fbpx

Região Oeste de Portugal – guia e dicas de viagem

por Fábio Santos

Visitar a Região Oeste de Portugal é visitar uma região onde a natureza, cultura e arte decidiram juntar-se para criar um destino turístico diversificado. Na Região Oeste encontramos motivos fortes para com firmeza poder afirmar que é uma das regiões mais abrangentes de Portugal Continental que decerto não irá desfraldar as suas expetativas.

Há monumentos para conhecer, histórias de pescadores e de amor para ouvir, bonitas praias para relaxar ao sol e uma mão cheia de paisagens naturais capaz de deixar qualquer um rendido. Uma região com uma ligação estrita com o mar, região de bons pescadores e de bom peixe. Quando os sabores do mar saltam para a mesa ganham ainda mais encanto nas mãos de quem o cozinha como ninguém. A Região Oeste é completa e tem opções válidas para todos os gostos!

Caso esteja a planear organizar umas férias na região, ao longo do artigo iremos revelar os locais que aconselhamos visitar, os restaurantes que deve conhecer e os melhores sítios para ficar hospedado. Fique a conhecer as nossas dicas!

Região Oeste – Geografia

A Região Oeste é composta por 12 concelhos (Alcobaça, Alenquer, Arruda dos Vinhos, Bombarral, Cadaval, Caldas da Rainha, Lourinhã, Nazaré, Óbidos, Peniche, Sobral de Monte Agraço, Torres Vedras) sendo eles pertencentes ao distrito de Leiria e Lisboa.

Uma região onde a costa marítima se une com o campo de clima ameno e de muita luminosidade. As condições climatéricas da região são propícias a perfumadas paisagens onde os cheiros da fruta nos deixam deliciados. A pêra rocha do Oeste, a maçã de Alcobaça, a ginja de Óbidos e as vinhas generosas de Torres Vedras e Alenquer são o exemplo de que a agricultura por estas bandas é de grande qualidade.

As belíssimas enseadas e praias de areia branca constituem o melhor que a costa tem para oferecer. O mar é um dos principais meios de subsistência da região, e é em Peniche e Nazaré que as tradições piscatórias permanecem mais vivas no dia-a-dia das boas gentes do oeste.

Região Oeste – O que visitar?

….—-Nazaré

A Nazaré é uma típica vila piscatória onde as tradições têm sido mantidas como em nenhum outro lado em Portugal. Ao passear pela marginal junto à praia é certo que irá encontrar as tradicionais nazarenas com os seus sete saiotes a efetuarem as típicas tarefas piscatórias: ora remendar redes de pesca ora a secar o peixe sobre o areal. Sinal dos tempos e da importância que o turismo tem hoje em dia para as gentes da Nazaré, é comum ainda ver as nazarenas a tentar arrendar as suas casas aos turistas.

A praia da Nazaré sempre foi uma das mais procuradas do nosso país, principalmente para os habitantes da região centro de Portugal que ali se deslocavam para uns dias de férias na praia. Embora a água não seja das mais convidativas, os dias quentes de verão acabam por convencer os veranistas a um mergulho. No espaçoso areal irá encontrar as tradicionais e úteis “barracas” que nos abrigam do sol, uma imagem de marca da praia da Nazaré.

O que visitar na Nazaré?

  • Praia do Norte

As ondas gigantes mediatizaram a Praia do Norte como nunca antes. A dimensão colossal das ondas deve-se ao Canhão da Nazaré, um acidente geomorfológico único no mundo. Trata-se de uma falha na placa continental com 170km de comprimento e 5km de profundidade. Essa peculiaridade colocou esta praia no centro das atenções de muitos surfistas que por ali tentam desafiar a verdadeira força da natureza.

  • Forte de São Miguel Arcanjo

Se não tem coragem de desafiar as ondas gigantes da Nazaré, mas adora ver quem o faz, não haja dúvida que o melhor lugar para o fazer é no Forte de São Miguel Arcanjo. Localizado nas imediações da Praia do Norte no cimo de um penhasco, esta fortaleza foi construída com o objetivo de proteger a costa dos ataques na praia de marroquinos e argelinos.

  • Sítio da Nazaré

O Sítio da Nazaré é um dos locais míticos da vila e um dos bairros principais. Localizado no cimo da colina é possível lá chegar de carro ou a pé, mas a forma mais tradicional é através do Ascensor da Nazaré.

Segundo a lenda, foi no Sítio que no dia 8 de setembro, Nossa Senhora da Nazaré apareceu, sendo por isso considerado um local de peregrinação e culto. Nesse sentido, no século XVII no reinado de D. Fernando foi construído na principal praça da cidade o Santuário da Nossa Senhora da Nazaré. Caso seja um amante de turismo religioso pode completar a sua visita ao santuário com a visita à Capela da Memória.

Onde comer na Nazaré?

Taberna d’Adélia – A Taberna d’Adélia é um típico restaurante da Nazaré com decoração alusiva à pesca e aos trajes nazarenos. Um restaurante que frequentamos faz vários anos e onde a qualidade nunca nos desiludiu. Os sabores do mar são tratamos como ninguém e o atendimento é cordial, que o irá fazer sentir realmente à vontade. Na mesa adoramos a Cataplana de Marisco, o molho é divinal, a Caldeirada de Peixe e o peixe grelhado é sempre uma boa aposta.

Marisqueira Aki-d’el-Mar – Quem não gosta de um belo marisco? Na Marisqueira Aki d’el Mar, variedade de marisco não lhe irá faltar e o melhor de tudo, não precisa de deixar lá a carteira. Com marisco de qualidade magistralmente confecionado este restaurante para além da possibilidade de comer no seu espaço pode também optar pelo serviço de take-away.

….—-São Martinho do Porto

Com o seu areal em forma de concha de águas calmas e abrigada do vento, a praia de São Martinho do Porto é uma das mais procuradas da Região Oeste. Como a maioria, senão todas as vilas da costa portuguesa, é uma vila em que arte da pesca é o principal meio de subsistência. Considerada uma das melhores praias para passar férias em família, a calma vila de São Martinho do Porto enche-se de animação nos meses de verão nos seus cafés e bares que abundam ao longo da marginal.

Na ponta da baia de São Martinho do Porto, em Salir do Porto, encontra-se aquela que é a maior duna de Portugal. Com 50m de altura é costume ver os mais aventureiros a descer desalmadamente pela íngreme duna e que normalmente acaba por dar em trambolhões e muita animação.

….—-Foz do Arelho

A praia da Foz do Arelho é outra que costuma ter grande procura nos meses de verão. Tem a seu favor o facto de ser um local de confluência da Lagoa de Óbidos com o mar, causando a possibilidade de escolha entre as águas mais calmas ou mais agitadas. Na lagoa, embora se faça sempre sentir sempre alguma corrente, costuma ser o paraíso dos mais novos que nas águas sossegadas costumam brincar. A lagoa, devido ao vento que habitualmente se faz sentir, é um local muito procurado para a prática de windsurf. Do lado do mar as ondas fortes são uma presença habitual e, devido às condições marítimas, a praia costuma atrair praticantes de surf.

….—-Alcobaça

Alcobaça é uma das principais cidades da Região Oeste. Localizada nas margens do rio Alcoa e Baça, esta belíssima cidade está incontornavelmente ligada ao seu mosteiro, Mosteiro de Alcobaça. Para além da história e da cultura que está intimamente ligada à cidade nunca é demais referir a qualidade da gastronomia com uma influência determinante da doçaria conventual. Além dos doces, a maçã é a rainha por estas bandas. Facilmente, ao passear-se pelas estradas do concelho, irá encontrar pomares de diversos tipos de maçãs. Que boas e suculentas que elas são!

O que visitar em Alcobaça?

  • Mosteiro de Alcobaça

Expoente máximo da cidade, e uma das 7 Maravilhas de Portugal, o Mosteiro de Alcobaça é um dos principais monumentos do nosso país. Após a conquista de Santarém aos Mouros como forma de agradecer o apoio à Ordem de Cister, o rei D. Afonso Henriques ordenou em 1178 a construção do Mosteiro de Alcobaça.

A história deste mosteiro tem uma estrita relação com a história de amor de D. Pedro e D. Inês de Castro. O túmulo de ambos foi colocado frente a frente para que no dia em que ressuscitassem tivessem virados um para o outro.

O Mosteiro de Alcobaça pela sua história e beleza é um dos locas obrigatórios a colocar no roteiro pela Região Oeste.

Bilhete individual – 6,00 €

Bilhete Património Mundial:  Mosteiro de Santa Maria de Alcobaça, Convento de Cristo e Mosteiro de Santa Maria da Vitória (Batalha) – 15,00€ [válido por 7 dias]

outubro a março –  das 09h00 às 18h00 (última entrada 17h30)

abril a setembro – das 09h00 às 19h00 (última entrada 18h30) 

Encerrado: 1 de Janeiro, Domingo de Páscoa, 1 de Maio, 20 de Agosto e 25 de Dezembro

  • Lagoa de Pataias

A cerca de 20km de Alcobaça, na freguesia de Pataias, encontramos um paraíso para os amantes de natureza. A Lagoa de Pataias é um reservatório de água com uma única linha de escoamento, estando o seu caudal dependente unicamente da precipitação. Por ali abundam vestígios de biodiversidade e situa-se num dos principais eixos de migração de aves aquáticas, sendo assim comum avistar aves nas águas da lagoa. Por isso, se é fã da prática de birdwatching a Lagoa de Pataias é o local ideal para si. Patos-reais, galeirões, garças-reais, galinhas de água entre outros são presença assídua nas redondezas.

Caso prefira caminhadas ou passeios de bicicleta pela natureza existe um passadiço de madeira em redor da lagoa que permite efetuar o percurso em boas condições. Aproveite e desfrute das paisagens fantásticas.

Onde comer em Alcobaça?

Pastelaria Alcoa – Pastelaria intimamente ligada à história do Mosteiro de Alcobaça especializada no fabrico de doces conventuais. A mestria na hora de os fabricar já lhes valeu diversos primeiros prémios na confeção de doces conventuais. Não conseguimos provar todos, mas não foi por falta de vontade. Provamos um dos galardoados, a cornucópia e era de facto delicioso. A Pastelaria Alcoa, mais do que uma pastelaria, é um local de paragem obrigatória para os fãs de turismo gastronómico.

Pastelaria Alcoa - Alcobaça

Restaurante O Cabeço – Localizado num espaço lindíssimo, com um acolhedor jardim à entrada, cria-nos a ideia automática que estamos a entrar num espaço diferenciado. A verdade é que o bom gosto do espaço e da decoração salta para a mesa com uma magnifica surpresa de sabores e texturas que nos deixaram encantados. Das entradas maravilhosas passando por uma suculenta posta de vitela e terminando numa deliciosa sobremesa. Um espaço que aconselhamos vivamente.

….—-Caldas da Rainha

Caldas da Rainha, concelho vizinho de Alcobaça, é uma das cidades de destaque da região. Pela peculiaridade do nome cabe-nos contar a sua origem. No séc. XV, a Rainha D. Leonor necessitava de sarar uma ferida que há muito não cicatrizava e decidiu dirigir-se até ali para comprovar as qualidades únicas da nascente termal, escusado será dizer que funcionou. Correu tão bem que a rainha ordenou a construção de um Hospital no local da nascente, à sua volta com o passar dos anos foi-se desenvolvendo a povoação, as “Caldas da Rainha”.

O que visitar nas Caldas da Rainha?

  • Parque D. Carlos I

O Parque D. Carlos é o local mais procurado das Caldas da Rainha e existe sempre alguém a fazer um passeio nos belos jardins do parque. Construído em redor do antigo hospital termal, no parque realça-se o enorme lago artificial rodeado de vegetação que paisagisticamente é deslumbrante. O parque é tão agradável, com tão boas zonas de sombra e vegetação tão fresca, que o torna muito procurado por turistas de todo o país.

  • Rota Bordalliana

Rafael Bordalo Pinheiro, ceramista que se mediatizou com a criação da figura de Zé Povinho teve uma enorme importância para o desenvolvimento do setor da cerâmica caldense, sendo ainda hoje uma das imagens de marca das Caldas da Rainha. Em 1884 aceitou o convite para chefiar a Fábrica de Faianças das Caldas da Rainha originando uma verdadeira revolução na arte ceramista da época, colocando em cada peça um cunho pessoal e original.

Para conhecer o seu génio e as suas melhores peças é possível realizar a Rota Bordalliana, que é um percurso onde estão expostas 20 das principais figuras por ele criadas em tamanho gigante. Conheça mais desta iniciativa neste link.

….—-Óbidos

Óbidos é uma pequena vila medieval, rodeada por altas muralhas que escondem uma vila cheia de charme e encanto. No seu interior está guardada uma das mais autênticas e bem preservadas vilas de Portugal. Com as suas ruas de empedrado e os seus casarios brancos, Óbidos é daqueles bons exemplos que conseguem, ainda que por breves instantes, fazer-nos viajar no tempo.

Óbidos foi construída com o passar dos anos onde aqui e ali foi sofrendo alterações, mas nunca perdeu a sua origem. Associar a herança histórica de Óbidos à cultura é tarefa fácil ainda nos dias de hoje, pelo que é classificada como Cidade Literária da UNESCO. Na sua visita a Óbidos facilmente irá encontrar detalhes literários e muitas bibliotecas. Conjugue a sua visita com a compra de um livro na terra da literatura!

Um dos locais mais icónicos do nosso país e justamente considerado uma das 7 Maravilhas de Portugal, a vila de Óbidos é sempre muito procurada pelos turistas que a invadem principalmente nos meses de verão. Por todos os cantos irá encontrar pequenos negócios, seja cafés, restaurantes, lojas de souvenirs ou de artesanato e, claro, muita ginjinha de Óbidos.

O ponto máximo é o magnânimo Castelo de Óbidos, de origem medieval e suas longas muralhas. Se tem dúvidas da beleza do local elas ficam logo esclarecidas à entrada, com um lindíssimo painel de azulejos que retratam cenas da Paixão de Cristo. É de facto uma verdadeira maravilha.

Eventos em Óbidos:

  • Festival Internacional do Chocolate (abril)
  • Mercado Medieval de Óbidos (julho, agosto)
  • FOLIO – Festival Literário Internacional de Óbidos (setembro, outubro)
  • Óbidos Vila Natal (novembro a janeiro)

….—-Lagoa de Óbidos

A Lagoa de Óbidos está localizada no concelho de Caldas da Rainha e Óbidos e partilha as mesmas águas da lagoa da Foz do Arelho. Esta lagoa é o sistema lagunar mais extenso da Costa Portuguesa e a sua ligação ao mar é feita através de um canal que alimenta o caudal da lagoa.

Embora as águas sejam frias, aconselhamos esta praia a quem procura um dia sossegado onde as crianças se possam banhar livremente e em segurança.

….—-Peniche

Voltando até à costa, a cidade de Peniche é um dos melhores exemplos da abrangência de interesses turísticos que a região tem para oferecer. Boas praias, algumas recém afamadas no Circuito Mundial de Surf, excelentes locais de observação de natureza e um património histórico com grande relevância na história de Portugal.

O que visitar em Peniche?

  • Forte de Peniche

O Forte de Peniche é um dos locais mais mediáticos do período ditatorial que Portugal viveu no século XX. Ali ocorreram algumas das muitas barbaridades da época e foi local de prisão de muitos presos políticos. Embora várias figuras tenham conseguido escapar do forte, o episódio mais destacado é a fuga de Álvaro Cunhal, uma figura incontornável do Partido Comunista Português.

Hoje em dia no seu interior pode visitar o museu designado Núcleo da Resistência que reconstitui os acontecimentos da época. Além disso poderá visitar a cela de Álvaro Cunhal e ficar a conhecer o modo como a fuga ocorreu. No espaço existe ainda o Museu Municipal que acolhe exposições de arqueologia e etnográficas, alusivas à cultura penichense.

  • Berlengas

Um dos locais mais bonitos de Portugal, o arquipélago das Berlengas situa-se a cerca de 10km da costa Peniche e é de uma beleza paisagística capaz de deixar qualquer um sem palavras. O arquipélago é formado por três ilhas, Berlenga, Estelas e Farilhões mas é na ilha da Berlenga que se encontra os principais locais de interesse.

Um dos locais mais emblemáticos do arquipélago é o Forte de São João Batista, mandado construir por D. João IV no séc. XVII por objetivos estratégicos. Serviu durante muitos anos de assistência a marinheiros e náufragos que eram surpreendidos pela violência da costa. Atualmente é a sede da Associação Amigos das Berlengas e local de alojamento com 20 quartos de capacidade. A sua localização fantástica rodeado pelo mar, em que o único acesso é feito por um corredor, é de uma elegância visual sem igual.

Se é fã de natureza, o arquipélago é rico em biodiversidade em que o melhor é andar pela ilha e deixar-se levar pelos encantos da natureza.

Como ir?

A única forma de chegar à ilha é de barco e existem ao longo do ano circuitos regulares a partir do Porto de Peniche. Existem várias operadoras que realizam o trajeto, sendo o valor para o circuito simples de 25€/pessoa. Caso pretenda visitar grutas ou fazer snorkeling os preços são diferentes. Conheça os preços e as operadoras no site das Berlengas.

  • Cabo Carvoeiro

Localizado no ponto mais ocidental da península de Peniche é uma zona de uma beleza paisagística incrível e cujas formações rochosas tem formas que o mar ao longo dos anos esculpiu artisticamente. Do cabo é possível, em dias de céu limpo, avistar a Ilha das Berlengas.

Um dos pontos de interesse como na maioria dos cabos é o seu farol. Este tem a particularidade de ser um dos mais antigos do país (1758) que ainda se encontra em funcionamento.

Nas imediações do Cabo Carvoeiro encontramos uma verdadeira maravilha da natureza, a Varanda de Pilatos. Um nicho de 2 metros de profundidade com uma varanda aberta sobre o mar. A vista sobre o Atlântico é soberba e ao longe conseguimos, nos dias limpos, ver a ilha das Berlengas. Um capricho da natureza que arregala as nossas sensações num misto de insegurança pelo abismo da encosta com a admiração das construções encantadoras da natureza.

Na estrada entre o Cabo Carvoeiro e o Forte de Peniche, na borda das falésias encontramos a Gruta da Furninha, um dos segredos mais bem guardados da costa de Peniche. Após descermos cuidadosamente as escadas junto ao mar encontramos uma pequena gruta onde foram encontrados vestígios da presença do Homem Neandertal.

  • Baleal

A pequena península do Baleal está separada do “continente” por um tombolo o que formou uma praia lindíssima. A areia branca e fina e o mar apetecível são qualidades que não passam despercebidas aos veraneantes, tornando esta praia uma das mais procuradas da região.

As características marítimas são ideias para a prática de desportos náuticos e é comum ver nos mares imensos praticantes de surf e bodyboard. Caso queria aprender a praticar este tipo de desporto existem no Baleal diversas escolas que lhe dão todas as dicas para se tornar praticante.

  • Praia de Supertubos

A Praia de Supertubos deu outra fama à cidade de Peniche e colocou-a nos holofotes dos fãs mundiais de surf. Por ali as condições do mar originam ondas longas que criam os conhecidos “tubos”, espaços vazios no meio da onda que tanto atraem os surfistas.

A fama da praia para os desportos náuticos é além-fronteiras sendo palco para a realização de uma etapa da competição do WCT da Rip Curl Pro.

Onde comer em Peniche?

Marisqueira Mirandum – Uma das melhores marisqueiras que já tivemos a oportunidade de conhecer. Se procura uma mariscada completa com muita variedade que o irá deixar empanturrado de tanta qualidade, aqui é o sítio certo. O restaurante é pequeno, trata-se de um restaurante familiar onde o atendimento é cuidado e atencioso. Devido à sua dimensão e popularidade aconselhamos à reserva atempada.

Xakra Beach Bar – Com uma localização privilegiada em frente ao mar da Praia do Molho Leste, este restaurante é uma verdadeira maravilha na hora do bem servir. Nem a sua localização vantajosa, que certamente sempre lhe traria clientes, os faz descuidar na hora da confeção dos pratos. Com uma ementa variada onde os sabores do mar, como não podia deixar de ser, são o ponto forte da casa. Delicie-se com uma fantástica refeição enquanto não perde de vista o mar lindíssimo da costa de Peniche.

….—-Bacalhôa Buddha Eden

Localizado no Bombarral, na Quinta dos Loridos dedicada à produção de vinhos, é possível visitar os magníficos jardins do Bacalhôa Buddha Eden. Estes jardins têm a particularidade de conjugar as maravilhas da natureza com a arte.

À sua espera está um agradável passeio nos jardins com mais de 1000 palmeiras e mais de 200 esculturas de budas. Esta ideia surgiu como forma de protesto à destruição dos Budas Gigantes de Bayman, uma das maiores atrocidades culturais da história da humanidade.

Um verdadeiro museu a céu aberto que tem na natureza um poderoso aliado, onde para além das esculturas pode admirar os lagos enormes com diversos peixes e ainda observar árvores exóticas.

Preço do Ingresso: 5€ (entrada livre até aos 12 anos)

Passeio de comboio: 4€

Website: https://www.bacalhoa.pt/enoturismo/bacalhoa-buddha-eden

Onde comer perto do Bacalhôa Buddha Eden?

Restaurante Zélia – Caso visite o Bacalhôa Buddha Eden e a fome chegue no entretanto o Restaurante Zélia fica localizado a escassos quilómetros dos jardins. Uma cozinha tradicional portuguesa que serve doses generosas de algumas das melhores iguarias da nossa gastronomia. Com um staff atencioso e uma carta de vinhos vasta, este restaurante é uma opção fantástica para um almoço após uma manhã desgastante de caminhadas pelos jardins.

….—-Lourinhã

O concelho da Lourinhã abriga alguns dos locais mais interessantes da Costa Oeste e algumas das paisagens mais idílicas da costa portuguesa. Uma zona onde os pomares de pêra rocha enchem de encanto as paisagens e nos fazem deliciar pela sua suculência, na verdade são as melhores pêras do mundo.

À sua espera estão praias lindíssimas, achados arqueológicos raríssimos, que ajudam a contar um pouco da história da evolução do nosso planeta, condições marítimas perfeitas para a prática de surf e também uma boa gastronomia. Aliás, se já fez a sua refeição e necessita de um bom digestivo fique sabendo que a Lourinhã é a única região demarcada do país para a produção de aguardente.

O que visitar na Lourinhã?

  • Forte de Nossa Senhora dos Anjos de Paimogo

Localizado no concelho da Lourinhã, encontramos o Forte de Nossa Senhora dos Anjos de Paimogo ou Forte da Lourinhã que, embora seja classificado como Imóvel de Interesse público, encontra-se ao abandono e com marcas de degradação. Construído no séc. XVII este forte tinha como função defender aquela zona do litoral e integrava a segunda linha de defesa da barra do Rio Tejo.

Embora esteja ao abandono lá encontramos uma das melhores vistas sobre o mar que tivemos oportunidade de assistir. Visto ser praticamente desconhecido pode apreciar a vista calmamente, que nestes dias é uma verdadeira preciosidade.

  • Praia da Areia Branca

A Praia da Areia Branca é uma das mais afamadas da região e nos meses de verão é sempre muito procurada pelos veraneantes. Localizada no concelho da Lourinhã, na aldeia de Areia Branca, esta praia tem nas imediações muitos restaurantes, bares e cafés que dão imensa animação aos dias e noites da aldeia.

A praia tem sempre alguma ondulação, mas nada que intimide nos meses de verão. Embora as ondas não sejam enormes a praia tem condições excelentes para a prática de surf e bodyboard.

  • Vimeiro

A Praia do Vimeiro ou Praia de Porto Novo está localizada na foz do Rio Alcabrichel e rodeada de vertiginosas escarpas repletas de belíssima vegetação. No porto desta praia desenrolou-se uma importante etapa da nossa história, uma vez que foi ali o local de desembarque das tropas britânicas que combateram na Batalha do Vimeiro contra as tropas napoleónicas.

O principal destaque do Vimeiro é as qualidades terapêuticas das suas águas que deram origem à criação das Termas do Vimeiro, localizadas entre a Praia de Porto Novo e a aldeia da Macieira. As qualidades da água remontam aos tempos longínquos e são especialmente indicadas para a prevenção e tratamento de doenças de pele, aparelho digestivo, circulatório e respiratório.

  • Alto dos Moinhos de Pinhôa

No alto da Pinhôa na Freguesia de Moita dos Ferreiros encontramos cinco moinhos em excelentes condições. Três dos cinco moinhos ainda mantém a sua atividade tradicional de moagem do milho e do trigo.

Por estar localizada em alta altitude o vento é presença assídua pelo que é o local perfeito para a instalação dos moinhos. Outro destaque para além dos moinhos em plenas condições é a paisagem sobre a Serra do Montejunto. Uma vista sobre a natureza que o irá deixar encantado.

  • Dino Parque

O Dino Parque é um parque temático relacionado com dinossauros que é uma das principais atrações da Lourinhã. Um parque destinado a miúdos e a graúdos, conta com mais de 180 modelos de espécies de Dinossauros à escala real divididos por várias zonas temáticas.

No espaço também existe um museu com fósseis de dinossauros encontrados na região da Lourinhã e tem ainda uma zona de experimentação onde é possível escavar um bloco com fósseis verdadeiros. No laboratório é ainda possível assistir ao trabalho dos paleontólogos nas suas tarefas de busca de informação acerca de uma das espécies mais extraordinárias da história da humanidade.

Informações:

Horário: Todos os dias: 10h (incluindo sábados, domingos e feriados)

Horário de Encerramento

janeiro / fevereiro / outubro / novembro / dezembro: 17h (última entrada às 15:30h)
março / abril / maio: 18h (última entrada às 16:30)
junho / julho / agosto / setembro: 19h (última entrada às 17h30)

Bilhetes

0-3 anos – grátis

4-12 anos – 9,90€

+13 anos – 13€

….—-Torres Vedras

Torres Vedras é uma cidade-concelho de dimensão considerável, onde o mar e o rural se fundem num conjunto de experiências diversificadas. Numa terra onde as intensas brisas do Atlântico fazem furor para os amantes de mar e praia, mas as férteis terras do interior fazem crescer as videiras de onde nascerá bom vinho nacional.

Falar de Torres Vedras é falar de Carnaval! Na época do Carnaval a cidade de Torres Vedras é invadida pela folia que chega de todos os cantos do país à procurado melhor carnaval de Portugal!

O que visitar em Torres Vedras?

  • Castelo de Torres Vedras

O principal destaque da cidade de Torres Vedras é o seu castelo que facilmente salta à vista mal entramos na cidade. De origem pré-medieval, com elementos da época romana e muralha construída pelos mouros, este castelo ao longo dos anos tem sofrido diversas alterações face às fatalidades que por ali ocorreram. Em 1148 a fortificação foi arrasada durante a conquista dos cristãos aos mouros para que de seguida fosse reconstruída para salvaguardar os contra-ataques. Mais tarde, o terramoto de 1755 também causou danos significativos na estrutura e só foi reparado em época das invasões napoleónicas. Um local onde a história se fez, embora as condições do espaço não sejam as melhores, vale a pena conhecer!

  • Praias de Santa Cruz

A Praia de Santa Cruz é localizada no concelho de Torres Vedras e é uma das praias mais bonitas de Portugal. As formações rochosas da Praia de Santa Cruz dão um toque singular e incrível à praia, criando paisagens de arregalar o olho. O areal é tão extenso que se divide em várias pequenas praias de nome: Praias do Navio, do Mirante, do Pisão, da Física, do Centro, de Santa Helena, da Formosa e a Praia Azul.

Do conjunto de rochedos que pontilham pelo areal o destaque recai para o Penedo do Guincho com 30m de altura em forma de semicircunferência que se deixa atravessar pela água no meio.

Um dos pontos de destaque é a Torre de Santa Cruz, uma pequena torre branca construída na marginal em frente à praia. A sua construção tem uma história bem romantizada uma vez que segundo a lenda foi construída para que um homem muito rico conseguisse observar uma mulher pela qual estava apaixonado enquanto ela trabalhava numa propriedade rodeada de muros muito altos. Uma história bem romântica!

Onde ficar na Região Oeste?

A região oeste é enorme e as opções de estadia também. Normalmente o principal objetivo de uma visita à região é as zonas costeiras. Caso seja esse também o seu objetivo aconselhamos os alojamentos na Nazaré, Peniche ou Santa Cruz. Por sua vez se prefere conhecer as zonas rurais recheadas de património histórico aconselhamos pernoitar por Alcobaça ou em Óbidos a melhor opção.

Além dos tradicionais alojamentos pode sempre optar por encontrar uma casa de férias para arrendar que é muito comum nas zonas costeiras. Se for sem marcação facilmente encontra um quarto ou a casa para arrendar na Nazaré. Basta andar pelas ruas que certamente alguma nazarena irá tentar fazer negócio consigo.

Indicamos abaixo alguns alojamentos para a sua estadia na Região Oeste, os preços são meramente indicativos e podem variar conforme a época do ano.

Parques de Campismo

Parque de Campismo Baía Azul – São Martinho do Porto

Peniche Praia – Autocaravanismo, Bungalows e Campismo

Camping Orbitur Valado – Nazaré

Orbitur Foz de Arelho – Foz do Arelho

Camping Praia de Santa Cruz – Santa Cruz, Torres Vedras

Hotéis Lowcost

Foral Guesthouse – Óbidos (35€)

Supertubos Beach Hostel – Peniche (50€)

Baleal 39 – Peniche (55€)

Green Hostel Peniche – Peniche (40€)

Na Crista da Onda – Nazaré (40€)

Alojamento com boa relação qualidade/preço

19 Tile Boutique House – Caldas da Rainha (65€)

MH Peniche – Peniche (100€)

Casa das Barcas – Lourinhã (85€)

Hotel Concha – São Martinho do Porto (100€)

Vila Louro – Santa Cruz (80€)

Hotéis de Luxo

Hotel Miramar Sul – Nazaré (120€)

Real Abadia, Congress & Spa Hotel – Alcobaça (100€)

Rio do Prado – Foz do Arelho (200€)

Bukubaki Eco Surf Resort – Peniche (240€)

Parque dos Monges – Alcobaça (100€)

Faz download gratuito do guia da Região Oeste e tem acesso em qualquer lugar e a qualquer hora!

Leia também

Faça um comentário