fbpx

Madrid, o que visitar? Roteiro de 3 dias

por Fábio Santos

Madrid é arte a cada esquina, festa e alegria a cada praça, naquilo que consideramos ser a relação perfeita entre cultura e lazer. A capital espanhola envolta sempre em comparações com Barcelona, é por vezes menosprezada principalmente no que  ao turismo diz respeito, e na nossa opinião muito injustamente. Madrid é sede da monarquia, foi capital de um vasto império e um dos principais centros da fé católica, motivos que tiveram na origem da abundante monumentalidade que encontramos por toda a cidade. A isso acrescentarmos o espírito animado das suas gentes, uma vida noturna vibrante e uma gastronomia deliciosa que ganha vida nas tabernas centenárias onde gerações de famílias cuidam religiosamente dos seus sabores e das suas tradições.

Os motivos para visitar a capital madrilena são mais do que muitos: avenidas enormes, edifícios elegantes, museus famosos, bairros alternativos e recantos históricos charmosos e tranquilos. Agregar tudo isto numa escapadinha de fim-de-semana nem sempre é fácil por isso ao longo do artigo irá encontrar as dicas fundamentais para uma viagem a Madrid que ficará para sempre na sua memória.

Madrid | Dicas

Quando visitar?

A melhor época para visitar Madrid é na Primavera (Março a Junho) e no Outono (Setembro a Outubro) momento em que as temperaturas são mais amenas, a probabilidade de precipitar é baixa e onde o número de visitantes é mais baixo. Embora para nós sejam a Primavera e o Outono as estações ideais, o Verão continua a ser a época com mais procura.

Como chegar a Madrid?

Existem várias formas de viajar até Madrid, desde avião, automóvel ou comboio. Para nós o melhor método é viajar de avião devido à maior comodidade, rapidez e baixo custo.

  • Avião: Várias companhias operam voos diários diretos para o Aeroporto de Madrid-Barajas, tanto de Lisboa como do Porto. Com antecedência consegue encontrar voos a cerca de 15€ nas companhias lowcost como a EasyJet ou a Ryanair. Os voos na companhia de bandeira como a TAP são ligeiramente mais caros, mas ainda assim os preços são bastante em conta. Tanto de Lisboa como do Porto a viagem dura cerca de 1.20h.
  • Carro: Para quem evita viajar de avião, fazer a viagem de automóvel é a melhor hipótese. Uma viagem entre Lisboa e Madrid são cerca de 625km que duram pouco mais de 6 horas de condução e do Porto são cerca de 550km cerca de 5.40h.
  • Comboio: A possibilidade de fazer o percurso de comboio noturno com partida de Lisboa através do Lusitânia Comboio Hotel está suspensa devida à pandemia do Covid-19.

Como ir do Aeroporto de Barajas até ao Centro de Madrid?

O método mais rápido e mais económico de realizar o trajeto é de metro, mas pode ser mais conveniente e cómodo outras alternativas como as que deixamos abaixo.

  • Metro: A melhor opção para quem fica hospedado perto de uma estação de metro, preferencialmente na Linha 8 ou para quem faça apenas uma mudança de linha. O valor normal do bilhete varia entre 1,5€ e 2€ (dependendo do número de paragens) mais o suplemento do aeroporto de 3€, ou seja, no total um bilhete de ida fica entre 4,5€/5€. Pode apanhar o metro no Terminal T2 ou T4 (estão bem sinalizados) e a duração da viagem até à estação de Nuevos Ministerios dura cerca de 15min. Consulte aqui tarifas atualizadas.
  • Autocarro: Melhor opção para quem tenha uma estação de autocarros perto do seu hotel. Os bilhetes dos autocarros públicos (linha 101 e 200) custam 1,50€ e a Linha Exprés Aeropuerto custa 5€. Os autocarros partem nos terminais T1, T2 e T4 e a viagem dura entre 30 a 40 minutos e funcionam 24h por dia. Consulte aqui as tarifas atualizadas.
  • Taxi/Uber/Transfer: A opção mais dispendiosa, mas também a mais confortável ou para quem viaje com malas muito pesadas. Este percurso ronda os 25€-30€ dependendo da operadora e nem sempre é o método mais rápido, dependendo do trânsito.

 Madrid | O que visitar?

1º Dia

1 – Gran Vía

Começamos o nosso roteiro por Madrid pela sua principal avenida, a Gran Vía. Com cerca de 1,3km de extensão, nela estão localizados alguns dos mais elegantes edifícios da cidade que são, na sua maioria, estabelecimentos comerciais e também inúmeros teatros e casas de espetáculo, característica que a apelida de Broadway Espanhola.

Ao longo desta enorme avenida comercial encontram-se diversas lojas de marcas famosas, bares, restaurantes, cafés, hotéis entre outros negócios. Entre alguns dos edifícios mais emblemáticos e arquitetonicamente mais chamativos destacam-se o Edifício Metrópolis, que foi um dos primeiros arranha-céus da cidade, o famoso Teatro Lope de Veiga, o Edifício da Telefonica, o Edifício Capitol e o Casino Militar.

2 – Plaza de Cibeles

Numa das extremidades da Gran Vía encontra-se a enorme Plaza de Cibeles que é quase na sua totalidade preenchida por uma enorme rotunda que organiza o trânsito numa das zonas mais movimentadas da cidade. E é exatamente na rotunda que se encontra o seu principal destaque a Fonte de Cibeles onde se destaca a representação da deusa Cibeles sentada numa carroça puxada por leões.

Nesta praça localizam-se ainda edifícios históricos com uma arquitetura brilhante como é o caso do Palacio de Cibeles, que é o antigo Palácio das Comunicações e atualmente sede do Ayuntamiento de Madrid (Câmara Municipal), a sede central do Banco de Espanha que alberga uma enorme e interessante coleção de pintura, inclusive com obras de Goya, o Palacio de Buenavista que é a sede do Quarte General do Exército e ainda o Palacio de Linares que é a sede da Casa da América.

3 – Puerta de Alcalá

A poucos metros da Plaza de Cibeles localiza-se a Plaza de la Independencia, onde surge novamente uma rotunda com outro atrativo, desta feita a Puerta de Alcalá, que é uma das antigas cinco portas que davam acesso a Madrid. A atual porta foi inaugurada em 1778 no reinado de Carlos III para substituir uma antiga do século XVI. Nesta porta monumental confluem algumas das principais ruas da cidade: Alcalá, Alfonso XII e Serrano e localiza-se nas imediações de um dos maiores atrativos de Madrid, o Parque de El Retiro.

4 – Parque de El Retiro

O Parque de El Retiro é dos locais mais turísticos de Madrid e também um dos preferidos dos madrilenos para passear ou praticar desporto. Este parque verde com cerca de 125ha é o verdadeiro pulmão da capital espanhola, com mais de 15.000 árvores, algumas delas centenárias como é o caso do Cipestre localizado no Canteiro Francês considerada a árvore mais antiga de Madrid com cerca de 400 anos. Além das árvores ao longo do parque encontram-se diversas fontes, alguns lagos e inúmeras estatuetas que embelezam ainda mais o espaço.

Um dos maiores atrativos do parque é o seu lago, chamado Estanque Grande, onde é possível alugar um barco e remar nas suas águas, e na zona central do lago encontra-se a lindo monumento a Afonso XII. Outro dos atrativos e das imagens de marca da cidade é o Palacio de Cristal, construído em 1887 originalmente com a finalidade de estufa de grandes dimensões para receber plantas tropicais, atualmente recebe exposições temporárias. Dedicado também a exposições temporárias, no interior do El Retiro localiza-se ainda o Palácio Velázquez uma lindíssima construção em tijolo com as abobadas em vidro e ferro.

Encostado ao Parque de El Retiro encontra-se o Real Jardín Botánico onde se encontram cerca de 5.000 espécies de plantas entre jardins e estufas.

5 – Paseo del Prado

Um dos motivos que mais atraem turistas a Madrid são os museus e as suas coleções. Na enorme avenida Paseo del Prado localizam-se precisamente os três principais museus da cidade: o Museo del Prado, Museo Nacional Thyssen – Bornemisza e o Museo de Arte Reino Sofia. No exterior desta elegante boulevard que liga a Plaza de Cibeles à Estación Atocha encontrará ainda duas fontes de muito bom gosto: a Fuente de Neptuno e a Fuente de Apolo y de las Cuatro Estaciones.

Na nossa visita não conseguimos visitar todos, por isso caso não tenha muito tempo na sua passagem aconselhamos a optar pelo Museo del Prado, um dos principais museus de arte do mundo. O museu foi inaugurado em 1819 e alberga uma das mais valiosas coleções de pintura e escultura do mundo, onde se destacam vários quadros de Goya e Velázquez.

Embora menos renomeados os outros dois museus presentes no Paseo del Prado guardam também alguns tesouros que decerto não escapam aos interessados em arte. No Museo de Arte Reino Sofia pode encontrar a famosa obra Guernica de Pablo Picasso para além de várias obras do século XX, por outro lado no Museo Nacional Thyssen – Bornemisza encontrará uma vasta coleção de arte europeia.

Dica: Museus do Paseo del Prado

  • Museu del Prado, a entrada tem o custo de 15€ e está aberto de segunda a sábado das 10.00h às 20.00h e aos domingos e feriados das 10.00h às 19.00h. De segunda a sábado é gratuito a partir das 18h e aos domingos e feriados a partir das 18h. Adquira os bilhetes antecipadamente no website do Museu del Prado.
  • Museu Nacional Thyssen – Bornemisza, a entrada custa 13€ e o horário é das 12.00h às 16.00h na segunda e das 10.00h às 19.00h de terça a domingo. Pode adquirir os bilhetes antecipadamente no site oficial.
  • Museu de Arte Reino Sofia, a entrada custa 12€ e encontra-se a aberto segunda e de quarta a sábado no horário das 10.00h às 21.00h e no domingo das 10.00h às 14.30h. O museu fecha às terças.

6 – Estación de Atocha

Seguindo até ao final da Avenida Paseo del Prado encontrará a Estación de Atocha que é a principal estação de comboios de Madrid, inaugurada em 1851 e várias vezes remodelada ao longo dos anos.

Embora seja uma estação histórica não foi esse o motivo que nos trouxe até ela, mas sim o Jardim Tropical de Atocha, instalado no antigo edifício de passageiros onde se encontram mais de 7.000 plantas de 400 espécies distintas. Um espaço bem peculiar e diferente do esperado para uma estação de comboio.

Curiosidade: Atentados de 11 de Março

Um dos lugares onde ocorreu o fatídico atentado de 11 de Março de 2004 foi precisamente na Estación de Atocha. Estes atentados são considerados os piores da história de Espanha onde morreram 191 pessoas que viajavam em comboios regionais.

7 – Miradouro do Circulo de Bellas Artes

Para seguir até ao próximo destino aconselhamos a apanhar o metro na Estación del Arte e seguir até Sol através da Linha 1 (azul) e depois caso pretenda poupar ainda mais as pernas pode apanhar a Linha 3 (vermelha) e sair em Banco de Espanha.

A nossa próxima paragem tinha como objetivo ser ao pôr-do-sol, para apreciar na hora perfeita uma das melhores vistas da cidade. Este rooftop está localizado no Circulo de Bellas Artes que é uma instituição de artistas onde se realizam várias exposições. Entre as 11h e 22.30h é possível subir ao terraço do edifício e apreciar de uma vista extraordinária em especial para o Edifício Metropolis.

Informações úteis

Entrada: 5€/pessoa

8 – Calle Serrano

Já o dia ia longo quando seguimos pela Calle Serrano que se inicia na Plaza de Cibeles perto do Circulo de Bellas Artes. Esta rua é considerada a mais chique de Madrid onde estão localizadas lojas das marcas mais requintadas do mundo, como é a Prada, Versace, Carolina Herrera, Gucci, Empori Armani, entre muitas outras. A rua não é muito movimentada, não costuma estar nos roteiros tradicionais pelo que passa despercebida aos turistas, mas para além das lojas tem ainda edifícios requintados que vale a pena conhecer. Esta região é conhecida ainda como “Milla de Oro” por ser uma zona com várias lojas de joias e, claro, de ouro.

9 – Bairro de Salamanca

A nossa última paragem, não foi bem uma paragem, mas sim uma caminhada pelas ruas do Bairro de Salamanca, a Calle Serrano já pertence a este bairro. Foi por aqui que petiscamos, jantamos e bebemos um copo à noite, é uma zona tranquila com algum requinte, excelente para terminar o primeiro dia em Madrid.

Um dos sítios que aconselhamos conhecer nesta zona é a Platea Madrid, um mercado de restaurantes e bares bastante luxoso e com uma áurea de requinte. Os restaurantes deste mercado são comandados por alguns chefes renomeados e nele pode encontrar cozinhas dos setes cantos do mundo.

2º Dia

1º – Museo del Romanticismo

No segundo dia iniciamos pelas imediações do nosso hotel, no Bairro Malasaña, onde passamos pelo Museo del Romanticismo, mas o qual não visitamos por falta de tempo. Se for fã de arte considere visitar este museu que é uma ode ao Romantismo que, principalmente na primeira metade do século XIX, contagiou artistas e intelectuais espanhóis e do mundo. Este espaço foi construído em 1776 e nele existe uma vasta coleção de pintura, cerâmica e mobiliário.

2º – Plaza del Callao

Seguimos depois até à incontornável Gran Vía, que já tínhamos visitado no primeiro dia, mas como ela é tão extensa é possível que no primeiro dia não a tenha percorrido toda, por isso, esta passagem é o motivo perfeito para visitar o restante.

A Plaza del Callao fica imediatamente ao lado da Gran Vía e é uma das praças mais frequentadas da cidade. Nesta praça encontram-se importantes edifícios como o Palacio da Imprensa (1928), os Cinemas Callao (1927) e o Edificio Carrión (1933).

Uma dica para quem visita esta praça é o El Corte Inglês de Callao e não é para ir às compras, mas sim para subir até ao seu último piso, o oitavo, para ter acesso a uma das melhores vistas da cidade. A ida até ao terraço do El Corte Inglês é gratuita e de lá consegue ter uma vista incrível sobre a cidade, em particular para Plaza del Callao e para a Gran Vía.

3º – Calle dos Preciados

Uma das ruas que faz ligação à Plaza del Callao é a Calle dos Preciados, uma das principais ruas comerciais da cidade. Há muitos anos que esta rua é uma verdadeira concentração de lojas de moda e acessórios em que as antigas lojas tradicionais, alfaiatarias e camisarias, têm sido substituídas pelas grandes marcas internacionais como a Zara, Mango, Sfera ou Desigual.

O nome Preciados advém de dois irmãos, funcionários públicos, que habitaram nesta rua no século XV e eram responsáveis pela fiscalização de pesos e medidas e da taxação dos preços dos bens e alimentos. Em homenagem, em 1943, foi inaugurado o primeiro centro comercial e Madrid, as Galerias Preciados, que em 1995 foi absorvido pelo El Corte Inglês que se mantém até aos dias de hoje.

4º – Puerta del Sol

No fim da rua chegamos à mítica Puerta del Sol, o verdadeiro ponto de encontro de Madrid, um dos principais palcos da cidade. Protestos, comemorações, ponto de passagem e de descanso dos madrilenos este espaço é incontornável no quotidiano da cidade.

A praça é ladeada de estabelecimentos comerciais, desde as lojas tradicionais às internacionais, e também bastantes cafés e restaurantes que são ponto de convívio dos madrilenos e turistas. É aqui que se localiza a estátua mais famosa de Madrid, e símbolo da cidade, o El Oso y El Madroño, que é na verdade a estátua de um urso apoiado em um medronheiro. Destaque ainda para a marca no chão relativa ao Quilometro Zero, marca sobre a qual são medidas as distâncias em Espanha, e atente ainda ao edifício da Real Casa de Correos.

Dica: Refeição económica no Museo del Jamón

Perto da Puerta del Sol na Calle Mayor localiza-se o Museo del Jamón que é uma excelente hipótese para fazer uma refeição ligeira sem gastar muito dinheiro. Uma baguete com presunto custa cerca de 3€ e é mais económico comer ao balcão do que na mesa.

5º – Calle del Arenal

Da Puerta del Sol seguimos pela Calle del Arenal que é uma pedonal histórica onde se localizam edifícios luxuosos com pormenores arquitetónicos que cativam. Ao longo da rua existem diversos palácios, como o Palacio Gaviria, alguns hotéis, cafés e livrarias.

Nesta rua localiza-se ainda um dos templos católicos mais antigo de Madrid, a Paroquia San Ginés, onde as primeiras referências datam do século XIV, mas ao longo da história sofreu vários restauros nomeadamente um que ocorreu em 1870 de onde resulta a fachada principal em tijolo e pedra.

6º – Chocolataria San Ginés

Experiência que não pode sair de Madrid sem o fazer é provar os seus tradicionais churros com chocolate quente, que são uma verdadeira delícia. O espaço mais famoso é provavelmente a Chocolataria San Ginés que serve estes doces tradicionais desde do século XIX, 24 horas por dia e 7 dias por semana. A chocolateira preserva a sua traça, num espaço pequeno, mas com imenso requinte onde pode degustar os famosos churros, servidos em 6 unidades bem finas, para posteriormente mergulharem no delicioso chocolate quente ligeiramente amargo. Uma degustação imperdível! 

Dica: Onde comer churros em Madrid?

Se provou na Chocolataria San Ginés e ficou fã e quer provar outros churros fique sabendo que boas opções não faltam e todas elas deliciosas. Relativamente perto uns dos outros, na zona da Plaza del Sol, localizam-se as melhores casas para degustar os churros com chocolate e todos eles com valores semelhantes, cerca de 7 euros. As mais conhecidas são a Los Artesanos 1902, Churraria – Chocolataria Las Farolas, Maestro Churrero e a Chocolataria Valor.

7º – Plaza Mayor

A Plaza Mayor é um dos locais emblemáticos de Madrid e um sítio de paisagem obrigatória nem que seja para tapear ou beber uma caña numa das fantásticas esplanadas que se encontram ao redor da praça. Esta praça é atualmente um dos principais pontos de encontro dos madrilenos e ao longo da história serviu para várias atividades como touradas, campo de futebol, mercados e a beatificações.

Embora já existissem alguns edifícios que vieram a constituir a praça, foi no século XV que o arquiteto Juan Gómez de Mora foi responsável por dar uniformidade aos edifícios e construir a atual praça que serve há anos como um local de encontro, anúncios e comemorações.

Na praça destaca-se a estátua equestre de Filipe III que se localiza ao centro, outro destaque é a Casa de la Panadería que foi a primeira padaria de Madrid em que a sua estrutura serviu de base à construção dos restantes edifícios existentes na praça e cuja fachada são murais pintados da autoria de Carlos Franco. Atualmente a Casa de la Panadería é o Centro de Turismo de Madrid.

8º – Mercado de San Miguel

No que à gastronomia diz respeito o Mercado de San Miguel é uma referência incontornável na cidade de Madrid. Localizado a poucos metros da Plaza Mayor, este mercado gastronómico foi inaugurado em 1916 e tem uma arquitetura fabulosa onde as paredes são todas em vidro e a cobertura é em ferro. No seu interior encontra-se diversas barraquinhas com várias opções como presunto, mariscos, pratos vegetarianos, iguarias espanholas e doces.

O Mercado de San Miguel é imperdível e é o mercado gastronómico mais frequentado de Madrid, mas na nossa visita acabamos por não comprar nenhuma tapa no seu interior. Tendo em conta o que já tínhamos comido e o nosso conhecimento dos preços da cidade achamos os valores praticados um pouco acima e acabamos por comer bastante bem nas redondezas. No fim do artigo encontram as nossas dicas sobres os sítios onde comer.

Curiosidade: Sobrino de Botín

Sabia que Madrid tem o restaurante mais antigo do mundo? É verdade o Sobrino de Botín é considerado o restaurante mais antigo do mundo, fundado em 1725, quase com 300 anos e todos eles no mesmo espaço e sobre a gerência da mesma família. O prato típico deste restaurante é o leitão assado e a procura costuma ser muita por isso aconselhamos a reservar previamente.

9º – Mercado El Rastro

Como era domingo tivemos a sorte de visitar o Mercado El Rastro que existe à mais de 400 anos, a cada domingo nas ruas do Bairro La Latina. Este mercado de rua, semelhante à nossa Feira da Ladra, é um mercado que vende um pouco de tudo desde roupas usadas, filmes, móveis ou artigos de decoração. O mercado ocorre em redor da Calle de la Ribera de Curtidores, existindo até ruas especificas para cada tipo de produto nas ruas adjacentes e paralelas.

10º – Bairro La Latina

Uma vez visitado o Mercado El Rastro já se encontra nas ruas sinuosas e estreitas de um dos bairros mais carismáticos de Madrid, o Bairro La Latina. Considerado o bairro mais antigo de Madrid, de origem medieval, é conhecido pela sua vertente comercial. Estas ruas serviram de hospedagem aos muitos comerciantes que chegavam à cidade para vender os seus produtos, essa tradição é responsável pelo nome de várias praças do bairro como: a Paja, Cebada, Carros ou o próprio Rastro.

Caso queira petiscar ou beber um copo, o Bairro La Latina é o sítio certo, aliás é o seu vibrante ambiente noturno que lhe dá fama. Por toda a zona irá encontrar excelentes restaurantes ou bodegas, caso pretenda tapear. A Calle de la Cava Baja é uma das ruas principais onde a noite ganha vida nos seus inúmeros bares e discotecas que por ali existem.

11º- Bairro de Lavapiés

Encostado ao Bairro Latina encontra-se o Bairro Lavapiés onde, caso ainda lhe sobre tempo, aconselhamos a visitar. Considerado o bairro mais multicultural de Madrid, este era um local conhecido por receber os jovens espanhóis e emigrantes dos sete cantos do mundo. Atualmente devido aos preços a maioria das casas foram convertidas em alojamentos e a sua essência parece estar em decadência.

Caso queira uma opção para petiscar visite o Mercado de San Fernando onde existe uma boa variedade de restaurantes e bares e com preços em conta.

3º Dia

1º – Estádio Santiago Bernabéu

Iniciámos o nosso terceiro dia com uma visita ao Estádio Santiago Bernabéu que o Fábio, como fã de futebol que é, não podia deixar escapar. Apanhámos a Linha 10, na estação de metro Alonso Martinez que fica nas imediações do nosso hotel e seguimos até à Estação Santiago Bernabéu que fica em frente ao estádio.

Os espanhóis, tal como nós, são completamente loucos por futebol por isso visitar o Santiago Bernabéu pode-se também considerar como visita cultural. Na visita temos acesso ao Museu do Real Madrid, onde estão todos os seus troféus bem como vídeos e artigos relativos aos principais momentos do clube como ainda se tem acesso às bancadas.

Informações úteis

Entrada: 15€/pessoa

Horário: Segunda a sábado das 9h30 – 19h | Domingos e feriados: das 10h – 18h30

2º – Plaza de España

Voltamos a apanhar a mesma linha de metro na estação de Santiago Bernabéu e saímos desta feita na Estação da Plaza de España. Saímos diretamente na praça que é uma das maiores de Madrid e no seu centro tem imensos espaços verdes onde é possível relaxar e contemplar a agitação citadina de Madrid. Ao longo da praça encontram-se diversos edifícios de destaque como a Torre de Madrid, com cerca de 142 metros de altura, o Edifício España que é atualmente o Hotel Riu Plaza España, a Casa Gallardo e o Monumento a Miguel de Cervantes.

Dica: Terraço Hotel Riu Plaza España

Uma das melhores vistas da cidade encontram-se no Hotel Riu Plaza España em que os não hospedes têm de pagar as seguintes tarifas:

  • Segunda a Sexta (11h às 17h): 5€, das (17h à 00h): 10€
  • Sábados e Domingos (11h à 00h): 10€

3º – Templo Debod

Siga até ao Parque de la Montaña onde irá encontrar o Templo Debod que é uma obra egípcia do século IV a.C, foi um presente dado a Espanha pela colaboração do salvamento dos templos de Núbia que teriam ficado submersos com a construção da Barragem de Assuão.

O enquadramento do templo é magnifico, quando tem água em seu redor gera um efeito paisagístico ainda mais bonito nomeadamente ao pôr-do-sol. A sua visita é gratuita e no seu interior tem uma capela principal dedicada à deusa Isis.

4º – Jardines de Sabatini

Junto à fachada norte do Palácio Real localiza-se um enorme espaço verde chamado Jardines de Sabatini, não porque tenham sido projetados por Francesco Sabatini, mas sim por terem sido instalados em substituição dos estábulos do palácio por si projetados.

Na nossa passagem os jardins encontravam-se em obras e infelizmente não os conseguimos visitar apenas os conseguimos ver da parte de fora. Pelo enquadramento perfeito para o Palácio Real e pelas esculturas, fontes, árvores e canteiros lá existentes, estimamos que seja um local bem fotogénico.

5º – Plaza de Oriente

Poucos metros depois encontra-se a Plaza de Oriente que é também um enorme jardim com várias esculturas onde se realça a estátua de bronze de Felipe IV montado a cavalo. Distribuídos pela praça encontram-se ainda esculturas de vinte reis espanhóis feitas em calcário para além de vários ciprestes e canteiros floridos.

A construção mais emblemática desta praça é o Teatro Real de Madrid que é a maior casa de ópera da cidade com capacidade para 1800 pessoas. Se a visitar para além de conhecer a sala de espetáculos pode ainda subir ao seu terraço e ter uma vista sublime sobre os jardins da Plaza de Oriente e sobre o Palacio Real.

6º – Palacio Real

De seguida seguimos em direção à Plaza de la Armería de onde se consegue ter uma excelente perspetiva para o Palacio Real e é a melhor localização caso assista à Troca da Guarda que se realiza na primeira quarta-feira do mês com exceção dos meses de Janeiro, Agosto e Setembro.

O Palacio Real de Espanha, conhecido também como Palacio do Oriente, é a residência oficial da Família Real Espanhola, mas atualmente é exclusivamente usado para cerimónias e atos oficiais uma vez que os reis habitam permanentemente no Palacio da Zarzuela. A visita a este enorme complexo palaciano inclui os Salões Oficiais, o Arsenal Real e à Farmácia Real.

Dica: Palácio Real

Horários:

  • Inverno (outubro a março): de segunda a Sábado: 10:00 – 18:00. Domingos: 10:00 – 16:00
  • Verão (abril a setembro): de segunda a Sábado: 10:00 – 19:00. Domingos: 10:00 – 16:00

Preço: 12€ (Tarifa Base) Consulte aqui as restantes tarifas e os dias de encerramento. 

7º – Catedral de la Almudena

Imediatamente ao lado do palácio encontra-se a magnifica Catedral de la Almudena de estilo clássico e austero. No seu interior os seus vitrais e teto deixam de lado o classicismo e presenteiam-nos com cores vivas e linhas retas.

Esta catedral construída no século XIX é o edifício religioso mais importante de Madrid e teve a honra de em Junho de 1993 merecer a consagração do Papa João Paulo II tornando-a a segunda catedral consagrada fora de Roma.

A visita ao interior da catedral é gratuita, mas caso queira conhecer o seu museu e subir à cúpula tem o custo de 6 euros, segundo consta (nós não subimos) a vista não é nada de extraordinário que justifique o custo.

8º – Real Basilica de San Francisco el Grande

Continuamos a descer para as imediações do bairro La Latina para visitar a enorme basílica neoclássica chamada Real Basilica de San Francisco el Grande. Esta catedral tem a curiosidade de possuir a maior cúpula de Espanha e quarta maior da Europa, além de no seu interior possuir uma vasta coleção de quadros dos principais artistas espanhóis: como Goya, Zurbarán ou Velásquez.

Madrid | Onde dormir?

A cidade de Madrid é enorme, mas por incrível que pareça a zona mais turística é compacta e as atrações não distam muito uma das outras. O nosso conselho é ficar alojado precisamente no centro ou relativamente perto dele de modo a evitar o uso de transportes públicos e com isso não perder tempo que pode ser precioso na sua visita. Ficar hospedado no centro fica ligeiramente mais caro, mas caso vá com um orçamento limitado, Madrid dispõe de opções de alojamento para todas as carteiras com vários hostels e airbn’s.

Seguindo os nossos conselhos as zonas que consideramos mais cómodas para pernoitar são no Bairro Malasaña, que é perto do centro e dispõe de uma excelente vibe noturna, perto da zona da Gran Vía ou Sol, onde os preços são relativamente mais caros, mas a localização é perfeita ou então nos bairros La Latina e Lavapiés cuja o ambiente noturno é bastante animado também.

Durante a nossa estadia ficámos hospedados no Hotel Gran Versalles que fica localizado no Bairro Malasaña e relativamente perto de tudo, principalmente da Gran Vía. O hotel é moderno e o nosso quarto era amplo, higiénico e bastante confortável além de termos sido muito bem atendidos sem nos causarem qualquer transtorno, embora tenhamos realizado o check-in já passava da meia-noite. Uma excelente opção, sem mordomias, mas com excelente relação qualidade/preço e boa localização.

Madrid | Onde comer?

Bares de tapas, cafés e restaurantes são um estilo de vida em Madrid. Uma das coisas que os madrilenos mais apreciam é este estilo descontraído que é na verdade uma combinação entre caminhar, parar num bar ou restaurante, comer e seguir para outro e, claro, sempre com muita bebida à mistura.

Madrid é a cidade com a gastronomia mais transversal, aqui encontra bom peixe, pratos típicos da Andaluzia ou da Galiza, Madrid no que há comida diz respeito é uma verdadeira capital que agrega o melhor que a Espanha tem na sua gastronomia. Além da comida típica espanhola pode ainda encontrar comida dos sete cantos do mundo, comida para todos os gostos não falta por aqui.

As principais especialidades da cidade, são: Jamón Ibérico de Bellota (presunto), Callos a la Madraliña (Ensopado de Tripas), Boquerones en Vinagre (Anchovas em Conserva), Soldadito de Bacalao (Bolinho de Bacalhau Frito), Cocido Madrileño (Cozido de Madrid, semelhante ao nosso cozido), Cochinillo Asado (Leitão Assado), Bocadillo de Calamares (Sandes de lula frita), Pincho de Tortilha (omelete de batata), Huevos Rotos (Ovos Rotos) entre muitos outros.

Dos restaurantes que conhecemos, aconselhamos a Casa Dani no Bairro de Salamanca onde comemos uma Tortilha fabulosa, o Casa Revuelta perto da Plaza Mayor onde os Soldadito de Bacalaos são a saborosa especialidade e a poucos metros de distância localiza-se o Meson de Champiñon cuja especialidade são os cogumelos e são realmente uma delícia. Caso queira provar várias coisas sem ter que se deslocar muito pode sempre optar pelos mercados gastronómicos de Madrid: Mercado de San Miguel, Mercado de Antón Martín, Mercado de San Ildefonso e Mercado de San Fernando.

Leia também

Faça um comentário