Roma, o que visitar? Roteiro de 3 dias

por pontodepartida

A cidade de Roma é uma das mais visitadas do mundo, atraindo turistas dos sete cantos do mundo. Coliseu, Vaticano e Fontana de Trevi são os primeiros locais que surgem na nossa cabeça quando falamos da capital italiana, mas existem muitos outros locais para conhecer. Roma, o que visitar? É a pergunta que lhe prometemos responder através do relato do nosso roteiro de 3 dias. Fique a conhecer as nossas dicas!

Roma, a cidade eterna que perdurará para sempre também na nossa memória. O paraíso para os amantes de arte e cultura, Roma é um verdadeiro museu a céu aberto que conta com património histórico com mais de 2000 anos. Entrar nesta cidade é como um mergulho na história, onde sem darmos por nós estamos completamente envolvidos em toda a mística romana. Se há cidade cosmopolita, Roma é uma delas! Trânsito infernal, ruas à pinha de gente mas sempre com um canto digno da Bella Roma.

Como chegar ao centro de Roma a partir dos aeroportos?

Os aeroportos de Ciampino e Fiumicino são as duas grandes portas de entrada na capital italiana. O Aeroporto de Ciampino está localizado a cerca de 15km do centro de Roma e é responsável por receber apenas os voos lowcost. Por sua vez o Aeroporto de Fiumicino localizado a 35km de Roma destina-se principalmente aos voos de companhias de bandeira, embora realize ainda alguns voos lowcost.

  • Comboio

Ciampino: Os comboios partem de Ciampino Città que fica a 5 minutos do aeroporto. As empresas Atral e Cotral são duas companhias de autocarros que realizam os trajetos do aeroporto até à estação por 1€. As ligações de comboio entre Ciampino Cittá e Termini (principal estação de comboios de Roma) custa 1,50€ e dura cerca de 15 minutos.

Fiumicino: Os comboios partem de meia em meia hora e o trajeto até Termini dura cerca de 30 minutos. O custo do bilhete é de 14€. Pela rapidez e pelo preço consideramos este o melhor trajeto, tendo em conta o custo/beneficio.

      Vantagens:

    • Método económico
    • Rapidez, o único trânsito que poderá encontrar é no curto trajeto entre o aeroporto e a estação de comboio

      Desvantagens:

    • Pouca comodidade, se chegar com algumas malas torna-se cansativo movimentar as malas entre aeroporto, autocarro e comboio.
  • Autocarro

Ciampino: Realizar o trajeto entre o Aeroporto de Ciampino e a Estação de Termini de autocarro é uma forma muito comum de realizar o percurso. O tempo da viagem é por norma mais ao menos 40 minutos e existem três companhias a realizar o percurso:

  • Terravision (4€)
  • Cotral (3,90€)
  • Sitbusshuttle (4€)

Fiumicino: O trajeto liga Fiumicino à Estação de Termini, os autocarros partem com uma periodicidade de 1h. O trajeto dura cerca de 45 minutos em média, embora sempre sujeito ao tráfego rodoviário. Várias companhias realizam o trajeto, sendo 5€ o valor praticado em média.

      Vantagens

    • Método Económico
    • As viagens partem diretamente do aeroporto não sendo necessária deslocação

      Desvantagens

    • Tempo de viagem, cerca de 40 minutos, algo demorado e sempre sujeito a condicionamentos de trânsito
    • Caso o hotel não fique perto de Termini é necessário ainda realizar outra viagem de metro ou táxi
  • Transfer Privado / Transfer Partilhado / Táxi

As formas mais cómodas de realizar o trajeto é de transfer ou táxi, uma vez que o deixarão mesmo à porta do hotel. Chegar ao aeroporto e ter alguém com uma placa com o seu nome e ter à sua espera um carro que o levará rapidamente até onde pretende, por vezes compensa o valor a pagar.

  • Transfer Privado (50€)
  • Transfer Partilhado (19€/pessoa)
  • Táxi (30€)

      Vantagens

    • Comodidade

      Desvantagens

    • Preço mais elevado
    • Caso pretenda realizar o trajeto de táxi, cuidado na hora de escolher o motorista. Embora não seja uma prática comum existem relatos de taxistas corruptos que cobram uma exorbitância pela viagem

Como se deslocar em Roma?

Roma é uma cidade em que se consegue visitar grande parte das atrações turísticas a pé, contudo se ficar hospedado no Centro Histórico de Roma é mais cómodo visitar o Vaticano ou o Coliseu com recurso ao metro ou autocarro. Roma tem uma excelente rede de transportes públicos e com preços bastante em conta.

  • Bilhete Integrado – (1,50€), válido por 100 minutos após o momento em que o valida. Pode ser usado apenas uma vez no metro, enquanto que uso no autocarro e comboio é ilimitado dentro dos 100 minutos de validade.
  • Bilhete 24 Horas – (7,00€), válido por 24 horas dentro de Roma e todos os meios de transporte público estão abrangidos.
  • Bilhete 48 Horas – (12,50€), válido por 48 horas dentro de Roma e todos os meios de transporte público estão abrangidos.
  • Bilhete 72 Horas – (18€) válido por 72 horas dentro de Roma e todos os meios de transporte público estão abrangidos.
  • Bilhete 7 dias (24€) válido por 7 dias dentro de Roma e todos os meios de transporte público estão abrangidos.

Dica: Roma Pass

O Roma Pass é um cartão que oferece a possibilidade de agregar a visita às principais atrações turísticas evitando as filas enormes (principalmente as filas do Coliseu) além de fornecer transporte público ilimitado na cidade. Mas será que compensa? Vamos explicar!

Tipos de Passe: veja as principais diferenças entre os dois

Roma Pass Tradicional (72 horas) Roma Pass (48 horas)
Duas atrações gratuitas, num prazo de 3 dias Uma atração gratuita, prazo de 1 dia
Transporte público ilimitado por 3 dias Transporte público ilimitado por 2 dias
Descontos nos ingressos das principais atrações Descontos nos ingressos das principais atrações
Mapa da cidade com indicação dos pontos turísticos e transporte público Mapa da cidade com indicação dos pontos turísticos e transporte público
Acesso a fila dedicada a Roma Pass Acesso a fila dedicada a Roma Pass
Preço: 38€ Preço: 28.50€

Atrações com desconto: Estão incluídos no Roma Pass as principais atrações, desde logo o Coliseu, Fórum Romano e Palatino (os 3 contam apenas como 1 atração no plano do Roma Pass), Castelo Sant’Angelo, Galeria Borghese, entre outros. Conheça todas as atrações e museus incluídos no Roma Pass através deste link.

Onde comprar? O cartão Roma Pass pode ser adquirido nos postos de informação turística ou em todos os museus ou atrações turísticas que integram a iniciativa. Se pretender pode adquirir o cartão logo à chegada nos postos de informação turística dos aeroportos de Fiumicino ou Ciampino.

Vale a pena comprar? Em termos económicos a diferença não é significativa, mas a comodidade de aceder às filas VIP’s não tem preço, acreditem em mim! Demoramos cerca de 5 minutos a entrar no Coliseu na fila destinada a bilhetes Roma Pass enquanto que a fila tradicional dava praticamente a volta ao Coliseu. Em termos económicos se juntarmos o Coliseu, Fórum Romano e Palatino (12€) + Galeria Borghese (13€) + Transporte Público Ilimitado 72 horas (18€) = 43€, pouparíamos então 5€. Se pretender visitar o Coliseu na sua estadia em Roma consideramos a aquisição do Roma Pass a melhor opção!

Roma o que visitar? – Roteiro 3 dias

1º Dia – Centro de Roma

No primeiro decidimos fazer um roteiro clássico, nas principais ruas da cidade e visitando algumas das principais atrações da capital italiana. O percurso realizado foi perfeito para nos ambientarmos ao clima citadino e deixar-nos ainda mais empolgados para os dias restantes. Fiquem a conhecer o nosso primeiro dia!

….—-Piazza del Popolo

Começamos por uma das praças mais movimentadas e também mais carismáticas de Roma, a Piazza del Popolo. Como o próprio nome indica, “Praça do Povo” é lá que se realização muitos dos principais eventos da cidade e a maioria das manifestações populares. Todos os dias acolhe diversos artistas de rua que nos presenteiam com verdadeiros shows dignos das melhores salas de espetáculos.

Para início de visita, fica logo claro a qualidade arquitetónica que nos espera nestes próximos dias. Nesta praça para além do obelisco egípcio que encontramos ao centro, estão também as Igrejas Gémeas, Santa Maria in Montesanto e Santa Maria dei Miracoli ou Milagres. As igrejas encontram-se a dividir a Via del Corso, a principal rua de Roma.

Contudo, a igreja mais famosa da praça é a Igreja Santa Maria del Popolo com as suas capelas lindíssimas, onde é possível observar duas obras de Caravaggio (Crucificação de São Pedro e a Conversão de São Paulo). Para os fãs de Dan Brown como nós, a Capella Chigi, foi cenário no filme Anjos e Demónios . Fiquem a conhecer!

….—-Villa Borghese

A tentação de descer pela Via del Corso é muita, mas aguente e descubra o grande pulmão de Roma, Villa Borghese. Na Piazza del Popolo irá encontrar uma escadaria que o leva até ao Parque Borghese, pelo caminho pode admirar uma vista incrível sobre a praça.

O parque é lindo com longos relvados verdes e uma vegetação soberba. O sítio ideal para fazer uma pausa e recuperar energias para o dia movimentado que se segue.

Caso seja fã de museus, aconselhamos a visita ao Museu Galeria Borghese, que fica localizado no interior do parque. A sua visita está incluída no Roma Pass.

Morada: Piazzale Scipione Borghese, 5, 00197 Roma RM
Horário: 9h às 19h (última entrada às 17h), encerrado à segunda
Bilhete: É necessária reserva antecipada, mesmo visitando através do Roma Pass. Reserve através deste link.
Preço: 20€ adultos, pessoas entre os 18 e o 25 pertencentes à UE 9€ e menores de 18 anos a entrada é gratuita

….—-Piazza di Spagna

Depois da visita à Galleria Borghese faça-se à estrada numa breve caminhada até a Piazza di Spagna, a praça mais fotogénica e afamada de Roma. O nome desta praça deve-se ao Palazzo di Spagna, construído para hospedar a Embaixada de Espanha no séc. XVII.

A visita a esta praça tornou-se numa das desilusões da nossa viagem, uma vez que estava em obras. Ainda assim o local encontrava-se à pinha de turistas a admirar a longa escadaria.

Se tiver mais sorte que nós aproveite para admirar umas das melhores vistas da cidade, no topo da Scalignata di Spagna. No topo das escadarias irá encontrar também a Igreja Trinità dei Monte que possui no seu interior uma coleção de obras de arte incrível.

….—-Via Condotti e Via del Corso

Seguimos pela Via dei Condotti, principal rua de compras da cidade, onde se encontram algumas das lojas mais elegantes, como a Prada ou Louis Vuitton e algumas das mais finas cafetarias de Roma. Uma rua que atiça o lado consumidor que há em nós e, além disso, conta com diversos artistas que lhe dão ainda mais encanto.

Ao seguir pela Via dei Condotti chegamos à Via del Corso, considerada por muitos a principal rua da cidade. Esta rua interliga a Piazza del Popolo à Piazza Venezia, e entre ambas as praças, ora à direita ora à esquerda, vão ficando alguns dos locais mais mediáticos.

….—-Fontana de Trevi

A nossa próxima paragem, de gelato na mão, foi a afamada Fontana di Trevi. Principal fonte de Roma, autoria de Nicola Salvi, impressiona pela beleza das suas esculturas.

Pelo mediatismo que lhe é característico esperávamos uma multidão de turistas, mas nunca imaginámos que poderiam ser tantos. Entre algum esforço, com empurrões à mistura, conseguimos aproximar-nos da fonte e cumprir o tradicional “atirar” da moeda para garantirmos desde logo uma próxima visita a Roma. Não esquecer que para cumprir escrupulosamente o ritual, a moeda deve ser atirada de costas com a mão direita por cima do ombro esquerdo.

….—-Pantheon

Localizado na Piazza della Rotonda, encontramos o próximo local a visitar: o Pantheon. Construído no século 25 a.C o Panteão é o mais bem preservado edifício da Roma Antiga. No seu interior estão sepultadas algumas das mais importantes personalidades da história de Itália.

O grande destaque é sem dúvida a sua cúpula arredondada, com um óculo que permite a entrada de luz natural que elimina todo o interior. No momento em que visitamos o Pantheon estava a chover e o efeito visual da água a cair dentro do edifício iluminado pela luz solar foi incrível. Um local indispensável em qualquer roteiro.

Horário: 9h às 19.30h de segunda a sexta, 9h às 18h aos domingos
Preço: Gratuito

….—-Piazza Navona

Através das pequenas ruelas adjacentes chegamos à Piazza Navona, uma praça recheada de restaurantes, cafés e artesanato. Seja qual for a altura do dia esta praça nunca descansa, um corrupio de gente que por ali passa e outras tantas que por ali decidem ficar. Nesta praça não faltaram exibições de pintores entre outras artistas a tentarem vender as suas obras de arte verdadeiramente lindíssimas.

Uma das grandes atrações desta praça é a Fontana dei Quattro Fiumi de Bernini, uma obra composta por um conjunto de esculturas que simbolizam os quatro principais rios do mundo: Nilo, Prata; Ganges e o Danúbio.

2º Dia – Coliseu (Roma Antiga)

Entusiasmados e com as expetativas elevadíssimas, assim chegou o segundo dia que se avizinhava ainda mais impactante que o primeiro. É difícil de classificar qual o monumento romano mais importante, mas de certeza que o Coliseu estará sempre no topo da lista. Pela história, pela grandiosidade e por todo o simbolismo que o Coliseu representa, este segundo dia era à partida um dos que aguardamos com maior expetativa. Um dia que se perspetivava cansativo e preenchido, que seria completamente dedicado à descoberta dos tempos áureos do Império Romano, onde para além da visita obrigatória ao Coliseu, visitaríamos também o Fórum Romano e o Palatino.

….—-Coliseu

A melhor forma de chegar ao Coliseu é através de metro ficando na estação chamada Coliseu (Linha B). A maior parte das estações são da linha A e caso fique no centro de Roma pode ser necessário fazer a conexão com a linha B na estação de Termini (Gare do Oriente Italiana).

Com os olhos a pestanejar da incidência da luz à saída do metro, somos imediatamente recebidos pelo impetuoso Coliseu que nos deixa de queixo caído. O espanto, a curiosidade e a euforia é tanta que recorremos imediatamente à nossa câmara fotográfica para registar para a posteridade o momento em que estivemos lado a lado com uma das construções mais marcantes da história da Humanidade.

Eleito em 2007 como uma das 7 maravilhas do mundo, o Coliseu recebe por ano milhões de turistas, sendo um dos monumentos mais visitados em todo o mundo. Inaugurado em 80 d.C. pelo Imperador Tito, o Anfiteatro com capacidade para 80 mil espetadores foi inicialmente criado com a finalidade meramente recreativa, sendo utilizado durante vários anos para espetáculos megalómanos e impensáveis na era moderna, desde logo, combates entre gladiadores, batalhas marítimas (através de um sistema hidráulico que possuía), caças de animais selvagens, execuções, encenações de batalhas famosas e dramas baseados na mitologia clássica. Mais tarde foi reutilizado para vários fins, desde habitação, a pedreira e até mesmo um santuário cristão. Destruído por incêndios, terramotos e alvo de vários assaltos, o Coliseu atualmente conta, no seu interior, com vários blocos de mármore caídos, fruto do desgaste da sua longa existência.

Dica: Muitos turistas significa enormes filas! Para o evitar compramos antecipadamente os bilhetes na internet que também permitiam a entrada no Fórum Romano. Os bilhetes custaram apenas 11,50€, devido ao facto de sermos residentes da União Europeia, com idades entre os 18 e 24 anos. Comprar os bilhetes antecipadamente permitiu-nos a entrada quase imediata, esperando apenas cerca de 5 minutos e evitando as longas filas existentes em redor do Coliseu. Aconselhamos vivamente a quem o pretenda visitar a fazê-lo, podendo efetuar a sua reserva através deste link.

….—-Fórum Romano e Palatino

Depois siga em direção ao Fórum Romano que fica bem próximo do Coliseu. Conforme referido anteriormente o bilhete do Coliseu dá acesso à visita ao Fórum Romano e Palatino.

O Fórum, outrora fora o centro comercial de Roma, onde aconteceu as decisões mais importantes do Império: eleições, discursos de políticos, julgamentos e algumas batalhas. O local é enorme, recheado de informações históricas que nos dão a conhecer muito melhor a história do Império do Romano. O Fórum, é toda uma cidade em escombros em que cada construção constitui um espaço de enorme relevância histórica.

….—- Circo Máximo

Prosseguimos até à nossa próxima paragem o Circo Máximo que se encontra não muito distante do Fórum Romano. Um recinto alongado com uma pista de areia onde aconteceram diversas competições onde destacamos as famosas corridas de carros puxados por cavalos. Corridas na maioria das vezes praticadas por escravos, em que em jogo não estava a reputação, mas sim o prémio mais chorudo de todos, a liberdade.

Se espera inúmeras ruínas ou grandes réstias do que era o antigo Circo Máximo desengane-se apenas irá encontrar o formato da antiga pista.

….—-Boca della Veritá

A nossa próxima paragem foi na Igreja Santa Maria em Cosmedin onde está localizada a Boca de la Veritá ou em Português a Boca de Verdade. Segundo reza a lenda o mentiroso que colocar a mão na boca da estátua ficará sem ela. Nós passamos no teste!

….—-Monumento a Vittorio Emanuele II

Seguindo à direita iremos encontrar a gigante Piazza Venezia que é o ponto final da Via del Corso, a principal rua de Roma. É nesta praça que podemos encontrar o enorme Monumento a Vittorio Emanuele II que como o próprio nome indica foi inaugurado para homenagear Vittorio Emanuele II, primeiro rei de Itália após a unificação. No seu interior pode encontrar o Museu do Ressurgimento dedicado à unificação da Itália, onde se encontram expostas armas e bandeiras entre vários artefactos da época.

O edifício de 70 metros de altura tem um terraço panorâmico com uma vista deslumbrante sobre grande parte da cidade de Roma.

Preço: 7€ adultos | 3,50€ menores de 18 anos e maiores de 65 anos
Horário: Das 9h30 às 19h30 (último acesso às 18h45)

….—- Trastevere

Já a fazer-se noite dirija-se ao Bairro de Trastevere, atreveria-me a batizá-lo de Bairro Alto de Roma. Um bairro medieval onde o destaque principal são as suas pequenas ruelas tipicamente italianas cheias de encanto a cada esquina. Não há melhor forma de terminar o dia do que numa das muitas esplanadas de cafés e restaurantes existentes por todo o bairro. Se procura o lado boémio da cidade, Trastevere é o local ideal, irá encontrar diversão noturna até ao nascer do dia.

3º dia – Vaticano

Depois de nos perdermos nos encantos das belas ruas e praças da cidade e conhecer o afamado Coliseu, iríamos agora finalmente dedicar a nossa maior atenção ao Vaticano. Sem qualquer sentimento de romaria religiosa, mas desejosos de cumprir um dos nossos sonhos turísticos, estávamos ansiosos pela chegada deste dia, que seria certamente um dia em cheio. 

O Vaticano é o país mais pequeno do mundo, com uns meros 44ha, é amplamente conhecido pelo facto de ser a sede oficial da Igreja Católica, tornando este pequeno país um local de passagem obrigatória de milhares de fiéis. Independente desde 1929, esta Nação sacerdotal-monárquica, chefiada pelo Papa alberga cerca de 800 pessoas. Classificado como Património da Humanidade pela UNESCO, o Vaticano, pelo seu incontornável simbolismo e beleza, tornou-se um dos locais mais visitados do Mundo. 

….—-Praça de São Pedro

Ao chegar ao Vaticano rapidamente irá se deparar com a magnifica Praça de São Pedro. Enorme como idealizamos, esta praça construída no século XVII por Bernini tem capacidade para acolher mais de 300.000 pessoas. Ao longo dos anos foi palco das maiores manifestações religiosas e recebe todos os domingos os fiéis que assistem a missa ao vivo. A grande oportunidade de ir a Roma e conseguir ver o Papa.

Dica: A melhor forma de chegar ao Vaticano a partir do centro de Roma é de metro, através da paragem de Ottaviano/Piazza San Pietro.

….—-Museu do Vaticano

A obra mais conhecida do Vaticano e uma das mais conhecidas do mundo, a Capela Sistina, encontra-se no Museu do Vaticano. O local de entrada não é na Basílica de São Pedro como muita gente acredita, é necessário contornar uma rua paralela à Praça de São Pedro e lá irá encontrar a entrada para o Museu do Vaticano e a sua longa fila também. Aconselhamos a aquisição do ingresso online para evitar as morosas filas.

O Museu do Vaticano é enorme, sendo necessário praticamente uma manhã inteira para o conhecer satisfatoriamente. Entre arte árabe a peças egípcias, sempre com muita talha dourada à mistura, vamos paulatinamente entrando em contacto com demonstrações de arte e cultura de toda a parte do mundo.  Depois de longos corredores recheados de peças de arte intemporais, alcançámos uma pequena porta que nos dava acesso à tão aguardada Capela Sistina. A admiração não podia deixar de ser enorme, observar todos os afrescos da autoria de Michelangelo é uma experiência realmente única e fabulosa. Um local repleto de turistas, num ambiente quase claustrofóbico, não nos deixou apreciar calmamente toda a beleza do local.

Morada: 00120 Vatican City, Cidade do Vaticano
Horário: Segunda a Sábado (9h às 18h, última entrada às 16h) | Últimos domingos do mês das 9h às 14h (última entrada às 12h30)
Ingresso: Compre o bilhete online aqui.
Preço: 17€ bilhete normal | 8€ bilhete reduzido (6 aos 18 anos ou estudantes até aos 25€)

….—- Basílica de São Pedro

A Basílica de São Pedro é um local mágico para todos os católicos e uma das maiores igrejas do mundo. Construída no ano 300 a.C. sobre ordens do Imperador Constantino, passados mais de 1000 anos encontrava-se num péssimo estado de conservação tendo sido por isso alvo de remodelações no ano de 1506, que se prolongaram por 50 anos. Essas remodelações deram origem à basílica tal como a conhecemos hoje, e não haja dúvida que os anos despendidos não foram ao acaso.

O seu interior é luxuoso repleto de talha dourada e de obras de arte lindíssimas, destacando-se claramente a Pietà de Michelangelo.

Dica: A Basílica de São Pedro abre às 7h, aconselhamos a visita nas primeiras horas da manhã onde as filas são menores. A meio da manhã as filas já descem pela Praça de São Pedro. A entrada é gratuita!

….—-Cúpula do Vaticano

O ponto alto do dia, realmente alto, ou não tivéssemos nós de subir 551 degraus, foi a Cúpula do Vaticano. O bilhete tem um custo de 5€ para quem deseja subir os tais 551 degraus e 7€ para quem deseja fazer uma parte inicial através de elevador e por fim subir 320 degraus. Fisicamente bem preparados (ou não) preferimos o bilhete mais barato, como meninos forretas que não deixamos de ser. Na chegada ao alto, os nossos tornozelos tremiam como varas verdes, mas a vista que este pequeno esforço nos proporcionou valeu bem a pena. Além de avistarmos toda a Praça de S. Pedro conseguíamos ainda ver grande parte da cidade de Roma. É caso para dizer que uma imagem vale mais que mil palavras!

Horário: outubro a março das 8h às 17h | de abril a setembro das 8h às 18h
Preço: Elevador + Subida de 320 degraus  – 7€  | Subida de 551 degraus – 5€

….—-Castel Sant’Angelo

No final da nossa visita ao Vaticano houve tempo ainda para uma breve passagem no Castel Sant’Angelo. Construído no ano de 139 d.C sob as ordens do Imperador Adriano nas margens do Rio Tibre, este castelo tem a particularidade de no ano 1277 ter sofrido uma alteração com a construção de um túnel fortificado que liga o Vaticano ao castelo para em caso de perigo o Papa pudesse escapar através deste esconderijo. Em 1527 o Papa Clemente utilizou o castelo como refúgio.

Embora com diversas salas elegantemente decoradas com frescos renascentistas, aconselhamos a sua visita apenas a quem disponha de tempo suficiente para o fazer. Ainda assim o ponto alto da visita para nós é a vista fantástica sobre a cidade no terraço do castelo. Um dos melhores sunsets de Roma!

Morada: Lungotevere Castello, 50.
Horário: Terça a Domingo das 9h às 19h30
Preço: 15€ Bilhete Normal | 7€ Bilhete reduzido (6 aos 18 anos ou estudantes até aos 25 anos)
Roma Pass: O Castelo Sant’Angelo está incluído nas opções do Roma Pass

Onde dormir em Roma?

A quantidade de alojamento em Roma é enorme e a diversidade na qualidade e no preço também. Uma das preocupações na hora de escolher o alojamento é sem dúvida a localização.

Consideramos a zona centro da cidade, nas imediações da Via del Corso, pela proximidade com as principais atrações de Roma, a melhor opção de estadia. Ficar hospedado na zona de Termini  (principal estação de comboios de Roma) pode ser uma boa opção tendo em consideração a facilidade de deslocação. Para quem procura principalmente visitar o Vaticano, pode fazer sentido dormir nas imediações.

Apresentamos abaixo algumas das melhores opções de alojamento tendo em consideração o custo por noite para duas pessoas.

Alojamento Lowcost

Alojamento com boa relação qualidade/preço

Alojamento de Luxo

Onde comer em Roma?

Ao contrário de algumas capitais europeias onde comer bem e barato não é assim tão simples em Roma comida não é de todo um problema. Pizzas para todos os gostos, paninis, lasanhas, massas e sempre com muito gelado à disposição, Roma é capaz de atiçar o lado mais guloso que existe em nós.

Senão quiser desperdiçar muito tempo nem dinheiro, existem diversas pizzarias a vender a chamada pizza al taglio, que é como o próprio nome indica pizza aos bocados, por norma em formato quadrangular. O preço pode ser por peso ou por unidade e por norma gira em torno de 1,50€ e 5€.

Para comer pizza aconselhamos o Pizza Ré, localizado no Centro Histórico de Roma, nas imediações da Via del Corso e não muito distante da Piazza del Popolo e adoramos a pizza. Os preços são um pouco mais caros, em torno de 10€ por pizza.

As sandes italianas são outra pequena maravilha de sabor e de economia. As sandes chamadas Panini são bastante completas onde pode acrescentar os ingredientes que pretender. Na nossa visita ao Vaticano almoçamos na 200 Gradi e adoramos as suas sandes.

Embora sejamos fãs de cidades mais pequenas por vezes gostamos de nos perder por grandes capitais europeias como mais recentemente em Londes.  Mas mais uma vez ficamos encantados com cidades enormes como é o caso da capital italiana. Amantes de história ou não, é impossível não gostar de Roma e não se sensibilizar por todos os acontecimentos que lá ocorreram. Seja no Centro Histórico, Coliseu ou Vaticano a história fez-se, decisões e atitudes foram tomadas que transformaram para sempre o rumo da Humanidade.

Para visitar corretamente Roma todos os dias são poucos, qualquer sítio é uma autêntica descoberta, com manifestações de arte em cada beco que nos obriga a estar em estado de alerta para não nos escapar qualquer pormenor.

Roma é multicultural, mas aqui todos encarnamos uma única nacionalidade, “em Roma sê Romano!”

Leia também

Faça um comentário