fbpx

Tomar, o que visitar? Guia completo

por Fábio Santos

Visitar Tomar é como entrar num local mágico, recheado de segredos, mistérios e sobretudo de histórias. Todos nós associamos Tomar aos Cavaleiros Templários e a todo o património templário que ainda hoje está em perfeito estado de conservação, como o Castelo de Tomar e o Convento de Cristo. Conhecer a sua mística e descobrir alguns segredos é já de si um bom motivo para visitar a cidade, mas na verdade existe muito mais para descobrir. Tomar tem um centro histórico lindíssimo, com muito por visitar, e nos arredores, nas suas freguesias irá descobrir paisagens naturais fascinantes e belas praias fluviais para se refrescar nos dias quentes de verão.  

Para quem procura uma escapadinha de dois dias pela região de Tomar e tem receio de não ter os dias todos preenchidos desengane-se! A região tem um património vasto e com um leque de opções que agradam decerto a todos os gostos. Ao longo do nosso roteiro vamos dar a conhecer os locais por onde passamos e esperamos convencê-lo a visitar uma das cidades mais emblemáticas de Portugal!

Tomar | História

Conhecida como a Cidade Templária, Tomar é a cidade que guarda alguns dos maiores segredos da Ordem dos Templários que defenderam a cidade por mais de 100 anos.  

Após o auxílio dos Templários nas conquistas de Santarém e Lisboa aos Mouros, D. Afonso Henriques em 1159 doou um vasto terreno como forma de agradecimento pela ajuda prestada. É nessas terras que nasceu Tomar, quando o Grão-Mestre Templário Gualdim Pais funda a cidade e são iniciadas as construções do Castelo de Tomar e do Convento de Cristo. Desta forma, Tomar torna-se sede da Ordem do Templo e os Templários defenderam esta terra durante cerca de 200 anos.

Anos depois, a Ordem do Templo foi perseguida por Filipe IV de França até que por ordem papal foi oficialmente extinta em 1311. Como o português é sempre um moço esperto, D. Dinis de modo a não desobedecer às ordens do papa, mas sem extinguir a ordem, transformou a Ordem do Templo em Ordem de Cristo.

A importância histórica de Tomar não fica por aqui, segunda consta foi enquanto o Infante D. Henrique foi governador da Ordem de Cristo que delineou grande parte dos Descobrimentos.

Tomar | Quando visitar?

Todos os motivos são bons para visitar Tomar, faça chuva ou faça sol a cidade nunca perde o seu encanto nem o entusiamo. Portanto qualquer época do ano é boa para conhecer a cidade. Caso pretenda visitar entre outubro e abril não se esqueça de colocar roupa aconchegante na bagagem e ter um chapéu de chuva sempre por perto. Se o objetivo é conciliar a visita à cidade com as magnificas praias fluviais a época do ano mais aconselhável são os meses de verão, entre junho e setembro.

Outro dos bons motivos para visitar a cidade é ir ao encontro dos eventos que animam e dão colorido à cidade. Tomar é das cidades portuguesas com uma agenda cultural mais vasta e que se divide em diversas áreas, desde a dança ao teatro.

O mais afamado de todos os eventos, é a Festa dos Tabuleiros que atrai visitantes um pouco de todos os cantos do país. A festa realiza-se de 4 em 4 anos e a próxima está agendada para julho de 2023. Nesta data Tomar enche-se de colorido com as suas ruas decoradas de flores de papel. O ponto alto da festa é o cortejo, onde as raparigas nabantinas transportam à cabeça os tabuleiros que por tradição devem ser proporcionais à sua altura. Um dia de folia e de muita animação que é o ponto alto da cidade!

Para além da icónica Festa dos Tabuleiros ocorrem os seguintes eventos:

  • Festival Bons Sons (agosto, na aldeia de Cem Soldos)
  • Festa Templária (maio)
  • Estátuas Vivas (setembro)

Tomar | O que visitar no centro da cidade?

Convento de Cristo

Provavelmente quando ouviu falar de Tomar foi por culpa do Convento de Cristo. O convento é de longe a principal atração da cidade e um dos principais monumentos do nosso país. O início da construção do convento remonta a 1160, coincidindo com os primórdios da fundação do reino de Portugal e com o importante papel desempenhado pela Ordem dos Templários na conquista de território. Durante os séculos seguintes o convento foi sendo remodelado e ampliado, já pela mão da renomeada Ordem de Cristo.

Considerado em 1983 Património Mundial da Humanidade pela UNESCO, o Convento de Cristo é um dos expoentes máximos da arquitetura portuguesa conjugando diversos estilos, desde o gótico, manuelino, barroco entre outros.

A beleza do lugar começa à chegada com os seus jardins cuidados que não resistimos a conhecê-los, depois quando nos encaminhamos para a entrada somos surpreendidos pela ornamentação do Portal Sul da Igreja que é uma verdadeira obra-prima. No seu interior de destacar a Charola Templária e a sua enorme variedade cromática, o Claustro Principal com a fonte ao centro e claro a Janela do Capítulo considerada por muitos a obra mais emblemática do estilo manuelino.

A visita ao Convento de Cristo é presença obrigatória em qualquer roteiro pela cidade e conhecê-lo satisfatoriamente demorará entre duas a três horas.

Dica

A entrada é gratuita para residentes em território nacional em todos os domingos e feriados até às 14h. Caso pretenda visitar o Convento de Cristo em outra data fique a conhecer os horários e os preços no site oficial

Castelo de Tomar

O Castelo de Tomar está localizado no ponto mais alto de Tomar e por isso é facilmente identificável em qualquer parte da cidade. Ao pretender visitar o Convento de Cristo acaba por obrigatoriamente visitar o Castelo de Tomar, uma vez que a primeira porta a transpor no acesso ao convento é nem mais nem menos do que uma porta da longa muralha do castelo.

Como já referimos Tomar surge de uma doação de D. Afonso Henriques aos Templários pela ajuda militar nas conquistas de Tomar e Santarém. Assim que tomaram posse destas terras a primeira decisão foi a construção do castelo que protegesse a vila e a região.

Portanto, antes de visitar o Convento de Cristo admire a Torre de Menagem do castelo e faça um breve passeio pelos seus cuidados jardins. Aconselhamos a subir a muralha para se pasmar com a vista para a colina e convento. Aproveite também para conhecer o laranjal, antiga zona residencial do castelo.

Ermida de Nossa Senhora da Conceição

Antes de chegar ao castelo, caso venha de carro, irá encontrar à sua direita a Ermida da Nossa Senhora da Conceição. Esta pequena construção é uma das joias do Renascimento em Portugal e foi construída com o propósito de servir de panteão a D. João III. A sua finalidade acabou por não ser cumprida uma vez que o rei acabou por ser sepultado no Mosteiro dos Jerónimos. Para a posterioridade ficou uma bonita ermida com uma vista fantástica sobre Tomar.

Mata Nacional dos Sete Montes

A Mata Nacional dos Sete Montes é o parque principal e também a maior zona verde da cidade. Esta mata faz a ligação ao castelo e é conhecida como a Cerca do Convento de Cristo, local que era usado pela Ordem de Cristo para recolhimento, mas também para a prática agrícola servindo de sustento à comunidade monástica.

Aproveite e desça do Convento de Cristo pela mata, os seus trilhos bem arborizados com densa vegetação são um passeio recheado de mística e de romantismo. No meio do bosque labiríntico irá encontrar uma torre cilíndrica, conhecida como a “charolinha” local onde se crê que os templários praticavam rituais iniciáticos da Ordem Religiosa Militar.

Senão é fã de história, mas pelo contrário não dispensa belos passeios pela natureza, este é o local certo para uma excelente caminhada.

Convento de São Francisco

O Convento de São Francisco é um edifício fundado no ano 1624 pela comunidade franciscana, onde o grande destaque recai para a capela maneirista onde sobressai a imagem de Santa Maria, padroeira da cidade.

Nas instalações do convento foi criado o original Museu dos Fósforos, que conta com mais de 60 mil caixas de fósforos oriundos dos sete cantos do mundo da coleção pessoal de Aquiles da Mota Lima.

Sinagoga e Judiaria de Tomar

Deambulando pelas ruelas do Centro Histórico de Tomar, vamos encontrando a áurea citadina tomarense. Entre algumas casas ao abandono, aos novos projetos que enchem de vida a cidade encontramos aquela que é possivelmente a mais antiga Sinagoga em Portugal.

É na Sinagoga que está instalado o Museu Hebraico Abraão Zacuto, o edifício quase que passa despercebido e no seu exterior ninguém nota qualquer influência oriental. Porém no seu interior, a cobertura abobadada assente sobre as colunas são claras marcas da influência judia.

Dica:

Horário:

  • Verão (Abril a Setembro): Terça a Domingo, 10h00 às 13h00 e 14h00 às 18h00
  • Inverno (Outubro a Março): Terça a Domingo, 10h00 às 12h00 e 14h00 às 17h00
  • Encerrado nos dias: 1 de janeiro, 1 de maio e 25 de dezembro

Entrada: Gratuita

Praça da República

Não muito distante da Sinagoga de Tomar irá encontrar a principal praça de Tomar, a Praça da República. Rodeada por antigas casas cuidadas com adornos à sua época, esta magnifica praça conta ainda com três importantes construções que se destacam. São elas, a Igreja de São João Baptista, os antigos Paços do Concelho (atual Câmara Municipal de Tomar) e ainda a estátua de Gualdim Pais, o mestre templário fundador de Tomar.

Esta praça é para nós uma das mais bonitas de Portugal, com pormenores arquitetónicos de elevada qualidade que nos catapulta imediatamente para o imaginário medieval. Uma praça com bastante movimento que nas noites de verão é invadida pela folia dos tomarenses.

Corredoura (Rua Serpa Pinto)

A Rua Serpa Pinto, mais conhecida como Corredoura, é uma rua pedonal que é atualmente a principal rua comercial do centro histórico de Tomar. Por esta rua irá encontrar todo o tipo de comércio, desde alojamentos, restaurantes, cafés e até mesmo uma retrosaria.

O que é de louvar na Corredoura é a longevidade dos espaços comerciais que por ali hoje ainda laboram. O Café Paraíso, um café centenário fundado em 1911 é ainda hoje um dos cafés mais movimentados da cidade que conta no seu interior com pormenores da época, que é o caso dos espelhos trazidos de Veneza e as mesas e cadeiras de origem germânica. A Residencial União, um hotel do século XIX, que à entrada apresenta traços da época com os seus azulejos e o interior de tetos altos e decoração à época. Espaço ainda para a Pharmacia Pinheiro, uma farmácia centenária que na sua fachada está também ela forrada a azulejo.

Uma rua mítica de comércio que desponta em nós o lado mais consumista ou o nosso lado mais guloso e boémio. Não se esqueça de passar por lá.

Curiosidade:

A Corredoura era a estrada outrora utilizada pelos cavaleiros que se dirigiam ao castelo.

Parque do Mouchão

O Parque do Mouchão é um jardim localizado no coração da cidade de Tomar onde o Rio Nabão é o grande cartão de destaque. O jardim perfeito para um passeio tranquilo num espaço arborizado que fornece boas zonas de sombra para descansar ou para realizar um piquenique. Deixe-se encantar pelo som bucólico da queda de água existente em pleno rio e com toda a melodia que a orquestra natural por ali toca em plena cidade.

Um dos grandes destaques do jardim é a Roda do Mouchão, uma roda feita de madeira, ainda em funcionamento que tinha antigamente a função de fornecer água aos moinhos e lagares de Tomar.

Capela de São Gregório

Nas proximidades do Parque do Mouchão, num passeio pela sombra das árvores que facilitam o trajeto encontramos a Capela de São Gregório. Quase que passava despercebida senão fosse a sua estrutura octogonal. Uma capela simples, mas bastante pitoresca, onde se destaca o seu portal manuelino e um alpendre colunado que já necessita de restauro.

Ponte Velha (Ponte D. Manuel I)

A Ponte D. Manuel I, conhecida entre os tomarenses por Ponte Velha, é ainda hoje uma das principais vias de acesso ao centro histórico da cidade e também um dos seus símbolos mais marcantes.

A ponte que atravessa o Rio Nabão estima-se ter sido construída sobre uma antiga ponte romana que por ali existiu, embora não se tenha completa certeza dessa afirmação. O que é certo é que no momento da chegada dos Templários à cidade de Tomar, existia uma estrutura débil que atravessava o rio. Os cavaleiros aproveitaram essa estrutura e deram origem a uma ponte sólida que permitisse atravessar o rio em segurança.

A importância desta ponte é testemunhada ao longo dos séculos, tendo sofrido várias alterações que lhe permitiram continuar atual e funcional sem perder a beleza e o encanto da arquitetura da época.

Convento de Santa Iria

O Convento de Santa Iria encontra-se a escassos metros da Ponte Velha e é uma edificação que já carece de obras de restauro. Segundo conseguimos apurar o edifício encontra-se em hasta pública para a sua venda.

A estrutura inicial do convento teve origem no séc. XIV mas foi sofrendo várias alterações ao longo dos anos. Embora não o tenhamos conhecido satisfatoriamente, de destacar a Igreja de Santa Iria com o seu portal renascentista.

Curiosidade:

O convento de Santa Iria foi construído nas margens do Rio Nabão, no local onde Santa Iria foi degolada por ordem de Britaldo. Segundo a lenda o corpo foi atirado ao rio e apareceu na região de Santarém, onde as águas se abriram para mostrar o seu caixão. Existe no meio do rio, um padrão que assinala o local do milagre.

Levada de Tomar

Na proximidade da Ponte Velha, encontra-se a Levada de Tomar que durante a ocupação templária foi orquestrada para fornecer energia aos moinhos e lagares construídos nas margens do rio.

Após a extinção das ordens religiosas, os lagares e moinhos tiveram proprietários privados que conservaram sempre a sua traça original. Já no século XX foi construído no antigo lagar de D. Pedro Évora a primeira central elétrica de Tomar, que fez com que a cidade fosse a quinta no país a ser abastecida com energia elétrica. Ainda hoje é possível avistar a chaminé de tijolo que era utilizada na época em que laborou a vapor.

Igreja de Santa Maria dos Olivais

Por se encontrar ligeiramente afastada do centro, passa despercebida possivelmente a muitos turistas que visitam a cidade. A Igreja de Santa Maria dos Olivais é uma das mais belas construções de Tomar e com uma elevada importância na história da cidade.

A estrutura inicial da igreja foi construída em pleno séc. XII sobre ordens do mestre templário Gualdim Pais e tinha como objetivo a criação de um Panteão dos Templários, sendo lá que ainda hoje se encontra o túmulo de Gualdim Pais. A estrutura gótica, tal como conhecemos hoje em dia foi construída no século XII por ordem de D. Afonso III que a instituiu como a obra mais emblemática do gótico nacional.

Além de toda a sua preponderância na história de Tomar, esta linda catedral é um excelente local para tirar umas fotografias incríveis.

Tomar | O que visitar nos arredores da cidade?

O centro de Tomar tem ingredientes que chegam facilmente para ocupar um fim-de-semana! Se a isso juntarmos as verdadeiras maravilhas que se encontram a escassos quilómetros temos o plano perfeito para passar três ou quatro dias pela região.

Aqueduto de Pegões

Embora o Aqueduto de Pegões não esteja localizado no centro de Tomar a sua visita é de caracter obrigatório, pela sua importância, beleza, mas também proximidade. O aqueduto está localizado a cerca de 3km de Tomar, e é possível chegar até ele por um trilho que parte no Convento de Cristo.

O Aqueduto de Pegões foi construído no reinado de Felipe I com a finalidade de abastecer água ao Convento de Cristo. O aqueduto tem a extensão de 6km e no seu troço conta com 180 arcos que no ponto de maior altitude chega a atingir os 30 metros.

As simetrias dos arcos potenciam a criação de fotografias incríveis, mas a beleza da paisagem vista de cima não é aconselhável a cardíacos nem a pessoas com vertigens. O aqueduto não tem corrimão na extremidade pelo que aconselhamos alguma precaução ao percorrê-lo.

Dica:

Se chegou ao centro de Tomar de comboio e não quer realizar a caminhada até ao Aqueduto de Pegões pode sempre fazer o trajeto através de tuk tuk. Conheça os serviços no site dos tuklovers

Praia Fluvial do Agroal

A cerca de 20 minutos de Tomar, mas já no concelho de Ourém, encontramos uma das praias fluviais mais bonitas do nosso país, a Praia Fluvial do Agroal. Nesta praia está localizada a maior nascente do rio Nabão e o seu enquadramento paisagístico rodeado de biodiversidade é realmente incrível. Além de toda a beleza do lugar, a água tem a particularidade de conter propriedades terapêuticas benéficas para a pele e aparelho digestivo.

Nos meses de verão esta praia é muito procurada pelos locais e não só, sendo por isso comum vê-la à pinha de pessoas. O que não irá encontrar certamente são águas muito convidativas, por estar localizada nas imediações de uma nascente natural a temperatura da água é realmente muito fria. Mas acredite, o calor insuportável do ribatejo incentiva a mergulhos até aos mais friorentos!

Baloiço do Talegre

Continuando pelo concelho de Ourém, e aderindo à nova moda que somos completamente fãs, no mês de maio de 2020 foi inaugurado na Freguesia de Alburitel o Baloiço do Talegre. Aproveitando a vista incrível para o bosque e para a Serra de Alburitel um grupo de jovens decidiu instalar um baloiço que promete atrair gentes de todas as idades que procuram a foto perfeita.

O local é de fácil acessibilidade existindo nas imediações um parque onde é possível estacionar a viatura. Do estacionamento até ao baloiço são cerca de 200m. Para os mais aventureiros foram criados o Trilho do Talegre e o Trilho Tranquilo para ir ao encontro das maravilhas da natureza da Serra de Alburitel.

Sobreirinho

O Sobreirinho é uma agradável praia fluvial, à beira do Rio Nabão, rodeada de florestação e de um encanto natural que o irá prender certamente.

Junto à praia encontra-se uma ponte estreita em que só é possível passar um veículo de cada vez, que une as margens e junta as freguesias da Pedreira e Além da Ribeira, hoje unidas pela União de Freguesias – Além da Ribeira/Pedreira.

Dica:

Se gosta de aventura desafie-se e faça o percurso de kayak entre o Agroal e o Sobreirinho. Embora seja um pequeno rio é bastante sinuoso e com alguns açudes o que certamente lhe irá despertar uma boa dose de adrenalina. Conheça os pormenores desta aventura através da NaturZ

Tomar | E que tal ir banhos na Albufeira da Barragem de Castelo de Bode?

Nas freguesias de Olalhas e da Serra e Junceira encontram-se algumas das mais bonitas praias fluviais da Albufeira da Barragem de Castelo de Bode, nas águas do rio Zêzere.

Praia Fluvial do Alqueidão

A Praia Fluvial do Alqueidão, localizada na freguesia de Olalhas, é uma praia com excelentes condições para passar um dia em cheio. Dotada de excelentes equipamentos de apoio, com uma zona perfeita para a realização de piqueniques equipada com mesas, cadeiras e assadores.

A praia é fantástica, com uma água sempre com temperatura agradável e com uma transparência inacreditável. Em frente à praia está localizada a Ilha do Lombo.

Praia Fluvial de Alverangel

Localizada na freguesia de Olalhas, a Praia Fluvial de Alverangel conhecida pelos tomarenses por Praia do Casalinho é para nós uma das mais bonitas da Albufeira da Barragem de Castelo de Bode. As águas assim como toda a albufeira é de um azul esverdeado lindíssimo que incentiva imediatamente a um mergulho.

Praia Fluvial dos Montes

A Praia Fluvial dos Montes está localizada num local isolado proporcionando uma experiência balnear relaxada e em pleno contacto com a natureza. Como é moda em muitas praias da região, estão instaladas nesta praia infraestruturas para a prática de wakeboard.

Praia Fluvial da Bairradinha

A Praia Fluvial da Bairrada ou Bairradinha está localizada entre os concelhos de Tomar e Ferreira do Zêzere. Esta praia tem a particularidade de ser a única praia com areia na Albufeira da Barragem de Castelo de Bode.

Tomar | Onde dormir?

Casa dos Ofícios

Na antiga cidade de Tomar há novas ideias a nascer! É o caso da Casa dos Ofícios, um hotel de 4 estrelas que comemorou recentemente o seu primeiro aniversário. Localizado, em pleno centro histórico de Tomar, este hotel surge da magnífica recuperação de um edifício histórico do século XVIII que resultou numa muito bem conseguida relação entre a sua traça original e o conforto e requinte. O espaço e arquitetura do edifício, já de si soberba, ganharam ainda maior destaque com a ideia verdadeiramente diferenciadora de homenagear os ofícios que fizeram parte da história de Tomar e em especial dos ofícios que laboraram nas ruas mais próximas do hotel. 

Um conceito distinto que está patente na decoração dos seus 14 quartos, apresentando cada quarto detalhes decorativos alusivos a um ofício em específico. Se tínhamos adorado o quarto e os espaços envolventes, o que dizer do pequeno-almoço! Servido num espaço convival fomos recebidos com simpatia pelo anfitrião que nos apresentou um farto pequeno-almoço recheado de verdadeiras delícias. A Casa dos Ofícios é um criativo alojamento que conjuga o melhor de Tomar dentro de quatro paredes.

Hotel dos Templários

O Hotel dos Templários é provavelmente o hotel mais mediático de Tomar e conta com mais de 50 anos de experiência. Localizado na proximidade do Parque do Mouchão, este arrojado hotel de 4 estrelas é um dos ícones do conforto e lazer da região centro de Portugal. Com 167 quartos e 10 suites este hotel é o indicado para quem pretende realizar uma escapadinha romântica com todo o requinte. Um dos seus pontos fortes são as suas piscinas magníficas, tanto interiores como exteriores, que são perfeitas para relaxar após os dias desgastantes das caminhadas pela cidade. O Hotel dos Templários é um espaço luxoso e requintado, uma das imagens de marca da cidade de Tomar!

Tomar | Onde comer?

Taverna Antiqua

Bem no centro histórico de Tomar, na Praça da República, experienciamos aquela que foi para nós uma das mais marcantes experiências gastronómicas. Mais do que uma refeição, este jantar é uma viagem há era medieval! Toda a decoração é alusiva à época, o jantar é à luz das velas, os pratos são de barro e os funcionários estão fardados com a indumentária da Idade Média. Todos os pormenores foram cuidados para que se sentisse realmente a navegar no tempo. Como fomos ao sábado ainda tivemos o privilégio de assistir a uma animação ao vivo com várias personagens medievais a dialogarem entre si e a interagirem com os clientes.

Se pensa que é tudo, esteja enganado a viagem no tempo salta da decoração para a mesa. Na ementa irá encontrar perninhas de rã, pernil de porco com molho de castanhas, coelho bravo à caçador ou bacalhau à mercador, entre outras opções. Acredite que jantar na Taverna Antiqua é uma experiência verdadeiramente memorável.

Cervejaria do Fernando

A Cervejaria do Fernando é um dos espaços mais conhecidos da cidade e o espaço perfeito para uma refeição verdadeiramente deliciosa e descontraída. Localizado em pleno centro histórico de Tomar, este restaurante é o local em que se vai sentir realmente em casa muito por culpa da hospitalidade do anfitrião Fernando que o trata de colocar logo à vontade.

O cardápio é variado e pode optar por uma refeição à base de petiscos ou então pelos pratos convencionais. De destacar as moelas na caçarola, caracóis, pica-pau, salada de polvo, o peixe grelhado, costeleta novilho ou o bife da vazia. Uma verdadeira delícia.

Faz download gratuito do guia de Tomar e tem acesso em qualquer lugar e a qualquer hora!

Leia também

4 comentários

Jurema 06/08/2020 - 18:49

Olá, em 2017 estive em Tomar mas só tive oportunidade de conhecer o Convento de Cristo.. Assim que puder volto para cumprir o roteiro sugerido. Obrigada pelas dicas.

Responder
pontodepartida 06/08/2020 - 23:44

Olá Jurema! Tomar é uma cidade realmente bonita, vale a pena dedicar uns dias a conhecê-la. Nós ficamos maravilhados e queremos muito voltar, principalmente na altura da Festa dos Tabuleiros 😍
Um beijinho e boas viagens ❤

Responder
Irene Soares 07/08/2020 - 16:21

Muito obrigado pelas dicas. Embora já ai tenha estado ha uns anos agora que vou voltar é sempre bom obter informação atualizada.

Responder
pontodepartida 10/08/2020 - 10:11

Há sempre lugares novos para descobrir 😃 Obrigada nós pelo feedback, boa estadia beijinhos! 😊

Responder

Faça um comentário