fbpx

Lisboa, o que visitar? Roteiro de 3 dias

por Fábio Santos

Tal como as grandes capitais, saber o que fazer em Lisboa num curto espaço de tempo torna-se um verdadeiro quebra-cabeças face à quantidade de locais de interesse e experiências que a capital portuguesa oferece. Ao longo do nosso artigo damos a conhecer as nossas dicas de viagem e roteiro para três dias únicos em Lisboa.

São sete as colinas que abrigam Lisboa, onde estão guardados alguns dos principais tesouros de Portugal e onde vagueia o carisma e a genuinidade do povo português. Não somos nós que o dizemos, são os turistas que nos enchem de orgulho ao nos batizarem como um dos povos mais hospitaleiros e simpáticos.

A verdade é que a capital portuguesa, é uma cidade descontraída com excelente vida noturna, monumentos e museus para visitar, boa gastronomia e vistas deslumbrantes tanto sobre a cidade como sobre o Tejo.

Lisboa | As nossas dicas

Lisboa é uma cidade super trendy, não é novidade nenhuma que a capital portuguesa está na moda e é procurada por turistas dos sete cantos do mundo. Uma cidade que se inova a cada dia, mas ainda assim não perde a sua essência, o seu carisma, numa mistura entre o novo e o tradicional. Com a constante mudança surgem novas oportunidades, novos lugares e novas atividades a cada dia. Conheça as nossas dicas gerais para uma visita que vá ao encontro do seu perfil de turista:

  • Os principais monumentos e museus portugueses são gratuitos aos domingos e feriados até às 14h para os residentes em Portugal Continental;
  • Utilize o cartão de estudante ou o cartão jovem para descontos significativos nas principais atrações;
  • Considere adquirir o Lisboa Card para economizar dinheiro durante a sua visita. Existem três modalidades de cartão e dão acesso tanto a transportes públicos como às principais atrações;
  • Visite Lisboa pela mão do Elétrico 28, 12 ou 15. Estes meios de transportes típicos de Lisboa atravessam grande parte da cidade e são uma excelente forma de conhecer os locais de maior interesse.
  • Conheça Lisboa de uma outra perspetiva. Se gosta de andar de barco, desfrute de um belo passeio pelo Tejo sempre com a cidade como pano de fundo. Consulte este tour
  • Assista a uma noite de fados, nas casas de fado tradicionais de Lisboa.
  • Desfrute da noite cosmopolita e divertida, no Bairro Alto ou no Cais do Sodré.
  • Fique hospedado numa das moradias recuperadas da Baixa Pombalina.
  • Visite Lisboa no mês de junho e deixe-se encantar pelos arrais dos Santos Populares. Não se esqueça de provar a sardinha assada.

Lisboa | Transportes

Há semelhança das grandes capitais europeias existem diversos meios de transporte (metro, elétricos, comboios, barco) que facilitam a visita e permitem conhecer Lisboa em toda a sua extensão e com preços bastante em conta.

Lisboa é uma cidade onde os locais de maior interesse turístico estão concentrados numa área que se consegue perfeitamente realizar a pé, fora uma ou outra exceção. Nesse caso, acreditamos que a melhor forma de realizar os trajetos é de metro ou de autocarro.

A rede de metro é bastante ampla e permite aceder aos principais pontos de interesse da cidade, bem como ao aeroporto ou aos principais terminais de autocarro. No site da Carris encontra explicitada a melhor rota para o caminho que pretende, bem como o respetivo custo.

Os bilhetes podem ser comprados nas máquinas automáticas existentes em todas as estações ou nas cabines. Os bilhetes de autocarro e elétrico pode comprar junto do motorista. Um bilhete de metro/autocarro único custa 1,50€, pode consultar as restantes tarifas aqui.

Lisboa | Roteiro de 3 dias

Roteiro de 3 dias pelas principais atrações de Lisboa, os percursos podem ser realizados a pé podendo alguns trechos ser realizados com o auxílio do elétrico. Os roteiros são planeados para um dia completo pelo que iniciamos logo pelo início da manhã e terminamos no final do dia. Aconselhamos a utilização de calçado confortável de caminhada devido ao elevado número de quilómetros realizados por dia.

1º Dia

1 – Terreiro do Paço (Praça do Comércio)

Começamos a nossa visita à cidade pelas ruas aprumadas da Baixa Pombalina, uma das regiões mais bonitas e carismáticas de Lisboa. Partimos em primeiro lugar do grandioso Terreiro do Paço, também conhecido como Praça do Comércio, uma das maiores praças da Europa e um dos locais mais simbólicos de Lisboa. Após o terramoto de 1755 que destruiu a zona baixa da cidade, Lisboa foi reconstruída pela mão de Marquês de Pombal, sendo por ele erguida a famosa Praça do Comércio.

No centro da praça ergue-se a estátua de D. José I, rei responsável pela reconstrução de Lisboa após terramoto e, numa das suas entradas, encontramos um dos monumentos mais originais, o Arco da Rua Augusta.  Do outro lado do Terreiro do Paço, de frente para o rio está localizado o Cais das Colunas, um dos melhores locais para apreciar o pôr-do-sol nas águas do Tejo.

O Terreiro do Paço é um excelente local para descontrair e aproveitar a sua grandiosidade num dos muitos cafés e restaurantes que por ali se localizam. Lisboa merece essencialmente ser conhecida dessa forma, descontraída.

De todos os cafés destaca-se o centenário Café Martinho da Arcada conhecido por ser frequentado pelas grandes figuras da literatura e política portuguesa, entre elas Fernando Pessoa cujo sua assiduidade lhe valeu uma mesa permanentemente reservada.

Dica: Subir ao Arco da Rua Augusta

A melhor forma de apreciar a vista para o Terreiro do Paço e seus arredores é subir o Arco da Rua Augusta. O valor do bilhete é de 3€.

2 – Rua Augusta

Após passarmos pelo triunfal arco, estamos numa das principais artérias da cidade a Rua Augusta, onde os seus edifícios foram reconstruídos após o terramoto de 1755 e até aos dias de hoje mantém um excelente estado de conservação. Ao longo da rua irá encontrar diversos restaurantes que estendem as suas mesas em plena estrada e muitas lojas das principais marcas internacionais. Se pretender mimar-se com algum presente, está no local certo!

3- Elevador de Santa Justa

Ao seguir pela Rua Augusta certamente irá deparar-se à sua esquerda com o enorme Elevador de Santa Justa (também conhecido como Elevador do Carmo), uma estrutura metálica neogótica construída com a função de ligar a Baixa Pombalina (zona baixa) ao Largo do Carmo (zona alta). Uma construção de uma beleza incomum datada de 1902 totalmente composta por ferro fundido e com apontamentos em filigrana. É sem dúvida uma das imagens de marca da Baixa de Lisboa.

Dicas:

Horário: 7.30h às 23h (Maio a Outubro) e das 9h às 21h (Novembro a Abril)

Preço: Conhecer unicamente o miradouro (1.50€), subida de elevador (5,30€)

4 – Rossio (Praça D. Pedro IV)

No final da rua Augusta chegamos a outra das principais praças da cidade, a Praça D. Pedro IV também conhecida como o Rossio. Ao centro encontra-se a estátua de D. Pedro IV, rei de Portugal e primeiro rei do Brasil (1798-1834) e ao fundo o magnifico Teatro Nacional D. Maria II.

Se seguir pelo lado direito encontrará a Praça da Figueira onde mais uma vez se ergue uma estátua, desta feita de D. João I. Nessa praça encontra-se a Confeitaria Nacional, uma das pastelarias históricas de Portugal, onde se pode deliciar com os seus fantásticos bolos.

5 – Bairro da Mouraria

Entramos agora na Lisboa autêntica, nos seus bairros labirínticos plantados nas encostas cheios de carisma e autenticidade. A Mouraria, é um desses barros carismáticos conhecido com sendo o berço do fado, e como é normal, aqui e ali encontrará as tradicionais casas de fado.

Caso parta da Praça da Figueira siga pela Rua da Madalena e suba depois nas Escadinhas de São Cristóvão onde se encontra o já conhecido grafiti em homenagem ao Fado, Património Imaterial da Humanidade. 

6 – Castelo de São Jorge

Seguimos pela ingrime encosta do Bairro da Mouraria até ao Castelo São Jorge, um dos símbolos da cidade de Lisboa, nem que não seja por ser avistado um pouco por toda a parte.

As primeiras marcas do castelo remontam ao século I a.C. tendo sofrido diversas alterações ao longo dos anos e povoado por diferentes povos. Em mau estado de conservação, em 1940 iniciaram-se importantes obras de restauro que o deixaram em perfeitas condições mantidas até aos dias de hoje.

Além da estrutura irrepreensível deste exemplar que remonta à Idade Média, a sua localização, dominante no topo da mais alta colina do centro histórico, é perfeita para admirar as vistas deslumbrantes sobre a cidade e sobre o Tejo.

A apenas 2 minutos do Castelo de São Jorge encontra-se o Miradouro do Recolhimento, um dos miradouros mais desconhecidos da cidade onde pode apreciar de uma vista extraordinária sobre Alfama, Mosteiro de São Vicente e sobre a Igreja de Santa Engrácia.

Dicas:

Horário: 10.00h às 19h

Preço: Normal: 10€ | 10-25 anos: 5€ | +65 anos e pessoas com deficiência: 8,5€

Bilhetes Online: Website

7 – Bairro da Graça

Caminhar por Lisboa tem tanto de bonito como de sofrido, por culpa da sua acidentada morfologia, mas chegar ao Bairro da Graça vale certamente a pena. Um dos bairros místicos da cidade, onde a agitação e áurea lisboeta ainda prosperam.

Além das tradicionais ruas apertadas e do ambiente descontraído, o grande motivo da nossa visita são as vistas maravilhosas dos seus miradouros: Miradouro da Graça e o Miradouro da Nossa Senhora do Monte. O primeiro é o mais movimentado e conhecido, junto à Igreja da Graça e ao Convento da Graça (que também merecem a visita), que tem uma vista maravilhosa onde é costume ver muitas pessoas a apreciaram a beleza da capital portuguesa.

O Miradouro da Nossa Senhora do Monte é um pouco mais afastado e um pouco menos conhecido onde pode desfrutar de uma panorâmica incrível sobre a cidade e sobre o rio e possivelmente um pouco mais descansado.

8 – Igreja e Mosteiro de São Vicente de Fora

Após nos perdermos nos encantos do Bairro da Graça descemos até ao Bairro de São Vicente à procura de uma das mais imponentes construções da cidade, o Mosteiro de São Vicente de Fora.

Considerado o ex-libris do maneirismo em Portugal esta construção iniciou-se em 1590 e no seu interior encontra-se um vasto património artístico do século XVII. Na igreja está localizado o Panteão Real dos Braganças e o Panteão dos Patriarcas de Lisboa.

Dica: Feira da Ladra

Às terças e sábados perto da Igreja de São Vicente de Fora e do Panteão realiza-se a Feira da Ladra, o mítico mercado de rua onde se vende produtos novos e usados e algumas antiguidades. Vale a pena espreitar, é uma feira bem carismática que com preços bem regateados ainda compra uma pechincha.

9 – Panteão

Localizado na Igreja de Santa Engrácia, o Panteão Nacional é local de homenagem onde se encontram algumas das maiores figuras da história de Portugal pela marca que as suas ações e feitos perpetuaram.

Além de todo o simbolismo patriótico e de homenagem, de realçar a beleza da construção do edifício, considerado o primeiro monumento barroco em Portugal. Se subir à cúpula pode usufruir de uma paisagem fantástica sobre Lisboa e, claro está, sobre o rio Tejo.

Dicas:

Horário: Terça a Domingo (10.00h às 13.00h e das 14.00h às 17.00h)

Preço: Normal: 4€ | Gratuito todos os domingos até às 14.00h para residentes em território Nacional

Mais informações: Website

10 – Bairro de Alfama

Continuamos a nossa descoberta por Lisboa através do Bairro de Alfama, aquele que é considerado o coração de Lisboa. Genuíno, característica comum dos bairros lisboetas, é sem dúvida imperdível vaguear pelas suas ruelas desordenadas rodeadas de prédios antigos e coloridos que enchem as ruas de alegria. Alfama tem a peculiaridade de nos fazer sentir numa aldeia, por culpa da proximidade em que temos com as pessoas com as suas tarefas mais mundanas como o estender da roupa ou cheiro agradável da comida que sai pelas chaminés das casas.

Não haja dúvida que Lisboa é a cidade dos miradouros, em Alfama encontramos três daqueles que mais apreciamos. O Miradouro das Portas do Sol é possivelmente o mais cool e procurado para a foto perfeita, não tivesse ele uma vista fantástica em especial sobre o rio Tejo. O Miradouro de Santa Luzia é aquele que mais apreciamos, por sermos fãs dos painéis de azulejo português que dão cor ao miradouro e o tornam diferente.

Dica:

Pode descer de Alfama até à Sé ou até qualquer ponto da Baixa Pombalina através do Elétrico 28 e assim evitar as ingrimes subidas e descidas de Lisboa. Este elétrico tem a peculiaridade de atravessar praticamente toda a cidade de Lisboa, desde Martim Moniz a Campo de Ourique e os bilhetes custam 3€. Avisamos apenas para ter cuidado com as carteiras e malas pois o elétrico 28 costuma ser alvo dos carteiristas.

 11 – Sé Catedral de Lisboa

Terminamos o nosso primeiro dia com uma visita à Sé de Lisboa, uma imponente catedral do século XII que sofreu sucessivas alterações ao longo da história, motivo pelo qual apresenta diversos estilos arquitetónicos. O terramoto de 1755 destruiu parcialmente a catedral e a sua reconstrução baseou-se no estilo barroco. No século XX houve uma nova intervenção que trouxe de volta as marcas românicas medievais.

2º Dia

1 – Parque Eduardo VII

Inicie o segundo dia pelo Parque Eduardo VII, um parque com enormes relvados sempre bem cuidado, onde se costuma realizar alguns dos mais conceituados eventos na cidade de Lisboa como a Feira do Livro ou o Wonderland Lisboa.

Na verdade, quem foi Eduardo VII? Como se deve ter apercebido não foi nenhum rei português, mas sim um rei britânico e este jardim foi batizado com o seu nome em homenagem ao reafirmar da aliança estratégica entre Portugal e o Reino Unido.

2- Jardins da Fundação Calouste Gulbenkian

Caso seja fã de jardins faça um pequeno desvio à rota e conheça os maravilhosos Jardins da Fundação Calouste Gulbenkian e percorra aqueles que é para nós o espaço mais verde e mais bonito de Lisboa. Com boas zonas de sombra e uma diversidade enorme de espécie de plantas, conhecê-los vai ser uma lufada de ar fresco para os amantes de natureza.

3- Praça Marquês de Pombal

De volta à rota estipulada para o segundo dia, voltamos até ao Parque Eduardo VII e descemos pela sua longa calçada ladeada de arvoredos até à conhecida Praça do Marquês de Pombal.

No meio da praça ergue-se a estátua em homenagem a Sebastião José de Carvalho e Melo, Marquês de Pombal, principal responsável pela reconstrução de Lisboa após o terramoto de 1755. Embora o nome correto seja “Praça” todos os portugueses a conhecem como “Rotunda”, por dois motivos, pelo facto de a praça ser também uma enorme rotunda e principalmente pela existência de uma estação do metropolitano que existiu entre 1959 e 1998 ser denominada exatamente por rotunda.

4 – Avenida da Liberdade

A ligação entre a Praça Marquês de Pombal e a Praça dos Restauradores é realizada pela maior avenida de Lisboa, a Avenida da Liberdade. Projetada à imagem das boulevards parisienses, esta avenida é o centro do glamour e da elegância da cidade onde estão localizadas as principais salas de espetáculo, cinemas e alguns dos mais prestigiados hotéis de luxo.

A Avenida da Liberdade é ainda palco de realização do desfile tradicional das festas da cidade, as conhecidas Marchas Populares, que se realizam na noite de véspera da comemoração do Santo António (12 para 13 de junho).

5- Praça dos Restauradores

Ao descer a Avenida da Liberdade chegaremos à Praça dos Restauradores onde se destaca o monumento em homenagem à restauração da independência de Portugal a Espanha realizada no dia 1º de Dezembro de 1640. Em redor da praça destaca-se os edifícios históricos apalaçados como o Palácio Foz, atual posto de turismo, algumas fachadas impressionantes dos luxuosos hotéis e também o Hard Rock Café Lisboa.

6 – Palácio Alverca (Casa do Alentejo)

Para os amantes das redes sociais que andam em busca dos locais mais intagramáveis de Lisboa aconselhamos mais um pequeno desvio em busca do Palácio Alverca também conhecido como Casa do Alentejo.

O exterior passa despercebido, mas no seu interior está um pátio árabe à semelhança de um rihad marroquino com vegetação tropical e pormenores luxuosos. Tais características têm sido muito apreciadas pelos amantes de fotografia que se deslocam até ao mesmo para fotografar o interior de um dos edifícios mais charmosos de Lisboa.

7 – Ascensor da Glória

Após este pequeno desvio aconselhamos a regressar até à Praça dos Restauradores para subir a famosa Calçada da Glória, podendo realizar o percurso a pé pela custosa subida ou então pedir auxílio ao mítico Ascensor da Glória.

O facto de Lisboa ser uma cidade bastante acidentada originou que fossem criados diversos ascensores, como é o caso do Ascensor da Glória, um dos mais utilizados da cidade. Pelo caminho admire os murais de street art que se encontram na berma da calçada.

Dicas:

Horário: Consultar aqui 

Preço: Normal: 3.70€ (Ida e volta)

8– Jardim e Miradouro de São Pedro de Alcântara

Imediatamente à saída do ascensor está localizado o Miradouro de São Pedro de Alcântara, numa das mais altas colinas de Lisboa onde poderá usufruir de uma das vistas mais abrangentes da cidade.

No Miradouro de São Pedro de Alcântara consegue observar a Baixa Pombalina, o Castelo de São Jorge e os bairros da Graça e de Alfama. Aproveite calmamente este lugar e deslumbre-se com um dos panoramas mais impressionantes da capital.

9- Carmo

Siga pela São Pedro de Alcântara em direção ao Largo do Carmo e pelo caminho passará pela Igreja de São Roque, uma das mais esplendorosas igrejas barrocas de Lisboa. Já no Largo do Carmo chama à atenção na posição central o Chafariz do Carmo, uma fonte abastecida pelo Aqueduto das Águas Livres.

O grande destaque é sem dúvida alguma as ruínas da Igreja e Convento do Carmo, lugar parcialmente destruído durante o terramoto de 1755. Embora em ruínas as paredes e arcos que restaram são prova da grandiosidade deste lugar trazendo-nos a clara a ideia de quão bonito seria este convento antes do fatídico terramoto. A não reconstrução do convento foi uma decisão tomada como forma de lembrança para as gerações futuras do dramático terramoto.

Dicas:

Horário: 10h às 18h (Abril a Outubro) e das 10h às 19h (Novembro a Maio)

Preço: Normal 5€

Mais informações: Website 

10 – Chiado

Seguimos até à região do Chiado, a principal zona comercial da cidade onde pode encontrar lojas das principais marcas mundiais. O encanto de passear pelas suas ruas está muito além do simples apreciar das monstras. Toda a envolvência, desde das ruas aos prédios seculares, são o melhor exemplo da Lisboa Burguesa que ostenta estilo e dinamismo desde há muitos anos.

Pelas suas ruas de típica calçada portuguesa vamos passando por alguns dos pontos de maior interesse da região do Chiado como a Praça Luís de Camões onde encontrará uma estátua em homenagem ao maior poeta português e encontrará também a sala de espetáculos de São Carlos ou o Museu de Arte Contemporânea.

Dirija-se ao mítico Café Brasileira e tome um fantástico café. Relaxe um pouco e sinta-se um turista, não tenha pudor em realizar o típico sentar ao lado da estátua de Fernando Pessoa, para a foto obrigatória.

11- Elevador da Bica

A nossa próxima paragem foi no Largo da Calhariz para ir ao encontro de um dos mais famosos elevadores, o Elevador da Bica. Embora o seu trajeto seja apenas de 200 metros, a beleza da sua envolvência torna o percurso um dos mais bonitos da cidade.

O Elevador da Bica faz a ligação entre dois bairros bastante conhecidos: o Bairro Alto e o Cais de Sodré. No trajeto tanto a pé como pelo elevador irá encontrar sinais da simplicidade do morador de Lisboa vindos das suas casas ou das pessoas conversando no meio da rua. Uma zona que merece ser conhecida pela sua singularidade.

Dicas:

Horário: 7h às 21h (Segunda a Sábado) e das 9h às 21h (Domingo e Feriados)

Preço: Normal 3.70€

12 – Miradouro de Santa Catarina

Uma das opções do trajeto do Elevador da Bica é parar perto do Miradouro de Santa Catarina conhecido também como o Miradouro do Adamastor, outro local privilegiado para admirar os encantos de Lisboa. Este miradouro tem a particularidade de ser o mais jovem e descontraído da cidade, onde a agitação dos turistas se mistura com a alegria dos artistas de rua que dão animo aquele pequeno jardim.

Aproveite para relaxar as pernas num dos vários bancos de mármore e aprecie da vista para a zona ribeirinha do Tejo, Ponte 25 de Abril, Cristo Rei, Baixa Pombalina e para o carismático Bairro da Madragoa.

13 – Cais do Sodré

O Cais do Sodré é uma das zonas mais boémias e agitadas de Lisboa, onde opções não faltam na hora de tomar uma bebida ou encontrar um local para comer.

Um dos grandes chamarizes atuais do Cais do Sofré é a fotogenia da famosa Pink Street, que tem inundado os feed de Instagram. Uma rua peculiar cor-de-rosa que no passado era conhecida também pela prostituição.

O dia já vai longo e caso queira petiscar alguma coisa, aconselhamos o Mercado da Ribeira onde irá encontrar cerca de 30 restaurantes de especialidades completamente diferentes desde sushi a hambúrgueres artesanais. Um espaço descontraído com comida de elevada qualidade.

3º Dia

1º – Torre de Belém

Iniciámos o nosso último dia pelo principal cartão-de-visita da cidade de Lisboa, a Torre de Belém. Construída em 1520, em pleno reinado D. Manuel I, tinha como função inicial a proteção do território e era local de partida das frotas que deram novos mundos ao mundo. Anos mais tarde acabou por ter diversas funções, desde aduaneiro, farol ou até mesmo masmorra.

Atualmente é um dos maiores símbolos do nacionalismo português, visível pelos brasões e símbolos patrióticos existentes em toda a estrutura. Uma lembrança dos tempos heroicos dos portugueses.

A visita à torre compreende tanto o seu interior como o piso superior onde terá uma vista fantástica sobre o Tejo, Ponte 25 de Abril, Cristo-Rei e sobre Belém.

Dicas:

Horário: Outubro a Abril (10.00h às 17.30h) e Maio a Setembro (10.00h às 18.30h)

Preço: Normal 6€ | Gratuito todos os domingos até às 14.00h para residentes em território Nacional

2º – Fundação Champalimaud

Nas imediações da Torre de Belém, encontra-se o Centro de Investigação para o Desconhecido da Fundação Champalimaud inaugurado em 2010. Pela sua arquitetura diferenciadora e moderna vale a pena realizar um pequeno desvio e conhecer esta bela infraestrutura. Outro pormenor interessante é o pátio localizado à beira Tejo, que por norma é bastante sossegado, tornando-o o local perfeito para uns belos minutos de descanso.

No caminho entre a fundação e a Torre de Belém irá encontrar o Forte do Bom Sucesso e o Monumento aos Combatentes do Ultramar.

3º – Padrão dos Descobrimentos

Numa pequena caminhada ribeirinha chegamos até ao Padrão dos Descobrimentos, monumento inaugurado em 1960 em homenagem à epopeia da história de Portugal, em particular ao Infante D. Henrique, principal impulsionador dos Descobrimentos. Destaca-se a estátua onde se evoca as grandes figuras da história de Portugal no cimo da proa de uma nau.

No pátio de frente para o Padrão dos Descobrimentos está uma das maiores obras de arte alguma vez feitas em calçada portuguesa, uma rosa dos ventos com as naus e caravelas a representarem as principais rotas dos Descobrimentos.

Dicas:

Horário: Terça a sexta, das 10.00h às 19h (Março a Outubro) e das 10h às 18h (Novembro a Fevereiro) | 10.00h às 19h (Sábados e domingos)

Preço: Normal 6€ | 10-25 anos: 3€ | +65 anos e pessoas com deficiência: 5€

Mais informações: Website

4º – Mosteiro dos Jerónimos

O bom da região de Belém é que os locais de interesse estão a escassos metros de distância, neste caso o Mosteiro dos Jerónimos está apenas do outro lado da estrada. O mosteiro é a principal construção do estilo manuelino e é o exemplo perfeito dos anos de luxo que o Império Português exibia em plena época dos Descobrimentos.

O Mosteiro dos Jerónimos é o monumento mais visitado de Lisboa, pelo que aconselhamos a comprar os bilhetes online para evitar as demoradas filas. O motivo de tanto interesse é mais do que justificado uma vez que todos os pormenores, tanto no interior como no exterior, foram meticulosamente elaboradores evidenciando a sublime arte escultórica portuguesa.

Dicas:

Horário: Outubro a Abril (10.00h às 17.00h) e Maio a Setembro (10.00h às 18.30h)

Preço: Normal 10€ | Gratuito todos os domingos até às 14.00h para residentes em território Nacional

Bilhete: Website

5º – Pastéis de Belém

Imediatamente ao lado do Mosteiro dos Jerónimos estão os famosos Pastéis de Belém, considerados por muitos como os melhores pastéis de nata. Esta centenária pastelaria costuma ter longas filas de espera na calçada, mas não se preocupe que por norma a fila despacha-se bastante rápido. Também seria um desperdício não se deliciar com uma das mais icónicas iguarias nacionais.

6º – Museu Nacional dos Coches

A poucos metros de distância está localizado um dos museus mais procurados de Portugal, o Museu dos Coches que alberga uma das maiores coleções a nível mundial de coches e carruagens reais do século XVI ao século XIX.

Para os amantes de história é uma passagem obrigatória, um museu com cerca de 9000 objetos, que inclui na sua maioria viaturas de gala, de viagem ou de passeio das grandes figuras da história de Portugal e não só.

Dicas:

Horário: Todos os dias (10.00h às 13.00h e das 14.00h às 17.00h)

Preço: Normal: 8€ | Gratuito todos os domingos até às 14.00h para residentes em território Nacional

Mais informações: Website

7º – MAAT

Continuando a nossa tranquila caminhada junto ao Tejo, encontramos o MAAT um espaço dedicado à exposição de arte contemporânea, arquitetura e também tecnologia. Inaugurado em 2016 a estrutura destaca-se pela sua singular arquitetura de traços modernos e vanguardistas que nós não deixamos de apreciar.

Aproveite e suba gratuitamente até à sua cobertura e aprecia da vista fantástica para o Tejo, ao pôr-do-sol a vista ganha ainda maior beleza.

8º – LX Factory

Terminamos o dia, num novo espaço alternativo perto da Ponto 25 de Abril chamado LX Factory em Alcântara. O complexo industrial de Alcântara estava abandonado e para reaproveitar o espaço, realizaram-se profundas alterações sendo hoje um espaço criativo e jovem.

Por lá irá encontrar espaços comerciais diferentes, como peças de artesanato modernas e recheadas de imaginação, restaurantes com sabores dos sete cantos do mundo, boas esplanadas para beber um copo como o Rio Maravilha, um rooftop fabuloso com vista para o Tejo ou quem sabe comprar um livro na original livraria “Ler Devagar”.

Dispõem mais de 3 dias? Conheça as nossas dicas

O ideal para aproveitar o melhor de Lisboa e dos seus arredores é permanecer por Lisboa por mais uma série de dias e assim conhecer a cidade calmamente e dar oportunidade às localidades mais próximas. Deixamos algumas ideias de como aproveitar mais uns dias de férias pela capital portuguesa.

1º – Cristo Rei

Na outra margem do Tejo, no concelho de Almada está localizado o Santuário Nacional de Cristo Rei, um monumento religioso que é impossível passar despercebido a quem visita a cidade de Lisboa.

É neste monumento, com cerca de 110m de altura, que se pode ter uma das mais belas vistas sobre Lisboa, rio Tejo e Ponte 25 de Abril. A sua construção deve-se como é fácil de antever, à estátua do Cristo Redentor existente no Rio de Janeiro. O Cardeal Patriarca de Lisboa visitou o Brasil em 1934 e ao conhecer a estátua do Cristo Redentor teve a ideia de fazer algo semelhante em Lisboa. Assim aconteceu, tendo sido o Cristo Rei inaugurado em 1959.

2º – Parque das Nações

Uma das áreas mais modernas e aprazíveis de Lisboa é a região do Parque das Nações localizado à beira Tejo. Aproveite para descansar e caminhar pela marginal e pelos jardins sempre com o rio à sua beira. Caso pretenda ter uma perspetiva diferente realize o percurso de teleférico e tenha acesso a uma panorâmica vinda dos céus.

Dos grandes atrativos do Parque das Nações é o encanto da biodiversidade marinha existente no Oceanário que costuma ser uma excelente experiência para miúdos e graúdos. Numa onde de museus e experiência conheça também o Pavilhão do Conhecimento.

3º – Sintra

A meros 30km de Lisboa está localizada a mística vila de Sintra, o símbolo do romantismo em Portugal e também um dos lugares mais pitorescos. Motivos para visitar Sintra não faltam, onde obviamente se destacam o Palácio da Pena, pela sumptuosidade e brilho das cores, o Castelo dos Mouros, Quinta da Regaleira, Palácio da Vila, bem como todo o centro história da vila, são razões mais do que suficientes para fazer uma visita.

4º Cascais

Cascais é bonita o ano todo, mas com os dias ensolarados ganha ainda mais destaque. Esta vila sofisticada, com muito bom gosto e um ambiente descontraído, é uma excelente opção se procura afastar-se um pouco da confusão de Lisboa e poder desfrutar do mar, mas também de alguns apontamentos históricos e naturais.

Os locais mais procurados pelos visitantes são o Centro Histórico de Cascais, a Boca do Inferno e o fotogénico Farol de Santa Marta. Caso o tempo seja propício a fazer praia desfrute da Baía de Cascais, nomeadamente a elegante Praia do Tamariz que antigamente era frequentada em especial pela alta sociedade que fazia férias na linha do Estoril.

Lisboa | Onde dormir?

Hotéis, hostels, pousadas, enfim opções não irão faltar para todos os gostos e feitios. Lisboa tem ficado conhecida pela qualidade dos seus hostels e assim ajudado a quem tenciona viajar com um orçamento apertado, mas que ainda assim não abdica de todas as condições. Além dos alojamentos mais económicos, hotéis requintados e glamorosos também existem em grande abundância ou não estejamos nós a falar de uma das capitais mais procuradas da Europa.

Hotéis lowcost

Hotéis com boa relação qualidade/preço

Hotéis de Luxo

Lisboa é a cidade que confirma que a modernidade pode conviver perfeitamente com a história e com as tradições, diríamos que é essa junção que torna a capital portuguesa tão única e tão apreciada. Uma cidade arrojada com uma série de atividades criativas, museus modernos, experiências como passeios de tuk tuk são sinais que Lisboa sabe aproveitar os seus recursos e oferecer uma experiência turística completa. Esse bom aproveitamento acrescentou valor a uma cidade que já de si é interessantíssima pela história e pelos monumentos que a testemunham. O diferencial está de facto nas pessoas, na simpatia, na gastronomia e na simplicidade que quem percorre os bairros lisboetas não consegue esquecer!

Leia também

3 comentários

Bragança, o que visitar? Guia completo - Ponto de Partida 04/11/2021 - 15:33

[…] a Bragança é de automóvel e os acessos mais comuns são através da A4 e do IP2. Caso venha de Lisboa são cerca de 5h de viagem e do Porto pouco mais de 2h de […]

Responder

Faça um comentário