com vários cafés e restaurantes que se enchem, em particular na época alta. A Igreja Matriz de Santa Cruz localizada no centro histórico é a segunda igreja mais antiga da ilha e um exemplo de perseverança, uma vez que devido a várias tempestades e sismos tem necessitado de muitas obras de recuperação. Relativamente perto, encontrará também a Casa Vitorino Nemésio, casa-museu onde o escritor viveu parte da sua vida.

Uma das melhores vistas da Terceira, e sem dúvida a melhor vista para a Praia da Vitória, é do Miradouro do Facho onde se encontra uma estátua com cerca de 6 metros de altura em homenagem ao Imaculado Coração de Maria.

Coordenadas Miradouro do Facho: 38°44’00.7″N 27°03’14.5″W

3º Miradouro Humberto Delgado

Acho que foi a primeira vez que conhecemos um miradouro com vista para um aeroporto! O Miradouro Humberto Delgado tem uma vista privilegiada sobre a pista de aterragem das Lajes, onde conseguimos ver os aviões a levantar e aterrar na perfeição. Do miradouro, conseguimos ainda admirar a beleza do verde que rodeia a Serra do Cume.

Curiosidade: Porque é que a Base das Lajes é tão conhecida?

A Base das Lajes foi durante muitos anos uma importante base geoestratégica americana. Na zona das Lajes instalaram-se largas centenas de americanos, tanto que o bairro americano das Lajes é um mundo completamente díspar da realidade da ilha. Hoje em dia a ocupação americana reduziu consideravelmente, mas a Base das Lajes foi durante largos anos um dos principais órgãos propulsores da economia da Terceira.

O interesse dos EUA surgiu após a II Guerra Mundial, em plena Guerra Fria com a URSS, devido ao seu posicionamento estratégico em pleno Atlântico.

Coordenadas: 38°45’14.8″N 27°04’22.8″W

4º Miradouro da Serra do Cume

Seguimos até um dos locais mais carismáticos da ilha, o Miradouro da Serra do Cume onde vimos uma das melhores paisagens que já tivemos oportunidade de admirar! Uma verdadeira manta de retalhos com as mais variadas tonalidades de verde salpicadas ali e acolá com as verdadeiras donas de todos estes prados, as vacas. Uma paisagem rural que nos ensina que é na simplicidade que encontramos a verdadeira beleza.

Coordenadas: 38°42’34.1″N 27°06’43.8″W

5º Zona Balnear das Escaleiras

Voltamos à região costeira da ilha para irmos ao encontro de uma piscina natural que desta feita convenceu-nos mesmo a ir a banhos, a Zona Balnear das Escaleiras. O azul da água contrasta com o negro da rocha basáltica que envolve e que torna esta praia um pequeno paraíso. Tem boas infraestruturas, um bom estacionamento e fácil acesso.

6º Miradouro da Alagoa

Continuando a percorrer a costa nordeste da ilha encontramos o Miradouro da Alagoa que o elegemos como o melhor local para observar da beleza das arribas rochosas que são uma fusão de tonalidades, entre a rocha escura e o verde da vegetação que teima em florescer por entre elas. Como pano de fundo temos a imensidão do mar que transborda a serenidade que o local merece para ser perfeitamente apreciado.

Coordenadas: 38°47’45.4″N 27°11’31.2″W

7º Quatro Ribeiras

Terminamos o nosso segundo dia, numa localidade pequena, mas com vários locais que nos chamaram a atenção. No centro da localidade de Quatro Ribeiras encontra-se a Igreja de Santa Beatriz que chama a atenção pela sua imponência diferente de tudo o que a rodeia e tem a curiosidade de ter sido a primeira igreja a ser construída na ilha que, segundo as inscrições, terá sido erguida entre 1455 e 1460. Ao lado da igreja está localizado o Império do Espírito Santo das Quatro Ribeiras, mais um exemplar do vasto conjunto de impérios da ilha.

Embora pareça imensa coisa a conhecer para uma localidade tão pequena, o principal destaque são as Piscinas Naturais das Quatro Ribeiras, que são um conjunto de piscinas naturais envoltas em formações rochosas resultantes da solidificação da lava, originando a rocha basáltica que, com o decorrer dos séculos, tem sofrido um processo de erosão. A circundar as rochas estão as águas cristalinas, e são elas o motivo da procura, é a sua transparência e as excelentes condições do espaço que atraem tantos populares e turistas.

À saída de Quatro Ribeiras, na estrada que segue em direção a Biscoitos, encontramos o Miradouro dos Moinhos, um miradouro que permite observar tanto a aldeia das Quatro Ribeiras como boa parte da costa norte.

Coordenadas do Miradouro dos Moinhos: 38°47’25.4″N 27°13’47.1″W

3º Dia

1º Algar do Carvão

O nosso terceiro dia começou pelas terras de Porto Judeu, numa das principais atrações da Ilha Terceira, o Algar do Carvão. Trata-se de uma visita ao interior de uma chaminé vulcânica com cerca de 100 metros de profundidade que foi adaptada com escadas e túneis para a visita turística através da Associação “Os Montanheiros”. A visita ao interior de uma antiga chaminé vulcânica é única, chaminé revestida nas partes cimeiras de vegetação e no interior encontramos belos exemplares de estalactites sílicas nos tetos dos túneis.

A formação deste algar estima-se que tenho ocorrido à mais de 2000 anos, resultante de uma erupção efusiva que resultou num derrame de lava que carbonizou toda a vegetação em redor. Na fase final da erupção, o magma desceu para a câmara magmática quase instantaneamente, feito esse responsável pela formação do algar.

Dica: Algar do Carvão

A visita ao Algar do Carvão tem o custo de 8€. Caso pretenda visitar também a Gruta de Natal o método mais económico é comprar o bilhete conjunto Algar do Carvão + Gruta de Natal por 12€. Os horários de visita são algo condicionados por isso fique a conhecê-los no site da Associação “Os Montanheiros”.

2º Furnas de Enxofre

Continuando no domínio da geologia fomos conhecer o melhor exemplo do vulcanismo ainda existente na Terceira, um conjunto de fumarolas que emitem constantemente gases com cheiro a enxofre. Para além das fumarolas, que é possível conhecer através de um pequeno percurso em passadiços de madeira, pode ainda desfrutar das espécies vegetais únicas oriundas deste microclima húmido e de constantes ataques químicos provenientes do interior da terra.

3º Gruta de Natal

A próxima paragem foi na Gruta de Natal, um tubo lávico de quase 700 metros de comprimento, que é possível conhecer num trajeto circular entre estalactites, estalagmites e balcões laterais. O percurso tem alguns desníveis e para conhecer certas zonas temos de nos baixar ligeiramente, mas ainda assim consideramo-lo bastante acessível. O nome atual da gruta deve-se à tradição iniciada pela Associação “Os Montanheiros” de celebrar uma missa de natal no interior da gruta. Além da missa já se celebrou batizados e casamentos no seu interior.

Dica: Percurso Pedestre dos Mistérios Negros

Junto à Gruta de Natal, e nas proximidades da Lagoa Negra, inicia-se um dos percursos pedestres mais conhecidos da Terceira. O Percurso dos Mistérios Negros tem a extensão de aproximadamente 5km com uma duração de cerca de 2.30h e um grau de dificuldade elevado. Ao longo do percurso encontram-se vários montes de rocha preta oriundos da acumulação de lava vulcânica, facto esse que os populares à época não conseguiam explicar, sendo esse o motivo do nome do trilho, Mistérios Negros. Em plena Reserva Natural da Serra de Santa Bárbara e dos Mistérios Negros este percurso é a forma perfeita de conhecer a biodiversidade terceirense.

4º Lagoa das Patas

A pouca distância da Gruta de Natal está outro local incrível, a Lagoa das Patas, uma lagoa artificial com água proveniente da Serra de Santa Bárbara. Ao redor da lagoa existe um denso bosque de criptomérias que oferece uma boa dose de misticismo à lagoa, mas onde também abundam as tradicionais hortênsias. A Lagoa das Patas é o sítio ideal para a realização de um piquenique, existindo excelentes infraestruturas, desde mesas, cadeiras e grelhadores.

5º Biscoitos

Saímos do interior da Terceira em direção à costa norte da ilha até à localidade de Biscoitos, que é conhecida essencialmente por duas boas razões em particular: por ser uma região vinícola e pelas suas belas piscinas naturais.

As Piscinas Naturais de Biscoitos são uma das melhores zonas balneares da ilha e, por isso, também uma das mais procuradas. No espaço existem diversas piscinas naturais rodeadas por rochas vulcânicas negras, originadas pelas escoadas lávicas que se direcionavam até ao mar. Embora naturais, os acessos foram arranjados e existem locais para as pessoas permanecerem e zonas de mergulho. Perto destas piscinas existe ainda outra zona balnear, a Calheta dos Lagadores, que é ligeiramente menos procurada e, para nós, ainda mais original.

Biscoitos é ainda conhecido como sendo uma região vinícola onde é originário o vinho de Biscoitos, atualmente uma região demarcada. A melhor forma de conhecer a sua história, as videiras e o processo de fabrico, é visitar o Museu do Vinho onde terá a oportunidade de o visitar com a ajuda de uma guia para o informar de tudo.

6º Mata da Serreta

A noroeste da ilha encontra-se a Reserva Florestal de Recreio da Mata da Serreta, um denso bosque com diversa vegetação onde abundam pinheiros, eucaliptos e fetos. Inaugurado em 1950 este parque foi o primeiro espaço de lazer a ser construído para a população. Atualmente é um local muito procurado para a realização de piqueniques onde, para além das infraestruturas normais dos parques de merendas, tem ainda um parque infantil e casas de banho.

Imperdível é a passagem pelo Miradouro da Serreta que está localizado sobre uma corrente de lava originada na erupção do vulcão de Santa Bárbara que ocorreu em 1761. A paisagem é incrível, onde para além de todo o verde é possível, em dias de céu limpo, avistar as ilhas da Graciosa e São Jorge.

7º Miradouro da Ponta do Queimado

Uns quilómetros depois, ainda por entre as estradas verdes da Mata da Serreta, inicia-se a descida por uma estrada ingrime, mas bastante bonita, que o leva até à beira mar para conhecer o Miradouro da Ponta do Queimado. Deste miradouro consegue ver boa parte da costa oeste da ilha e, claro, o lindo e calmo mar da Terceira.

Coordenadas: 38°46’01.4″N 27°22’32.2″W

8º Miradouro de Santa Bárbara

Continuamos na procura das melhores paisagens da ilha Terceira, desta vez foi hora de parar no Miradouro de Santa Bárbara onde, para além da vista para o oceano, temos o privilégio de admirar a paisagem rural, dos campos agrícolas e de pastagem da localidade das Doze Ribeiras.

Como no momento da nossa visita o miradouro estava pouco frequentado pudemos relaxadamente apreciar a calma e beleza de todo o lugar. Se tiver tempo dirija-se até ao interior da aldeia de Doze Ribeiras e conheça a simplicidade e a simpatia da sua população.

Coordenadas: 38°41’27.5″N 27°21’15.3″W

9º Queijo Vaquinha

Depois de conhecer os locais fantásticos da ilha Terceira era hora de realizar uma paragem técnica para ganhar mais alguma energia para o pouco que restava deste último dia. Fomos até à Queijaria Vaquinha que, segundo consta, é a queijaria mais antiga da Terceira e onde, para além da possibilidade de comprar queijo, pode também degustar os diferentes tipos de queijo que fabricam. Não resistimos e provamos o seu menu degustação e não conseguimos decidir qual deles o melhor. É um local de passagem obrigatória, principalmente para os amantes de queijo.

10º Zona Balnear das Cinco Ribeiras

Do Queijo Vaquinha se continuar a descer em direção à costa irá chegar à Zona Balnear das Cinco Ribeiras, um dos melhores locais para ir a banhos na Terceira. Com várias piscinas naturais, e com a possibilidade de se banhar ainda no mar agitado da zona, este local é muito procurado nos meses de verão pela população local e também pelos turistas.

11º São Mateus da Calheta

Seguimos até à vila piscatória de São Mateus da Calheta vila onde, para além da praia e do seu património histórico, é o sítio indicado para provar os maravilhosos peixes e mariscos da ilha.

Nas imediações do Porto de Negrito pode ir a banhos na Zona Balnear do Negrito que dispõe de umas cuidadas piscinas naturais que costumam ser bastante frequentadas durante os meses de verão. Ao redor, em rocha preta, localiza-se o Forte do Negrito, construído em 1560 em posição privilegiada para proteção deste trecho do litoral da ilha dos ataques de piratas que eram frequentes na época.

Nesta vila vale ainda a pena conhecer o Porto de São Mateus, um dos mais importantes portos piscatórios da ilha e, em frente, localiza-se o Forte de São Mateus. Relativamente ao património religioso, dar um pulinho até à Igreja Velha de São Mateus da Calheta, localizada bastante perto do mar e que se encontra muito danificada devido ao furacão de 1893.

12º Zona Balnear da Silveira

Terminamos o dia na Zona Balnear da Silveira que fica localizada mesmo ao lado do hotel em que ficamos hospedados, o Hotel do Caracol. A água, com uma tonalidade de azul soberba que a Terceira nos habitou, é hipnotizante e torna-se difícil evitar um mergulho. A praia está localizada num antigo porto de pesca e as infraestruturas existentes são hoje usadas para ir a banhos. Por estar a cerca de 2km do centro de Angra do Heroísmo esta zona balnear é uma das mais procurados pelos populares.

Leia também

4 comentários

Luis Cabral 19/08/2021 - 19:33

Nos restaurantes, podem acrescentar o Caneta e As Tias: estive nos dois em junho e recomendo.
De resto, parabéns pela excelente e muito completa reportagem.
Força para o V/ projeto!

Responder
pontodepartida 20/08/2021 - 08:43

Olá Luís! Obrigada pelas sugestões, na próxima visita à Terceira vamos experimentar esses restaurantes, também somos fãs de boa comida 😁
Muito obrigada pelo seu feedback, tudo a correr bem e boas viagens! 🥰

Responder
Honorina 04/09/2021 - 09:04

Mais uma vez obrigado por partilharem essas lindas fotos e a vossa experiência

Responder
pontodepartida 06/09/2021 - 10:52

Obrigada nós pelas suas palavras! Tudo de bom e boas viagens 🥰

Responder

Faça um comentário