fbpx

Salamanca, o que visitar? Roteiro de 2 dias

por Fábio Santos

Salamanca é história, é presente e, para nós, foi sobretudo uma extraordinária surpresa. Localizada a meros 120km da fronteira portuguesa encontra-se Salamanca, conhecida pelo seu incrível e bem preservado Centro Histórico onde emergem catedrais, igrejas e palácios dos mais variados estilos arquitetónicos. Essa abundância de monumentalidade tornaram esta cidade única e com um vasto património, motivo pelo qual lhe foi concedido o título de Património Mundial da UNESCO em 1998. História, arte e cultura já tínhamos a certeza que íamos encontrar, a nossa maior supressa foi o ambiente vibrante e jovem que conjuga muito bem com a sua excelente gastronomia.  

Numa cidade tão cheia de vida e património prometemos neste roteiro desvendar os locais e as atividades a não perder nesta encantadora cidade espanhola.

Salamanca | Dicas Gerais

Como chegar a Salamanca?

A melhor forma de chegar a Salamanca vindo de Portugal é com viatura própria que foi o método que utilizamos na nossa viagem onde percorremos cerca de 383km. Comos somos da região de Santarém optámos pela A23 que nos levou até Guarda e posteriormente seguimos pela A25 até Vilar Formoso. Depois de ultrapassar a fronteira segue-se pela autovia A-62 que nos leva até Salamanca. Caso parta de Lisboa terá de percorrer cerca de 470km e do Porto 350km.

É possível também realizar o percurso de autocarro a partir de Lisboa e Porto através das transportadoras Flixbus e Iberocoach. Caso pretenda pode sempre seguir de avião até Madrid onde, por vezes, se consegue valores bastante em conta, e depois apanhar um comboio até Salamanca. A viagem de comboio dura cerca de 1.40h e pode consultar as tarifas e os horários no site da Renfe.

Quando visitar?

Salamanca pode visitar-se a qualquer altura, mas acreditamos que a Primavera e o Outono são as melhores estações para o fazer devido às temperaturas mais amenas e à pouca probabilidade de precipitação. No Inverno as temperaturas são bastante frias, por vezes com temperaturas negativas e os verões são bastante secos e os termómetros atingem temperaturas bastante elevadas.

Onde dormir?

Encontrar opões de alojamento em Salamanca é uma tarefa relativamente fácil dada a enorme variedade de oferta, tanto para as opções mais lowcost como para os hotéis de luxo. Achamos conveniente ficar o mais perto possível da zona histórica da cidade, nomeadamente perto da Plaza Mayor onde o espírito da cidade vive-se com maior intensidade.

Na nossa passagem pela cidade ficamos hospedados no Gran Hotel Corona Sol, um hotel de quatro estrelas que fica a cerca de 1km do centro de Salamanca, mas que dispõe de uma excelente relação qualidade/preço. Na nossa estadia, que ocorreu em janeiro, pagámos cerca de 40€ por um quarto duplo espaçoso, confortável e sobretudo quente, um fator bastante importante para quem decide visitar a cidade durante o inverno.

Salamanca | Roteiro

A nossa visita a Salamanca durou dois dias e é esse o roteiro que apresentamos de seguida. Visitar Salamanca num único dia é possível, mas acreditamos que não irá aproveitar e desfrutar de todo o encanto que a cidade tem. O nosso conselho é visitar Salamanca durante dois dias e ir alternando entre as visitas aos monumentos e atrações, com os cafés e restaurantes da cidade e deixar-se levar também pelo lado descontraído e boémio da cidade.

1º Dia

1 – Plaza Mayor

A melhor forma de iniciar a visita à cidade de Salamanca é pelo seu centro nevrálgico onde tudo gira à sua volta, a Plaza Mayor. Na praça localizam-se vários bares, cafés e restaurantes que a enchem de ânimo e juntam tanto a população local como os turistas.

A Plaza Mayor foi construída no século XVIII e nela está localizada a sede do município, o Ayuntamiento, um edifício barroco que se distingue dos demais pelo seu requinte. De entre todos os cafés e restaurantes destaca-se ainda o Café Novelty conhecido como sendo uma tertúlia onde se reúnem os principais pensadores e artistas da cidade há mais de um século. Nos 88 arcos que compõem a praça encontram-se esculpidos medalhões das principais figuras de Espanha, como Cervantes, Franco e os reis espanhóis.

2 – Mercado Central de Salamanca

A este da Plaza Mayor encontra-se o Mercado Central de Salamanca onde são comercializados todo o tipo de produtos alimentares, desde o peixe à carne passando pelos vegetais. De entre todos os produtos confessamos que são os produtos de charcutaria que mais chamam à atenção, sendo óbvio o destaque para os tradicionais presuntos.

Caso pretenda poupar na alimentação e considere realizar as refeições num aparthotel ou hostel, comprar os seus produtos no Mercado Central é uma excelente opção económica.

A poucos metros do Mercado Central de Salamanca encontra-se a Igreja de San Julián y Santa Basilisa uma enorme igreja românica de tom dourado que infelizmente, por se encontrar encerrada, não conseguimos conhecer o seu interior. Esperamos que na sua visita a sorte seja outra!

3 – Igreja de San Martín de Tours

Seguindo até Calle Quintana encontramos outra igreja românica, a de San Martin de Tours também conhecida como San Martin del Mercado, dada a proximidade. Atualmente embutida entre dois edifícios modernos quase passa despercebida aos mais distraídos, não fosse a beleza do seu portal renascentista. Na nossa passagem a igreja encontrava-se aberta e visitamos o seu interior que, confessamos, não nos impressionou, mas ainda assim sendo uma entrada gratuita não deixem de espreitar.

4 – Palácio de la Salina

Avançamos pelo Calle San Pablo e paramos para conhecer o Palácio de la Salina, um palácio renascentista que tem no seu pátio o seu maior destaque com excelentes pormenores arquitetónicos e decorado com figuras de corpos contorcidas. Atualmente o palácio é a sede da Diputación Provincial de Salamanca, mas no passado, como o próprio nome indica, foi um antigo armazém de sal. Não deixem de passar aqui, o pátio vale a pena ser visitado e além disso por não ser um local muito conhecido costuma ser um sítio bastante tranquilo.

5 – Plaza de Colón

Logo de seguida encontramos a Plaza de Colón onde um jardim ao centro chama a atenção com as suas enormes árvores rodeadas de edifícios dourados típicos de Salamanca. Nessa praça destaca-se o Palácio de Orellana, de estilo maneirista e, mais à frente, a lindíssima Torre del Clavero uma torre gótica de base quadrangular, mas de topo octogonal que é a única parte restante do Palácio de Sotomayor.

6 – Convento de las Dueñas

A nossa próxima paragem foi o Convento de las Dueñas, um convento de estilo mudéjar que foi doado às freiras da Ordem de Santo Domingo em 1419. Na nossa visita encontramos uma freira portuguesa que neste convento vive há muitos anos e que tem adorado por lá permanecer.

A zona que mais gostamos foram os claustros de estilo renascentistas de onde até conseguimos observar ao longe a Catedral de Salamanca. Quando terminar a sua visita não deixe de provar os doces conventuais, produzidos pelas próprias freiras deste convento, são uma delícia.  

Dica: Convento de las Dueñas

Morada: Plaza Concilio de Trento, s/n.

Horário: Segunda a sábado das 10.30h às 12.45h e das 16.30h às 19:00h

Preço: 2€

7 – Igreja e Convento San Esteban

Exatamente ao lado do Convento de las Dueñas, basta passar a estrada, situa-se a Igreja e Convento San Esteban que impressiona com a sua fachada ornamentada com pormenorizados detalhes magistralmente esculpidos. O sol a incidir sobre os seus tons dourados tornam a sua fachada ainda mais bonita.

Este enorme complexo pertence à ordem dos Dominicanos e a sua construção inicial remontam aos anos de 1255 e 1256 tendo sido posteriormente parte demolida e só no século XVI se deu a construção da estrutura atual.

Dica: Igreja e Convento de San Esteban

Morada: Plaza Concilio de Trento, s/n.

Horário: De 5 de Novembro a 16 de Março – terça a sábado das 10.00h às 14.00h e das 16.00h às 18:00h | De 17 de Março a 4 de Novembro – terça a sábado das 10.00h às 14.00h e das 16.00h às 20:00h

Preço: 3,5€

8 – Casa de las Conchas

Num dos vértices da Rua Mayor localiza-se um dos locais mais icónicos de Salamanca, a Casa de las Conchas. Como o próprio nome indica as conchas são o seu grande destaque existindo mais de 300 esculpidas na fachada do edifício. Muitos acreditam  tratar-se de conchas jacobinas, que honram a Ordem de Santiago, sendo por isso semelhantes à Compostela que representa os Caminhos de Santiago e que costumamos ver nas sinalizações. De uma decoração tão inusitada resultam também alguns mitos e lendas que gostamos sempre de conhecer, a mais afamada é a existência de um tesouro escondido debaixo de uma das conchas.

Este edifício burguês foi uma prenda de casamento entre famílias nobres, os Maldonado e os Benavente, mas a Casa de las Conchas foi durante vários anos prisão universitária. Atualmente alberga a Biblioteca Pública de Salamanca e a visita é gratuita com possibilidade de subir até ao andar de cima de onde conseguimos ter uma vista magnifica.

9 – Igreja Clerecía e Universidad Pontificia de Salamanca

Em frente à Casa de las Conchas localiza-se a Igreja Clerecía e a Universidad Pontificia de Salamanca, que é na verdade uma universidade privada. Aquilo que destacamos da “La Clerecía”, como chamam os habitantes de Salamanca, é a beleza arquitetónica desta igreja de estilo barroco com detalhes muito bem trabalhados, mas sobretudo a vista soberba que se alcança das suas torres. Do seu alto conseguimos ter uma perspetiva perfeita sobre toda a cidade e sobre os seus principais pontos de interesse turísticos, sobretudo a Catedral de Salamanca.

Dica: Igreja Clerecía

Morada: Calle Compañía, 5

Horário: De 1 de Dezembro a 28 de Fevereiro – Todos os dias das 10.00h às 18.00h | De 1 de Março a 30 de Novembro – Todos os dias das 10.00h às 20.00h

Preço: 3,75€

10 – Calle de la Compañía

A Calle de la Compañía é uma rua que merece ser bem referenciada dada a variedade de igrejas, palácios e monumentos que encontramos na sua extensão. Começamos com dois locais já referidos anteriormente, a Casa de las Conchas onde a entrada para a atual Biblioteca Pública de Salamanca se faz na Calle de la Compañía e a própria Igreja Clerecia. Ao continuarmos a descer pela rua vamos encontrando mais uma ou outra surpresa, em primeiro lugar surge a Igreja de San Benito seguindo-se pelo Palacio Monterrey terminando no Convento de las Úrsulas que se destaca pela altura da sua torre.

11- Final de tarde/Início da noite

Ao bom ritmo espanhol reserve o final da tarde para viver como os locais e sente-se numa das muitas esplanadas existentes ao longo da cidade e desfrute do seu ritmo mais descontraído e por vezes até boémio. O melhor de Espanha muitas vezes está nas suas tapas, nas suas cañas e nos brancos veranos.

Na zona da Plaza Mayor e Plaza San Justo encontrará a famosa atmosfera agitada da cidade que se acentua ainda mais em período escolar devido aos inúmeros estudantes espanhóis e estrangeiros que escolhem Salamanca como sítio para estudar.

2º Dia

1 – Plaza de Anaya

Começamos o nosso segundo dia da melhor maneira, na Plaza de Anaya a contemplar aquela que é provavelmente o principal atrativo da cidade, a Catedral de Salamanca. Nesta praça em concreto podemos apreciar a Catedral Nova enquanto descansamos nos arranjados jardins e apreciamos toda a elegância e exuberância arquitetónica da catedral que é de facto uma magnânima obra de arte, onde cada detalhe foi planeado e desenhado com mestria. Uma vez na Plaza de Anaya não deixe de apreciar também o Palacio de Anaya que é facilmente ofuscado pela dimensão da catedral.

2 – Catedral Nova e Catedral Velha de Salamanca

Salamanca é tão rica em património histórico e religioso que tem o privilégio de ter duas catedrais magníficas lado a lado e unidas por uma porta. Construídas em épocas distintas apresentam também elas características diferentes em si: a Catedral Vieja (século XII ao XIV) de estilo românico de aspeto austero e forte e a Catedral Nueva (século XVI) de estilo gótico europeu onde está demonstrada a elegância nas suas ornamentações que são verdadeiras obras de arte.

Magnânima e impressionante a Catedral Nueva atinge os 110 metros de altura o que a torna o edifício mais alto de Salamanca e a segunda catedral mais alta de Espanha. Mais do que altura é nos detalhes das representações da fachada que está a sua maior beleza e que merece maior atenção. Embora todos os detalhes e figuras sejam incríveis é nas representações mais caricatas que recai toda atenção e é nesse desafio de os encontrar que inúmeras pessoas se colocam à procura observando atentamente um dos pórticos. Tudo se deve às obras de restauro de 1992 onde decidiram esculpir um astronauta e um diabo a comer um gelado entre outras representações menos comuns de encontrar nas fachadas das catedrais. O exercício não é fácil, mas com alguma atenção vai acabar por encontrá-los.

Na altura da nossa visita a Salamanca não conseguimos visitar o interior das catedrais nem subir às suas torres onde dizem que as vistas são sublimes. No dia em que tínhamos planeado visitar as catedrais existiu a tomada de posse de um bispo que motivou o seu encerramento. Contudo a entrada dá-se pela Catedral Nueva onde pode aceder à exposição Ieronimus, a subida às torres e ao interior das catedrais.

Dica: Catedral Nova, Catedral Velha, Claustros e Salas Capitulares

Morada: Calle Benedicto XVI

Horário: Domingo a quinta das 11:00h às 16:00h | Sexta a sábado das 11:00h às 18:00h

Preço: 6€ com audioguia

3 – Patio Chico

O Patio Chico é o local onde conseguimos observar a contingência das duas catedrais e onde ficam patentes as diferenças de estilo visíveis do exterior. Por um lado, as linhas fortes e aspeto sóbrio da Catedral Vieja e por outro o lado mais exuberante e artístico da Catedral Nueva visível na sua fachada e em particular no pórtico que se encontra voltado para o Patio Chico.

4 – Universidad de Salamanca

Um dos sítios mais icónicos de Salamanca é a sua universidade, uma das mais antigas da Europa, fundada no século XIII, e é ela a grande responsável pelo desenvolvimento da cidade e pela manutenção do espírito jovem que ainda hoje se sente. A Universidade de Salamanca que vamos visitar é na verdade a Universidade antiga, atualmente existem vários polos distribuídos pela cidade.

A beleza da Universidade começa na sua fachada, em plena Calle Libreros, onde as esculturas talhadas em pedra calcária são uma verdadeira obra de arte. O grande destaque é a sua porta plateresca que esconde figuras invulgares sendo a mais famosa o sapo pousado em cima de um crânio, figura essa que se tornou o símbolo de Salamanca. Por isso não se assuste se encontrar vários curiosos a tentarem encontrar o sapo na fachada e acredite que não é tarefa nada fácil!

Não deixe de visitar o interior da Universidade, onde poderá conhecer as seculares salas de aulas, claustro e claro a Biblioteca da Universidade que é considerada uma das mais antigas do mundo.

Curiosidade: Lenda da Rana de Salamanca

Existem várias versões acerca dos privilégios que se pode obter ao encontrar o sapo existente na fachada da Universidade, mas a mais comum é que o estudante que descubra o sapo sem qualquer tipo de ajuda irá passar a todos os exames do ano.

Dica: Universidade de Salamanca

Morada: Calle Libreros, 19

Preço: 10€

5 – Escuelas Menores de la Universidad de Salamanca (gratuito)

Saindo da Universidade de Salamanca entramos no Patio de Escuelas em que, ao seguirmos até à outra extremidade, chegamos às Escuelas Menores. Este edifício alberga atualmente a reitoria e é nele que podemos ainda encontrar o fantástico trabalho de Fernando Gallego chamado Cielo de Salamanca ou seja o Céu de Salamanca. Trata-se de um fresco astronómico onde podemos comtemplar alguns dos signos do Zodíaco. É de facto uma obra fantástica.

6 – Casa Lis

Seguimos para baixo em direção à Casa Lis onde está instalado o Museu de Arte Nova e Arte Decó de Salamanca. Instalada na muralha da cidade, a Casa Lis é um magnânimo palácio modernista que impressiona especialmente pela sua fachada de vidro colorido que é de muito bom gosto. O edifício foi construído pelo arquiteto modernista D. Miguel de Lis que sendo uma das pessoas mais nobres de Salamanca do século XIX construiu este palácio completamente inovador. Ao abandono, o Ayuntamiento decidiu nos anos 1990 recuperar e dar um destino a este edifício tornando-o num museu.

7 – Huerto de Calixto y Melibea

Continuamos pela zona da muralha de Salamanca até ao local mais romântico da cidade, o Huerto de Calixto y Melibea. Visitamos durante o inverno, mas acreditamos que na primavera este jardim ganhe outro encanto com a alegria das flores floridas e dos cheiros primaveris. O romance deste jardim não está apenas nos cadeados existentes no poço, estes jardins são conhecidos por serem o local que inspirou Fernando de Rojas na sua obra La Celestina onde seria aqui o ponto de encontro das personagens Calixto e Melibea.

Deixe-se encantar por estes belos jardins, que tem na sua traseira a Catedral e na sua frente o Rio Torme. Se pretender relaxar, apreciar de uma vista e ter, quem sabe, um momento romântico este é o local certo.

8 – Cueva de Salamanca

Localizada na Praça Carvajal a Cueva de Salamanca foi um dos locais que não conseguimos visitar na nossa estadia na cidade, os portões encontravam-se fechados e o melhor que se arranjou foi espreitar por entra as brechas do portão de onde conseguimos ver ligeiramente a dita cueva.

Este local mítico está envolvido em muito mistério e com isso algumas lendas sendo as mais populares, que ali existiu uma escola de ciências ocultas ou então que ali se localizava a porta de entrada para outra cidade escondida.  

9 – Ponte Romana

Terminamos a nossa visita a Salamanca nas margens do Rio Torme, com uma vista incrível para a cidade que emerge lá no alto de uma pequena elevação. Se o dia for soalheiro, veja a cidade ao pôr do sol e admire os edifícios a cintilar uma cor dourada, motivo pela qual Salamanca é apelida de La Dourada.

Salamanca | Onde comer

A gastronomia espanhola não costuma desiludir e em Salamanca a tónica mantém-se, existindo diversos espaços interessantes para tomar uma refeição ou simplesmente tapear. Embora seja uma grande cidade, a zona circundante é maioritariamente rural com excelentes áreas de cultivo e de pasto. Numa região do interior castelhano realça-se a qualidade das suas carnes onde se destacam os enchidos tradicionais como é o caso do Jamón de Guijuelo, o presunto típico de Salamanca.

Um dos petiscos típicos que não deve deixar de provar é o hornazo que é um prato típico na segunda-feira de páscoa. É na verdade uma torta composta por carne de porco, chouriço, presunto, bacon e ovos. Existem outros pratos típicos, como é o caso da chanfaina que é confecionado com borrego ou o chochinillo al fuego que é semelhante ao nosso leitão assado.

Caso não pretenda gastar muito dinheiro em alimentação aconselhamos o Viandas Hacienda Zorita onde pode comprar um bocadillo de jamón (sandes de presunto) ou um hornazo e ir comendo enquanto visita a cidade. Caso pretenda um sítio mais elegante onde pode tapear tranquilamente e provar o melhor da gastronomia espanhola aconselhamos o Vinodiario.

Dica: Horários de Espanha

Os horários das refeições em Espanha são ligeiramente mais tarde do que em Portugal. O pequeno-almoço costuma ser tomado a partir das 10h, o almoço a partir das 14h e o jantar a partir das 21h. Caso pretenda tapear, a partir da tarde todas as horas são boas para ir picando alguma coisa enquanto acompanha com uma canha ou um vermute.

Salamanca| O que visitar nas redondezas?

Ciudad Rodrigo

A cerca de 30km de Vilar Formoso, Ciudad Rodrigo é uma excelente paragem, tanta na ida como na vinda, na sua viagem a Salamanca. Esta cidade medieval é um deleite de ser visitada pela sua simplicidade e pelo encanto das suas vistas. Ciudad Rodrigo é histórica, as suas muralhas remontam ao século XII e a maioria do seu património aos séculos XV e XVI.

Na sua visita passe pela Plaza Mayor que é um excelente espaço para descansar, onde pode beber um copo nas suas várias esplanadas e apreciar a bela construção do Ayuntamiento de Ciudad Rodrigo. Caminhe pelas suas ruelas e dirija-se até à Catedral de Santa Maria que o irá impressionar com a sua enorme estatura e beleza. Por fim atreva-se a subir às suas muralhas e encontre o spot perfeito para apreciar a paisagem, em especial para o Rio Águeda.

Leia também

7 comentários

Elisabete Cardoso 10/02/2022 - 13:59

Lindo. Obrigada pela partilha

Responder
pontodepartida 15/02/2022 - 21:14

É uma cidade lindíssima, vale muito a pena conhecer! Obrigada nós pelo feedback 🥰

Responder
J 12/07/2022 - 19:44

Parabéns! Fantástico guia, acompanhado por excelentes fotos.

Responder
pontodepartida 13/09/2022 - 22:52

Muito obrigada pelo feedback positivo! 🥰🥰

Responder
Sílvia Vilar Gomes de Sá 13/08/2022 - 00:16

Sou vossa seguidora! Já fui a S.Miguel (Açores) seguindo o vosso roteiro e adorei!! Agora, ando por aqui a preparar a visita a Salamanca. Vou repetir a experiência de me orientar com as vossas indicações.
Obrigada, mil vezes obrigada, pela vossa generosidade!
Cumprimentos

Responder
pontodepartida 13/09/2022 - 22:54

Olá Sílvia! Muito muito obrigada pelo seu feedback, ficamos tao felizes por saber que os nossos roteiros são úteis!! Um beijinho 😊🥰

Responder

Faça um comentário